Dentro da bizarria que é este estranho mundo dos videojogos, a PopCap Games lançava há dez anos um título que tinha como objetivo o jogador utilizar uma variedade de plantas para defender a sua casa de hordes inesgotáveis de zombies. Estranho? Talvez. O que é certo é que o conceito pegou e fui um sucesso estrondoso num mundo em que os tower defense games começavam a conquistar fãs.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Depois duma sequela e de dois títulos virados para o mundo dos shooters, será que Plants Vs. Zombies: Battle For Neighborville dispara um tiro certeiro para a revitalização da série, ou será desta que as plantas morrem de vez e o mundo se transforma num episódio de The Walking Dead cartoonizado?

Das torres para os tiros

Plantas e zombies são inimigos mortais. Assim ficarão imortalizados nesta saga que salta novamente para a luta em arenas, de cores vivas e berrantes, que despertam a vontade de subjugar os inimigos. Seja do lado das plantas, que fazem desaparecer do mapa os inimigos com rajadas de sementes, ou dos zombies, onde paus de dinamite e lasers erradicam os adversários, a diversão é constante, mantendo a temática que é transversal a toda a série: seja tower defense ou shooter, a luta é dura, selvagem até… Mas sem uma gotinha de sangue.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Esta parece ser uma boa decisão, pois a violência que emana de grande parte dos videojogos torna-a normal, rotineira, demasiado comum. Acaba por ser uma lufada de ar fresco num mundo batido a gore e entranhas.

Cérebros e seiva para todos os gostos

O mundo em que a guerra eterna entre os usurpadores de massa encefálica e sais minerais é bastante cómico e de uma beleza cartoonish que em tudo se assemelha a um mundo de filme de série B de terror, mas construído para que crianças fãs da Pixar os pudessem consumir. De cores alegres e garridas, providenciam uma mais-valia na hora de ir espreitar todos os cantos dos mapas.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

As personagens são outro ponto positivo: muitas e com diferentes animações, potenciam a experimentação e a própria forma de encararmos as nossas pequenas guerras, podendo optar por diversas formas de combate muito vistas hoje em dia, com personagens mais atacantes, mais defensivas ou de suporte. A estratégia tem um papel preponderante no resultado final, e todas as personagens estão disponíveis para serem melhoradas, com a garantia que muitas horas serão passadas na coleta do precioso XP.

Modos de comer e morder por mais

Mas não se deixem enganar pelo aspeto delicado, pela ligeireza das personagens, ou até pelos muito engraçados diálogos presentes nas inúmeras caixas de diálogo. Estamos perante um shooter de fácil habituação, com comandos bem conseguidos e de jogabilidade fácil de engatar. Mas o fácil termina por aqui. Estamos perante um jogo onde a ausência de sangue ou miolos espalhados pelo nosso monitor de cinco em cinco segundos não o torna menos rápido, entusiasmante e volátil, para isso contribuem os diferentes modos de jogo, havendo sempre algo diferente para cada tipo de jogador: 4V4, 8V8, CoOp, Turf Takeover (com 24 jogadores), Team Vanquish (até 16 jogadores).

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Mas exigia-se um modo Battle Royale, tão em voga hoje em dia, para decidir quem seria o mais forte consumidor de cérebros ou a planta mais viçosa nestes desenhos animados paramilitares. Mas esse modo… Não existe. Ganha aqui a editora, que parece ter resistido a esse impulso de tornar este jogo mais popular, num mundo que parece estar já saturado desta oferta. Plantas e zombies não se misturam nem podem criar alianças. Aliás, não podem sequer matar-se entre si, criando apenas estes dois grupos antagonistas até ao fim. Foi assim que começaram e terminarão: inimigos para sempre.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Considerações finais

Será que  Plants Vs. Zombies: Battle For Neighborville vai ser o melhor jogo de tiros que vais jogar este ano? De certeza que não. O mais preciso? Também não. Aquele que te vai divertir mais e querer fazer mais uma partida? Sem dúvida.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Plants Vs. Zombies: Battle For Neighborville não se leva demasiado a sério e nem nós jogadores o devemos fazer. Talvez não consiga agarrar assim o mais hardcore dos jogadores, mas há aqui material mais do que suficiente para entreter o casual gamer, seja pelo seu humor contagiante, pela variedade das personagens e pela agradável confusão que alguns dos modos de jogo apresentados permitem. Resta saber apenas a equipa que vão escolher… Plantas ou Zombies?

Plants Vs. Zombies: Battle For Neighborville já se encontra disponível para PlayStation 4, Xbox One e Microsoft Windows.

N.R.: A análise a Plants Vs. Zombies Return To Neighborville foi realizada numa PlayStation 4 com uma cópia do jogo, gentilmente cedida pelo EA PortugalBanner Patreon Future Behind

Plants Vs. Zombies: Battle For Neighborville - Shooter divertido mas exigente
Variedade de personagensVariedade de personagensRápido e aditivo
Grinding de personagensOnde está o modo Battle Royale?Microtransações a caminho...
4.0Valor Total
Votação do Leitor 0 Votos
Sem mais artigos