AMD Radeon RX 6600 XT

AMD Radeon RX 6600 XT – Análise

Análise por: David Fialho

AMD Radeon RX 6600 XT, o cão que ladra, mas que não morde

Depois de um muito positivo test drive com uma das placas gráficas de entrada de gama da AMD, a AMD RX 6700 XT, a tecnológica surpreendeu o mercado com o lançamento de algo ainda mais modesto, com uma placa direcionada a um público muito específico, com características e uma filosofia nobre, mas que levanta questões com a sua disponibilidade e preços pedidos. Hoje falo-vos da Radeon RX 6600 XT.

Segue o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Numa análise mais opinativa e generalizada do que o meu testemunho anterior (onde peguei numa série de jogos populares e mais ou menos exigentes), desta vez a minha viagem foi bem mais superficial, mas carregada de comentário, a começar com o modelo em particular que a AMD gentilmente nos enviou para teste.

.

Sem um modelo de referência, isto é, uma versão da Radeon RX 6600 XT da própria AMD, o modelo que nos chegou até ás mãos é uma versão 3rd party, da PowerColor, com a sua linha Red Devil, com um design único, que grita “gaming” por todos os lados e que se revelou uma pequena dor de cabeça na instalação.

De ventoinha dupla de 100mm, colocada em cima dos seus dissipadores, as dimensões desta Radeon RX 6600 XT são relativamente excessivas, algo que acho pessoalmente desnecessário se a ideia é extrair o máximo de desempenho possível num equipamento relativamente modesto – aka Overclocks. Devido a isto, o meu primeiro contacto com a Radeon RX 6600 XT não foi de todo positivo, já que tive que mudar a configuração interna da minha torre (com caixa e motherboard de dimensões E-ATX), colocando a placa gráfica na segunda linha de PCI-E e trocando o local do meu SDD M.2, devido ao seu dissipador. Basicamente, na posição padrão, este modelo da Radeon RX 6600 XT não ficava bem colocado devido à proximidade dos clipes das memórias RAM, nem ficava fácil de aceder ao clip da própria GPU ao retirar. Foi, admitidamente chato.

Segue o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Agora, olhando para as specs, a promessa é boa. Relativamente falando. É boa para quem tem um computador já por si modesto, mas que procura dar um pouco de pulmão para suportar jogos novos e que ao mesmo tempo não tem interesse em atualizar periféricos caros como o caso de um monitor, apostando, assim, na promessa de uma experiência 1080p a 60fps. Algo que entre muito na linha de pensamento de quem procura uma Xbox Series S, uma máquina que corra jogos modernos e antigos, com sacrifícios, é claro, mas que não liga a todas as definições no máximo. Perfeito.

Desenhada com base na arquitetura AMD RDNA 2, que encontramos precisamente na nova geração de consolas e nas mais recentes placas da AMD, esta é uma placa também ela da nova geração, compatível com DirectX12, com 8GB de memória GDDR6, suporte de VVR, porta HDMI 2.1, compatibilidade com tecnologias de melhoramento de imagem da AMD e até suporte para Ray-Tracing. São sem dúvida boas características, ou, melhor dizendo, boas promessas.

Para ser franco, a experiência 1080p na maioria dos jogos modernos, e naqueles que testei anteriormente com a Radeon RX 6600 XT é altamente satisfatória e por vezes até surpreendente. Por exemplo: em jogos como Horizon Zero Dawn e Death Stranding, a Radeon RX 6600 XT comporta-se de forma fantástica com as definições padrão e alto. Em Forza Horizon 4 conseguimos até jogar com tudo no máximo a 4K; em Cyberpunk 2077, 1440p com configurações altas corre tão bem como nas consolas da nova geração, assim como Doom Eternal. Contudo as coisas mudam de figura quando ligamos efeitos de Ray-Tracing, limitando a fluidez de jogo ou tornando-os injogáveis.

Segue o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Mas se a Radeon RX 6600 XT se comporta bem com jogos relativamente atuais, fica aquele sentimento de que poderá não suportar tão bem jogos do futuro, sem sacrifícios nas suas configurações. Voltei a instalar mais de 100 gigas para testar por exemplo o Microsoft Flight Simulator e tal como previa, 4K é, obviamente, inalcançável, assim como 1440p e 1080 que não conseguem pouco mais do que 30FPS-40FPS com cortes em muitas das definições.

Durante o período de teste da Radeon RX 6600 XT tive também acesso a uma technical preview de um jogo por lançar, o multi-jogador de Halo Infinite que ficará em F2P em dezembro. É certo que é uma versão experimental, com problemas de otimização, mas que ainda assim me deixou relativamente preocupado por não conseguir bom desempenhos mesmo com as definições no mínimo. Se assim se mantém só o futuro o dirá.

2021 09 22 09 27 45 067

A Radeon RX 6600 XT é assim uma estranha aposta, muito modesta, limitada, mas demasiado no “presente”. Mesmo com as suas tecnologias futuristas, como dupla BIOS para overclock, sistemas de dissipação de calor avançados, suporte de Ray-Tracing ou HDMI 2.1, nada destas características parecem ser práticas ou úteis para quem procura algo dentro deste segmento de entrada.

Segue o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Mas há algo mais que tira brio e propósito a esta aposta da AMD, o seu preço. Admito que tive que ir procurar o que a comunidade e outros reviewers achavam sobre o assunto e vi que o meu sentimento se alinhava ao dos restantes, de que esta é uma placa gráfica cara para a sua oferta, especialmente nos dias de hoje. O seu preço recomendado é de 389€-399€, mas na realidade o que se encontra em revendedores ronda os 600€, um valor honestamente estapafúrdio tendo em conta a sua promessa e oferta, considerando que é um GPU de entrada de gama, que tanto a concorrência como a própria AMD têm soluções bem mais avançadas dentro desses valores. E no que toca a escolha de máquinas de jogos, temos as escassas mas imbatíveis consolas como a PlayStation 5 e as Xbox Series X|S, a oferecerem experiências curadas, optimizadas e plug and play, por muito menos.

A existência da Radeon RX 6600 XT resume-se assim a uma frase: Ideias nobres, num lançamento duvidoso.


+ Inclui ligação HDMI 2.1 com VRR
+ Suporte de Free-Sync
+ Arquitetura RDNA 2
+ Silenciosa
+ Ótimo desempenho a 1080p e mais além em títulos selecionados

– Péssimo design, imprático e desnecessário
– Suporte de Ray-Tracing, mas desempenho péssimo
– Demasiado cara para o que oferece
– Deixa o sentimento de não ser future-proof
patreon

N.R.: A análise à Radeon RX 6600 XT da PowerColor foi realizada com acesso a uma unidade gentilmente disponibilizada pela AMD.