Dead or Alive foi inicialmente desenvolvido, em 1996, pela Team Ninja e publicado pela atual Koei Tecmo. A equipa pretendia criar um jogo que fosse bastante rápido e que tivesse um sistema inovador e diferente dos restantes jogos da altura. Decidiram fugir à norma e trocaram a opção de bloquear ataques pela possibilidade de contra-atacar o que, se bem executado, permitia punir o ataque do oponente. No entanto, se este previsse um contra-ataque poderia alterar a sua ação. Este é o sistema central que ajudou a definir a série ao longo dos anos.

Apesar deste inovador sistema e do combate bastante rápido e frenético, a série sempre ficou conhecida pelos seus personagens com modelos mais ousados e foi essa característica que fez com o que jogo fosse sempre visto como algo menos sério, desvalorizando o aspeto mais competitivo.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Dead or Alive 6 é a tentativa da Team Ninja de alterar um pouco essa ideia, melhorando o já muito elaborado sistema de combate, tornando-o amigável para os novos jogadores e mantendo a fantástica robustez do sistema de combate para os mais experientes. As personagens são menos ousadas face a títulos anteriores, mas mantendo sempre a imagem que caracteriza a série.

Como é que posso jogar?

O jogo conta com 24 personagens desbloqueados desde o início e com dois já disponíveis através de conteúdos descarregáveis pagos. No futuro serão disponibilizados ainda mais personagens desta forma.

Tal como é característico da série, os combates mantém-se frenéticos e os cenários continuam a ter pequenas surpresas que podem ser usadas para causar dano extra ao adversário. Alguns cenários têm explosivos no chão que podem explodir caso o personagem caia em cima deles, outros contêm criaturas como polvos gigantes ou dinossauros que decidem atacar em certas alturas entre outras surpresas. Conforme o combate for avançando o dano causado aos personagens também é representado com algumas alterações visuais como roupa rasgada ou acessórios partidos.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Existem três ações principais que podem ser executadas em combate, ataque que se divide em Punch e Kick, Throws que permite agarrar e atirar o adversário e Holds que, se bem executados, funcionam como contra-ataques. Estas ações formam um sistema triangular onde os ataques têm prioridade sobre os Throws, os Throws tem prioridade sobre os Holds e estes têm prioridade sobre os ataques. Estas ações podem ainda ser combinadas com os botões direcionais para criar outras variantes dessas ações aumentando o número de combinações possíveis durante o combate. Desta forma é possível ter-se combates extremamente complexos nos níveis avançados sem os tornar demasiado complicados para os iniciantes.

De forma a tornar este jogo ainda mais amigável para os menos experientes, a Team Ninja implementou uma nova mecânica denominada Fatal Rush. Este sistema permite que o jogador execute uma combinação de ataques simples utilizando um único botão. Aliado a isto, existe uma barra que vai enchendo conforme o combate for avançando. Sacrificando metade da barra o jogador consegue executar um contra-ataque dando uma hipótese de escapar do ataque do oponente. Sacrificando a totalidade da barra é executado um poderoso ataque para um dano acrescido.

Então, e a história?

Os jogos de luta são geralmente conhecidos pelo seu sistema e mecânicas de combate e não pela sua história e Dead or Alive 6 não foge à regra.

O modo de história está organizado em capítulos e, em cada um deles, existem variados fragmentos que contam um bocado da mesma à vista de um determinado personagem. Esses fragmentos são bastante curtos e sucintos o que, aliado ao combate rápido e frenético, torna o ritmo da história bastante rápido e podendo mesmo tornar-se confuso chegando a haver momentos em que o jogador está simplesmente a passar as cenas todas sem conseguir perceber o que está a acontecer estando só à espera do próximo combate.

No entanto, apesar do fraco modo de história, o novo modo DOA Quest foi uma agradável surpresa. Feito como uma ferramenta de aprendizagem, este modo é composto por um conjunto de missões, associadas a uma personagem específica, onde é necessário executar um conjunto de tarefas. Essas tarefas podem ser tão simples como vencer o combate em menos de um determinado tempo ou dar uma quantidade de dano específico num único combo, como algo mais complexo como executar um contra-ataque médio um determinado número de vezes ou executar um combo específico. No entanto, essas tarefas não se limitam a dizer o que o jogador tem de fazer como oferecem um tutorial específico onde é explicada a execução do combo e quando é que deverá ser usado. Adicionalmente, caso o jogador falhe uma determinada tarefa é de novo apresentado um novo tutorial para permitir ao jogador treinar antes de voltar a repetir a missão.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Apesar de poder ser um pouco aborrecido para jogadores mais experientes, este sistema é extremamente útil para novos jogadores. Os tutoriais são bastante detalhados o que, combinado com o sistema de combate fácil de perceber, torna este jogo um dos melhores jogos para aqueles que pretendem iniciar-se no mundo dos jogos de luta.

Para aqueles que gostam de aprender de uma forma menos guiada, estão também disponíveis os tradicionais modos de treino livre e treino de comandos assim como um conjunto de desafios de combos para cada um dos personagens.

Para além do combate em si, um dos pontos fortes do jogo é a possibilidade de modificar o aspeto dos diferentes personagens. No entanto, essas modificações terão de ser desbloqueadas primeiro através de moedas adquiridas durante o jogo ou através de pontos especiais colecionados no final de cada missão no DOA QUEST. Adicionalmente, já foram anunciadas ainda mais roupas que estarão disponíveis através de conteúdos descarregáveis pagos.

Contudo, apesar de ser uma característica do jogo bastante publicitada, a maioria das roupas encontra-se bloqueada e, adicionalmente, é na sua maioria variação de cores e nada demasiado único estando isso guardado para os conteúdos pagos. Não obstante, dado ser algo opcional não afecta em nada a sua jogabilidade.

Considerações finais

Numa época em que quase se está a tornar norma publicar jogos incompletos é bom ver um jogo que corre sem problemas e que tem tudo aquilo que prometeu ter. No entanto, apesar disso, Dead or Alive 6 dá a sensação que poderia ter algo mais para fazer.

O modo de história, devido à sua estrutura e passo acelerado, parece que quase não tem valor, não tendo o jogador muito mais que lhe dê uma ideia de progressão. O modo DOA Quest é uma fantástica adição para os iniciados mas para os mais experientes não se diferencia de um modo de treino ou um desafio de combos. A maior parte do conteúdo bloqueado não é cativante o suficiente para justificar horas a colecionar moedas e o conteúdo estético mais interessante só poderá ser obtido através de conteúdos descarregáveis pagos. Além disso, a opção de colocar dois personagens bloqueados por conteúdos pagos mesmo estando um desses personagens disponível no modo de história é uma escolha estranha dado tratar-se de um jogo de preço completo.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Mas, apesar destes pontos negativos, o combate de Dead or Alive 6 é um dos melhores sistemas de todos os jogos de luta que pode ser apreciado por qualquer tipo de jogador seja ele veterano ou iniciante. Além disso, o sistema de tutoriais é bastante completo o que torna este jogo a escolha certa para quem se quer aventurar no mundo dos jogos de luta.

Dead or Alive 6 já se encontra disponivel para PlayStation 4, Xbox One e Windows PC.

N.R.: A análise a Dead or Alive 6 foi realizada numa PlayStation 4 com acesso a uma chave digital para a versão final do jogo gentilmente cedida pela EcoPlay

Dead or Alive 6
Um dos melhores sistemas de lutaTutoriais bastante completosCenários de combate dinâmicos
Modo de história demasiado confusoUso de conteúdo descarregável pago de forma suspeitaPouco conteúdo
7EM 10
Votação do Leitor 0 Votos
0.0
Sem mais artigos