Começa a ser moda, sempre que há um Call of Duty novo a chegar ao mercado os períodos de teste abertos ao público são quase certos, não só porque é uma forma de aliciar os jogadores para uma possível compra, mas também porque acaba por ajudar as equipas de desenvolvimento a perceber onde é que estão os problemas, bem como testar a capacidade dos servidores no modo online. Call of Duty Black Ops: Cold War, o próximo título da série, não é exceção.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

A convite da PlayStation Portugal o FUTURE BEHIND teve a possibilidade de participar no período BETA, exclusivo para jogadores com pré-reserva feita, e estamos prontos para vos contar o que achamos do jogo desenvolvido pela Treyarch, ou pelo menos da sua vertente online, a única aberta para os testes. Prontos para Call of Duty Black Ops: Cold War em modo preview? 

Ao comparar o período Alpha que aconteceu durante o mês de setembro a estes primeiros dias de BETA foram notórias as melhorias, o que mostra, acima de tudo, que a equipa da Treyarch está a conseguir perceber os problemas com Call of Duty Black Ops: Cold War e deverá conseguir corrigir os mesmos até ao seu lançamento no dia 13 de novembro.

O que experimentamos

Durante a fase BETA tivemos a oportunidade de experimentar diferentes mapas: Satellite, Armada, Moscow, Miami e Crossroads. De todos estes mapas os que mais chamaram à atenção com detalhes positivos foram os mapas Satellite e Moscow.

O primeiro, Satellite, passa-se numa zona de deserto em Angola com alguma área montanhosa seguida de dunas extensas. Embora este mapa não seja grande, acaba por ser muito propicio ao uso de snippers, principalmente para os jogadores que se conseguem esconder no topo de uma das dunas na extremidade do mapa. Um mapa que acaba por ser bastante interessante pela possibilidade que dá aos jogadores, é possível ter batalhas mais quentes em zonas mais apertadas do mapa, onde jogadores acabam por estar mais concentrados, mas é também possível ser um autentico sniper e manter-se afastado da ação mais explosiva… tudo depende do modo de jogo.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Já o segundo que destacamos, Moscow, acaba por ter um estilo de jogo muito parecido ao “Downtown”, zona bem famosa do modo Battle Royale de Call of Duty – Warzone -. Com prédios altos e zonas interiores que permitem a utilização de armas mais leves e combates mais próximos, acabando por ser um mapa muito mais ativo que o primeiro, acabando também por ter um ritmo de jogo mais elevado. Dois mapas, duas formas de jogar, dois tipos de jogadores.

O que também une estes mapas é o gosto dos jogadores, que recentemente votaram para o “mapa favorito em Call of Duty Black Ops: Cold War BETA” através do Twitter oficial do jogo. Satellite ficou à frente, com 42% dos votos, seguido de Moscow com 35.5% dos votos.

https://twitter.com/CallofDuty/status/1315034557331070976?s=20

Está bom, mas há que melhorar

Em Call of Duty Black Ops: Cold War é fácil de reparar que as armas apresentam um bom balanço, sendo notório as diferenças não só ao nível de dano causado, mas também de forma de disparo e mobilidade de cada arma. Durante as sessões de jogo que fomos fazendo não tivemos qualquer problema de quebras de framerate ou qualquer tipo de dificuldade em encontrar jogo, ou quebras de servidor, na sua totalidade foi uma experiência bastante satisfatória e arriscamos a dizer que será do agrado de grande parte dos fãs de jogos FPS. 

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Durante a fase BETA apenas os modos online estão disponíveis, mas mesmo sem acesso ao modo campanha do shooter é possível dizer que Call of Duty Black Ops: Cold War está a transformar-se num jogo bastante equilibrado com opções, tanto ao nível de armas, modos de jogos, mas também de mapas, para agradar a todos os jogadores.

Claro que sendo uma fase BETA existem ainda alguns problemas que precisam de ser resolvidos antes do dia 13 de novembro, ao jogar na PlayStation 4 Pro as texturas por vezes demoravam a carregar e alguns dos ambientes apresentavam mesmo um certo efeito blur em torno dos objetos. Para além disto tivemos ainda algumas armas que ao usar a mira a área à sua volta apresentava-se um pouco pixelizada. Nas alturas do dia em que provavelmente existiam mais jogadores online tivemos o azar de apanhar alguns jogos com ligeiro lag. 

Tudo isto são situações que têm que ser corrigidas, mas nenhuma delas afetou a experiência de jogo de modo notório, por isso mesmo mantemos a opinião – Call of Duty Black Ops: Cold War está a torna-se num jogo equilibrado e aparenta ser uma aposta para ganhar por parte da Activision.

De relembrar que a próxima BETA acontece já esta semana e que Call of Duty Black Ops: Cold War  tem lançamento marcado para dia 13 de novembro de 2020.

N.R.: Este artigo de preview foi realizado com acesso a uma chave para acesso ao período BETA de Call of Duty Black Ops: Cold War, gentilmente cedida pela PlayStation Portugal

Sem mais artigos