Depois de uma grande homenagem lançada no início do ano à série Dragon Ball, com Dragon Ball Z: Kakarot a Bandai Namco Entertainment lança agora o seu charme aos que vibraram no início dos anos 90 e mais tarde nos meados dos anos 2000, com um dos animes mais carismáticos relacionados com futebol. Para muitos conhecidos como Campeões: Oliver e Benji para outros como Super Campeões, Captain Tsubasa é uma série televisiva de desenhos animados que fez e ainda continua a cativar todos os fanáticos pela prática do futebol dentro das quatro linhas.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

A forma como o enredo se desenvolvia era um dos seus pontos fortes, onde durante uma partida de futebol, que poderia durar mais que 5 episódios para ser concluída, acontecia tudo, precisamente tudo, desde momentos incríveis de ação com jogadas, remates e defesas especiais,  momentos admiráveis de reviravoltas épicas, ou puros e singelos momentos de conduta e ética desportiva.

Em busca de recuperar a atenção dos nostálgicos pelos loucos episódios de Tsubasa, a Bandai Namco Entertainment traz como proposta Captain Tsubasa: Rise of New Champions, um jogo de futebol estilo arcada que oferece um pouco da ação que acontecia dentro das quatro linhas da série que se iniciou no mangá e pouco mais tarde em anime. O foco da história continua a ser o mesmo, ou não fosse uma completa adaptação do desenho animado com uma pitada de novos eventos, mas dando a mão ao jogador de forma a que tenha também ele uma pequena interação nos vários eventos da história do jogo.

Rumo à seleção. Rumo ao Campeonato do Mundo.

A série Captain Tsubasa conta a história de um jovem dotado de uma capacidade formidável para jogar futebol chamado Tsubasa Ozora, que vai partilhando os seus momentos de infância e o seu processo de evolução enquanto atleta. O seu de desenvolvimento começa através dos torneios de clubes de futebol escolar, onde vai disputando com vários atletas encontros de ação explosiva, sendo também alguns deles dotados de habilidades fora do comum, o que torna cada embate único. A viagem de Tsubasa Ozora acaba no torneio do Campeonato do Mundo de futebol, sendo convocado à seleção japonesa, juntamente com caras muito bem conhecidas que assinalaram a sua evolução.

Captain Tsubasa: Rise of New Champions traz, portanto, uma missão complicada de tentar convencer não só os fanáticos pelo anime, como também os apreciadores de jogos de futebol. Contudo, de uma forma bem resumida, Rise of New Champions, poderia ser um jogo muito mais convidativo para ambos os grupos de apreciadores.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Visualmente não é dos jogos mais bonitos que o final desta geração já presenciou. As animações, embora sejam alternadas com alguns vídeos pré-carregados – com momentos de história colocados em cada embate durante as partidas de forma aleatória, ou simples animações de ataques especiais – não chegam para disfarçar os movimentos robóticos e pouco naturais por vezes dos jogadores durante o jogo jogado das partidas. A inteligência artificial está mal afinada, e embora Captain Tsubasa: Rise of New Champions possa vir a receber atualizações para corrigir alguns destes defeitos, o que é certo é que no momento em que esta análise está a ser escrita, o estado em que o jogo ainda possui imensos problemas.

Apesar disso, a coloração que Captain Tsubasa: Rise of New Champions apresenta é muito boa, as animações que surgem dos vários ataques especiais ou movimentos únicos, são também muito bem feitos e excelentemente desenhados. Os estádios, embora sejam pouco detalhados, têm alguma vida, com vários momentos de bandeiras e placares publicitários com movimentações e animações. O que não oferece grande vivacidade, é a banda sonora que o acompanha, pois, a maioria das faixas musicais não são de acordo com o anime, o que acaba por deitar por terra a nostalgia dos fãs da série.

This slideshow requires JavaScript.

A ideia base é simples, contudo nem sempre é regular

Também a jogabilidade de Captain Tsubasa: Rise of New Champions, embora seja bastante virada para o lado simples e despreocupado do arcade, não é bem feita, e a fluidez dos movimentos e o controlo dos jogadores nem sempre é executado com rigor. O controlo rígido quando não se tem a bola é por vezes stressante, a forma como os passes são executados, por vezes com movimentos um pouco aleatórios, também não são muito dotados de um rigor que deveria ser obrigacionista para um jogo deste género.

A ideia base consiste em gerir barras de energia, sendo consumidas conforme cada movimento que cada jogador faça, e ir desgastando os guarda-redes adversários, sobrecarregando-os com remates até que percam por completo todo o vigor. Há, para além disso, também outras formas de se marcar golos, executados remates de cariz especial, mas todos os pontapés, sem exceção, nunca dependem unicamente da habilidade e do controlo do jogador, pois nunca tem forma de atirar com precisão para a baliza, estando sempre dependente de uma animação após o remate e da probabilidade da bola entrar ou não na baliza.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Mas nem tudo significa aleatoriedade em Captain Tsubasa: Rise of New Champions. Durante as partidas o jogador tem a possibilidade de alternar entre as várias táticas disponíveis e ir alternando conforme a estratégia do adversário para conseguir com maior eficácia conseguir tirar proveito disso.  Durante os modos de campanha, muitas vezes há golos pré-definidos, o que retira qualquer fator de justiça, ao ponto de se tornar muitas vezes altamente frustrante. Já nos outros modos disponíveis, sobretudo no modo online, aí já cada jogador tem em sua posse o total controlo do jogo, ainda que com as várias falhas nos controlos que já aqui foram mencionadas.

Várias formas de reviver a aventura, mas todas de uma forma pouco convincente

Se por um lado Captain Tsubasa: Rise of New Champions não corresponde totalmente a um jogo de futebol com jogabilidade equilibrada, a forma como o modo das duas campanhas de história se desenvolvem também não são dotadas de boa implementação, pois de uma forma demorada, extensa e pouco convidativa, todos os diálogos vão sendo apresentados de forma pouco interessante ao ponto de se tornar altamente massuda. A ausência da língua portuguesa no jogo fez-se mais uma vez notar numa adaptação de anime, e, portanto, os nomes tal como eram conhecidos na série portuguesa não estão disponíveis. Para os nostálgicos, vão encontrar mais uma vez aqui um entrave na forma como a descrição dos eventos e dos protagonistas são descritos. Durante as partidas há também várias intervenções pelo meio de animações pré-carregadas, que, tal como já foi referido, por vezes entram de forma aleatória cortando o ritmo e com intervenção no resultado do jogo. Já o modo New Hero, dentro do modo campanha, aqui o jogador é convidado a criar a sua própria personagem e a participar com respostas nas várias cenas dos eventos. Ainda assim, a forma como todo o processo de desenrola, é tal como na campanha original, extensa, demorada e pouco atrativa.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Dentro dos modos disponíveis, o modo online é talvez o único que merece o maior destaque, onde oferece possibilidade de criar uma sala independente, de modo a que se possa juntar com um amigo ou jogar contra outros jogadores do mundo, tudo de uma forma simples e de forma eficaz.

Captain Tsubasa: Rise of New Champions tal como já foi mencionado é detentor de várias imperfeições de jogabilidade, mas também possui várias falhas de imagem com quebras de fluidez durante as animações, alguns defeitos de visualização no início das partidas e também tem vários ecrãs de carregamento extensos. Há ainda alguns tutoriais que não são bem elucidativos e quando oferece a possibilidade de o jogador executar os movimentos, estas práticas são altamente limitativas.

Considerações Finais

Captain Tsubasa: Rise of New Champions surge sob a forma de tentar convencer dois tipos de públicos, mas a forma como tudo funciona dentro das quatro linhas não é totalmente satisfatório. Como jogo de futebol, mesmo sendo encarado e descrito como um jogo de estilo arcade, tem imensas imperfeições, ao ponto de ter uma jogabilidade muito desajustada, com imensas falhas de movimentos e com um fator de aleatoriedade muito alta. Para os fãs da série que queiram reviver a história, a forma como todos os episódios são mostrados também não é a melhor, embora seja feita de forma praticamente fiel ao anime, os diálogos são extensos e as animações, apesar de sejam boas, não são dinâmicas.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

O melhor do jogo é o modo online e o modo campanha New Hero. No online é possível ter alguma diversão com o fator sorte, no meio de remates espetaculares e de jogadas incríveis e assistir ao adversário a ruir. Já no New Hero, intervir em alguns diálogos e presenciar mais da história de Tsubasa e companhia, é também um pouco mais interessante do que o clássico original.

nota 2

Clica na imagem para mais informação sobre as nossas classificações

Captain Tsubasa: Rise of New Champions já se encontra disponível para PlayStation 4, Nintendo Switch e Windows PC 

 

+ Reúne parte da história da série de Tsubasa

+ A aleatoriedade de cada partida permite que o desafio seja intenso

+ O Modo online é simples e competente

– A história é contada de forma enfadonha

– A Jogabilidade carente de afinações

– Inteligência artificial com imensa instabilidade

N.R.: A análise a Captain Tsubasa: Rise of New Champions foi realizada numa Playstation 4 com acesso a uma cópia do jogo, gentilmente disponibilizada pela Bandai Namco Entertainment

Sem mais artigos