Ubisoft. Electronic Arts. Square Enix. Rockstar. Konami. Blizzard. Bethesda. id Software. Epic Games. Naughty Dog. Sony Interactive Entertainment. Microsoft. Nintendo. Esta lista podia ter muitos mais nomes, mas estes são alguns exemplos das empresas e dos estúdios mais influentes dos tempos modernos no segmento dos videojogos.

Por vezes parece que a força dos que já existem não deixa grande margem de manobra para o aparecimento de novos nomes, mas são vários os estúdios independentes que têm conseguido escalar até ao Olimpo dos videojogos. O mais recente exemplo foi a Hello Games com No Man’s Sky – a partir de agora vão ter uma fama completamente diferente para defender.




Mas dependendo do tamanho e do poderio da empresa interessada, talvez a afirmação de um novo grande estúdio de videojogos possa ser mais rápida do que o percurso normal. E sim, estamos a pensar na Amazon enquanto escrevemos estas palavras.

A tecnológica norte-americana é conhecida em todo o mundo graças aos seus serviços de comércio eletrónico. Mas dizem os relatórios que a empresa também é uma força da natureza nos serviços de cloud computing. E mais recentemente o interesse no Twitch e a aquisição da Double Helix Games pareciam indicar uma nova aposta da empresa liderada por Jeff Bezos.

Pois é assim mesmo. A Amazon quer entrar com toda a força no segmento dos videojogos. Não fez qualquer anúncio no maior evento do ano, na E3 2016, mas realizou a sua própria conferência recheada de anúncios na Twitchcon, como salienta o Gamespresso.

De uma única assentada a Amazon anunciou o desenvolvimento de três videojogos: Breakaway, New World e Crucible. Em comum têm o facto de todos estarem pensados para ambiente de jogabilidade online, o que encaixa na restante estratégia que está a ser definida para o Twitch.

Breakaway

O jogo está a ser desenvolvido justamente pela Double Helix Games, o estúdio que a Amazon comprou no decorrer de 2014. Breakaway é um jogo mutliplayer de arena no qual os jogadores podem escolher diferentes personagens com diferentes habilidades.

O objetivo do jogo é marcar o maior número de ‘golos’ na ‘baliza’ adversária, mas aqui a bola não se joga com os pés – tem de ser transportada até à base, ao bom estilo capture the flag. O jogo é também um shooter e um tower defense, já que em caso de empate de golos ganha quem tiver provocado o maior número de baixas e é possível construir estruturas na arena de combate para dificultar a vida à equipa adversária.

Aqui pode ver o trailer do jogo:

E aqui os primeiros dez minutos disponibilizados de jogabilidade:

Breakaway será ao que tudo indica o primeiro jogo a testar o novo formato monetário do Twitch conhecido como Stream+. Na prática é uma divisa digital que pode ser ganhada através da visualização de sessões de videojogos, mas também pode ser usada para fazer apostas. Neste caso, será usada para fazer apostas nas equipas vencedoras de cada combate de Breakaway.

A Amazon não revelou muitos pormenores sobre este novo formato de dinheiro que vai ser integrado no Twitch, pois ainda terá de resolver alguns desafios, incluindo legais – na prática o Twitch pode transformar-se numa casa de apostas com dinheiro próprio.

New World

Este jogo vai transportar os jogadores para a América do Norte durante o século XVII. O título está a ser definido como uma aventura de mundo aberto e também como um MMORPG, isto é, um role playing game multijogador de grandes proporções.

Será possível escolher se quer jogar do lado dos nativos americanos ou dos colonizadores, sendo que dentro de cada segmento existem vários papéis que pode desempenhar para ajudar a sua fação a crescer.

Pelo vídeo ficamos a saber que o jogo terá uma tónica mais sombria, onde o sobrenatural também vai fazer parte do desenrolar dos acontecimentos. Há espíritos escondidos nas florestas e nas sombras. Ainda não é certo se este factor ‘sobrenatural’ vai jogar a favor dos nativos ou se será um obstáculo para ambas as partes.

Crucible

Este jogo pode ser visto como uma adaptação da ideia principal dos Jogos da Fome: existe um combate mortífero entre equipas de seis jogadores, mas só há espaço para um vencedor. Isto permitirá que os jogadores façam alianças temporárias com elementos de outras equipas para derrubarem os próprios elementos da sua equipa.

Haverá personagens de diferentes raças e expectável que cada uma tenha diferentes habilidades. Este não será apenas um jogo de mata-mata, prometendo envolver também uma boa dose de estratégia para conseguir chegar ao fim como o único sobrevivente.

Pormenores ainda por esclarecer

A Amazon deixou alguns elementos por revelar relativamente aos novos jogos. O primeiro de todos está relacionado com a data de lançamento dos títulos. Pelo que foi possível ver na apresentação da tecnológica, Breakaway é o que parece estar num estado de desenvolvimento mais avançado.

Os outros dois títulos, New World e Crucible, parecem estar ainda numa fase de desenvolvimento primária e acima de tudo relacionada com a criação de personagens e ambientes de jogo.




Também não foram confirmadas plataformas. Parece certo que pelos seus estilos os três jogos vão ser lançados para PC, como escreve o The New York Times, mas sabendo que o Twitch também é popular nas consolas domésticas e que o cross-play começa a ser uma realidade cada vez mais popular, talvez exista a possibilidade de algum destes jogos ser lançado noutros sistemas.

A TwitchCon foi de facto produtiva para a Amazon que afirmou assim a sua vontade de apostar em grande escala no segmento dos videojogos. Os Amazon Game Studios são agora um nome a ter em consideração, ainda que seja necessário ver qual a real qualidade e impacto dos jogos para sabermos se temos aqui um novo potencial grande estúdio ou se será necessário mais do que um grande nome tecnológico para fazer um novo grande estúdio de videojogos.