0hswGxuwzKc

A assistente virtual da Amazon que ajudou a popularizar a coluna inteligente Echo – de tal forma que a Google decidiu fazer uma parecida – estava até aqui apenas ao alcance de alguns. A venda da Amazon Echo está restrita ao mercado norte-americano e fazê-la funcionar fora do país torna-se difícil.

A gigante do comércio eletrónico decidiu depois abrir a assistente aos programadores, permitindo que fosse integrada noutros equipamentos. A Alexa já chegou, por exemplo, ao relógio inteligente CoWatch e foi lançada como aplicação independente no Google Play e App Store da Apple. Mas como sempre era necessário algum trabalho para experimentar a assistente.



Isso acaba com o projeto Echosim que traz todas as capacidades e inteligência da assistente para um site. Nesse site é possível simular qual é a experiência de ter a coluna Amazon Echo.

O FUTURE BEHIND experimentou fazer algumas perguntas à assistente digital – pode ver parte delas no vídeo acima. Em primeiro lugar o utilizador terá de ter uma conta Amazon e saber falar inglês, o único idioma que a Alexa domina.

O reconhecimento de voz é bom – ainda que aqui dependa da qualidade do microfone do equipamento através do qual vai fazer a experiência – e as respostas são entregues de forma rápida.

Não podemos deixar de notar que quando tentámos uma questão mais conversacional [Alexa, uma última pergunta: conheces a Siri?] a assistente não conseguiu responder. Está programada de forma a responder a comandos específicos. Acaba por ser um ponto negativo e talvez por isso é que a Google acredita ter hipótese neste segmento.

A integração da Alexa com a coluna Amazon Echo é neste momento um dos melhores projetos de assistentes virtuais que existem. O ecossistema da tecnológica norte-americana já tem dezenas de serviços parceiros integrados, quase todas as semanas surgem novas integrações e isso significa algo: é funcional e abrangente, justamente aquilo que as pessoas procuram.

É difícil dizer se será a Alexa quem vai ganhar a guerra dos assistentes virtuais pois há novos projetos, como a Viv, que estão a surpreender. Mas o projeto da Amazon é sem dúvida alguma um dos que está melhor posicionado neste momento.



Sem mais artigos