A magia do basquetebol Norte-Americano está de volta para mais um ano, ok… A magia do basquetebol Norte-Americano digital está de volta para mais um ano.

Mais um ano, mais um simulador de basquetebol a sair dos cofres da 2K Games. Este ano, NBA 2K20 continua a entregar aos fãs a mesma fórmula que o ano passado, mas com a WNBA à mistura e com ainda mais microtransações. Sim, leram bem, porque as de NBA 2K19 não eram suficientes.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

O jogo traz melhorias na jogabilidade e novas adições, mas será isso suficiente para que os fãs deixem passar ao lado o facto do maior ganha-pão da 2K Games seja a publicidade e as microtransações ao invés de ser o jogo em si?

5×5 só com muito treino

Com um novo motor de movimentos é normal que, se jogaram o título passado, notem uma boa melhoria nos movimentos dos jogadores controlados pelo CPU, estas melhorias são muito boas ao ponto de se conseguir fazer jogadas mais realistas com os colegas de equipa que não estamos a controlar e ajuda também na parte defensiva no decorrer de uma partida.

Depois temos o outro lado do CPU, aquele que está a jogar contra nós. Este, por sua vez, está também mais inteligente, mais capaz de contornar e parar os nossos movimentos ofensivos. Estas alterações tornam o jogo mais difícil de ser jogado mas também mais realista. Temos que nos preocupar com todas as movimentações, todos os bloqueios… Em suma, temos que estar sempre de olhos bem abertos para o que se passa no campo.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Um CPU mais inteligente aliado a um grande número de botões que temos que ter na cabeça durante o decorrer da partida faz com que o ideal seja começar pelo modo de treino que o jogo oferece. Aqui vão conseguir repetir sessões de treino (divididas em exercícios específicos ou treinos livres) até conseguirem dominar determinada técnica. Caso sejam novos em NBA 2K arrisco a dizer que só com estes treinos é que vão conseguir fazer boa figura no primeiro jogo.

Ainda sobre a jogabilidade e o processo de aprendizagem é importante dizer que tudo isto acontece de forma muito natural. Os botões escolhidos como standard neste NBA 2K20, pelo menos na Nintendo Switch, estão espalhados de forma bastante intuitiva. Ou seja, com treino, a capacidade do jogador vem a aumentar de jogo para jogo. Acabamos por ter noção, a cada jogo que passa, que estamos a melhorar quando as movimentações defensivas ou mesmo as trocas de jogadores saem mais naturalmente. Neste último, existe a possibilidade de trocar para um jogador específico ou para o jogador mais perto da bola, dando assim mais controlo ao jogador no decorrer da partida.

WNBA

Uma das melhores adições em NBA 2K20 não está no MyTeam e nas suas cartas EVO (ao estilo de cartas One to Watch em FIFA 20), mas sim na inclusão de uma nova liga: a WNBA, onde em tempos já tivemos uma representante portuguesa.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

As jogadoras da liga foram recreadas no jogo e podemos assim fazer jogos únicos ou uma temporada completa a controlar umas das 12 equipas. O único senão é que, depois de todo o trabalho a criar todas estas jogadoras, continuamos a não conseguir usar as mesmas em modos como o MyLeague ou mesmo no modo MyCareer.

Este último modo, para além de nos dar acesso a um renovado The Neighbourhood, oferece-nos ainda uma história bastante interessante que vai deixar qualquer um, certamente, agarrado ao ecrã. É uma pena não existir uma segunda vertente da história, mas com uma jogadora juntando assim dois dos pontos mais positivos no novo lançamento da 2K Games.

Perfomance

A nossa análise a NBA 2K20 foi realizada numa Nintendo Switch, estando o título também disponível para PlayStation 4, Xbox One e Windows PC, por isso já se esperava que o jogo não se apresentasse ao nível das versões para as consolas mais poderosas e computador.

Ao começar o jogo tive alguns problemas no carregamento de menus ou mesmo no carregamento das cartas de jogadores no modo MyTeam, onde os nomes dos jogadores carregavam perfeitamente, mas as imagens nas cartas não apareciam. Acredito no entando que este problema esteja relacionado com a qualidade de ligação a redes wi-fi e não com o jogo em si.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

O que é problema do jogo em si, é o tempo de carregamento dos menus. Para chegarmos ao momento inicial da partida, temos que passar por um par de menus de carregamento o que faz com que a tarefa seja um quanto penosa, já tendo que alguns dos menus demoram mais de 20 segundos a carregar… Tirando este pequeno contratempo, quando entramos na partida é diversão garantida.

Ao nível de fluidez durante o gameplay não podemos apontar qualquer problema, dado que o jogo corre perfeitamente na Nintendo Switch. Durante as partidas, embora consigamos perceber que alguns movimentos não são tão naturais quanto deviam ser, conseguimos jogar na perfeição e os tempos de resposta dos jogadores são muito bons. Claro que durante as cutscenes conseguimos perceber que o aspeto gráfico não é tão polido quanto nas consolas concorrentes, mas o nível que apresenta vai satisfazer qualquer jogador… Até porque a experiência Nintendo Switch não estará tão focada em gráficos de topo, mas sim no facto de conseguirem pegar na consola e fazer uma partida na mesa de jardim, ou mesmo com um amigo que encontraram numa esplanada.

É suficiente!

Um dos aspetos mais negativos deste jogo é a quantidade de jogos ao estilo “casino” que existem no modo “MyTeam”. Temos jogos para prémios bons, jogos para prémios muito bons, e jogos para prémios fantásticos… para todos os gostos. O problema aqui não são os jogos parecerem-se com jogos de casino, nem o facto de existirem jogos diferentes. O problema é mesmo o facto que o jogo sendo classificado como um jogo seguro para crianças não deveria ter este tipo de “gambling” disponível no jogo, seja ele gratuito ou não.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

A 2K Games oferece várias formas de conseguir ganhar in-game currency sem ter que gastar “dinheiro real”, estando neste caso bem melhor que no ano passado. Mas, mesmo assim, seria muito melhor que este tipo de “pay to win” não existisse em jogos que deveriam levar o jogador a ganhar pela sua qualidade e não por conseguir melhores “cartas” que o adversário.

Considerações Finais

NBA 2K20 acaba por ter uma melhoria notória quando comparamos com o título lançado o ano passado, com o modo MyCareer e a inclusão da WNBA a serem, sem dúvida alguma, os pontos mais fortes do jogo. No entanto, acaba por pecar em continuar a apostar em modos “pay to win” com a possibilidade, que dá aos jogadores, de comprarem in-game currency para assim evoluírem a sua equipa.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

NBA 2K20 acaba por ter uma performance sólida na consola da Nintendo o que faz com que seja uma boa adição para a vossa biblioteca caso estejam no mercado à procura de um título desportivo onde se possam passar umas boas horas a desafiar os vossos amigos.

NBA 2K20 já se encontra disponível para Nintendo Switch, PlayStation 4, Xbox One e Windows PC.

 

N.R.: A análise a NBA 2K20 foi realizada numa Nintendo Switch com acesso a uma cópia do jogo, gentilmente cedida pela Capital Games

 

 

Banner Patreon Future Behind

NBA 2K20 - O basquetebol está de volta
A WNBA chegouBoa narrativa no modo MyCareerBoa curva de aprendizagem
Tempos de carregamento elevadosMicrotransações
3.9Valor Total
Votação do Leitor 1 Voto
Sem mais artigos