Certamente que muitos jogadores que tenham tido, nos últimos anos, interesse em jogos do estilo farming simulator já se cruzaram com o nome Harvest Moon. Esta série apareceu em 1996 com a promessa de um estilo de jogo simples, onde poderiam aproveitar a vida calma e pacata da quinta, sem a necessidade de se preocupar com salvar o mundo de terríveis vilões.

Esta série tornou-se bastante popular ao longo dos anos, nunca tendo alterado a sua formula significativamente. O personagem iniciava a sua vida numa quinta e tinha praticamente total liberdade para fazer o que desejasse. No entanto, a intenção era sempre restaurar a quinta, seja cultivando diferentes plantações ou tratando de animais investindo, no processo, nas relações sociais com os diferentes personagens que existiam no jogo.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Em 2014, devido a várias tribulações com aquisições de empresas e licenças, a série Harvest Moon alterou o seu nome para Story of Seasons, causando alguma confusão com os jogadores menos informados mas sendo a continuação oficial da série original Harvest Moon.

A 14 de julho deste ano, será lançado para Nintendo Switch o título mais recente da série, Story of Seasons: Friends of Mineral Town, um remake do jogo original Harvest Moon: Friends of Mineral Town, lançado em 2003 para o Game Boy Advance. Será que este título nos consegue dar o ritmo calmo que a série sempre prometeu?

A herança da quinta

Sendo Story of Seasons: Friends of Mineral Town um remake do título Harvest Moon com o mesmo nome, não é de surpreender que a história siga o mesmo padrão da maioria dos jogos, história essa que a maioria dos jogadores estarão familiarizados. O personagem, um rapaz ou rapariga, herda a quinta do seu avô que se encontra abandonada faz alguns anos. À sua chegada, o presidente da cidade incentiva o jogador a ficar e a restaurar a quinta, enchendo-a de plantações e animais, podendo também participar nos vários eventos que costumam ocorrer ao longo do ano.

A quinta encontra-se cheia de troncos, pedras e ervas que terão de ser limpos a fim de ser possível utilizar o terreno para cultivo. Logo no início o jogador tem disponível todas as ferramentas necessárias para iniciar as suas tarefas na quinta. Tem um martelo que lhe permitirá partir as pedras, um machado para partir troncos, uma foice para cortar as ervas e relva, uma enxada para cavar a terra e um regador para hidratar as suas plantações. Estas ferramentas, conforme vão sendo utilizadas, vão ganhando experiência que lhes permitirá desbloquear melhorias que poderão ser compradas. As melhorias de ferramentas como o martelo ou machado permitem que o jogador consiga destruir troncos e pedras maiores, algo que não consegue com os níveis mais baixos, enquanto que nas restantes ferramentas permitem executar o seu efeito numa maior área, poupando tempo ao jogador.

Este slideshow necessita de JavaScript.

No entanto, o jogador não pode simplesmente gastar um ou dois dias a limpar a quinta toda pois encontra-se limitado pela sua energia e fadiga. Cada utilização das ferramentas consome uma certa quantidade de energia, representada por frutos no canto superior esquerdo da interface e que poderá ser aumentado durante o desenrolar do jogo. É bastante importante ter em atenção à energia disponível pois caso o mesmo chegue a zero, o personagem desmaia e termina o dia, deixando tudo o que estava a fazer a meio e necessitando de mais tempo para conseguir recuperar na totalidade. A fim de evitar isso, é importante que se consuma alimentos que restaurem a energia ou passar algumas horas nas termas. Além da energia, existe ainda o sistema de fadiga, representado por uma cara na mesma zona da interface. Funcionando quase como um indicar de disposição, este nível indica quanta energia o personagem irá recuperar após cada dia. Trabalhando até muito tarde ou durante dias com tempo mais agreste irá aumentar a fadiga e reduzir a energia recuperada no dia seguinte. É possível reduzir a fadiga da mesma forma que se recupera a energia, através de uma boa alimentação e de relaxamento nas termas.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Outra componente importante do jogo diz respeito ao aspecto social. Pois a vida não é só trabalho, existe um incentivo a que o jogador crie relações com os diferentes habitantes da cidade, desbloqueando novos eventos ou recompensas, sendo ainda possível casar e formar família. Para aumentar o nível de relacionamento é necessário falar com os personagens frequentemente assim como dar-lhes prendas, sejam elas o resultado dos esforços da quinta ou mesmo itens raros que necessitam de um elevado esforço para se conseguir. Mas não basta dar algo de alto valor. É necessário também que o personagem em questão goste do item que está a receber, pois nem todos gostamos de peixe. No entanto, certamente uma das recompensas mais úteis de ligações sociais, diz respeito à relação do personagem com Nature Sprites, uns pequenos elfos que, caso gostem do jogador, estarão dispostos a ajudar na gestão da quinta, seja a regar os campos ou a tratar dos animais. Dado que a energia do jogador é bastante limitada para o tamanho da quinta, é uma boa forma de se poupar trabalho e tornar o rendimento da quinta maior.

E é assim a vida da quinta

Para além do cultivo, o jogador poderá também investir os seus esforços em animais, tendo de lhes dar atenção, alimentação para que cresçam saudáveis e ter a possibilidade de recolher diversas matérias primas com base na espécie do animal. Existem outras particularidades que o jogador terá de ter em atenção tanto para tratar dos animais como para lhes recolher as matérias primas. Alguns como vacas, coelhos ou alpacas, necessitam de ferramentas específicas que o jogador terá de adquirir a fim de lhes cortar o pelo ou tirar o leite. Por sua vez, outros animais como galinhas já não tem essa necessidade, podendo os ovos ser recolhidos livremente. Por outro lado, a alimentação destas é produzida com base em milho, que só estará disponível no Verão. Isto faz com que o jogador tenha de gastar algum dinheiro caso não se tenha preparado, caso contrário estas ficarão com fome e acabarão por não dar ovos. Por sua vez, outros animais alimentam-se de erva que pode ser cortada na quinta, podendo ser guardado o excedente no celeiro para os próximos dias.

Estas mecânicas tornam a parte de tratar dos animais bastante interessante e recompensador, principalmente por existir também um sistema de afecto do animal que, quando elevado, irá produzir matérias primas de maior qualidade sendo muito mais valiosas que as versões normais.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Além dos materiais da quinta, existe a possibilidade de recolher outros recursos espalhados pelo mapa. Estes variam entre plantas selvagens, ideais para vender, recuperar rapidamente energia ou até mesmo para cozinhar; flores, ideais para prendas ou ainda metais e gemas preciosas necessárias para o fabrico de várias ferramentas. Estas últimas encontram-se disponíveis numa gruta onde o jogador poderá partir pedras ou escavar o chão, podendo encontrar escadas que o levam a níveis inferiores. Quanto mais se for descendo na gruta, maior será a probabilidade de encontrar materiais de maior raridade, essenciais para as melhorias mais avançadas ou para se criar itens para oferecer àquele personagem especial. No entanto, é necessário que o jogador esteja preparado pois encontra-se limitado pela sua energia e caso saia da gruta terá de recomeçar a sua escavação do início.

É preciso tratar dos animais!

Sendo um remake, Story of Seasons: Friends of Mineral Town conta com novos e adoráveis gráficos, que se enquadram muito bem no ambiente que o jogo pretende transmitir, tendo também sido actualizado o aspecto dos habitantes da cidade face à sua versão original do GameBoy Advance. Foram também implementadas outras pequenas melhorias de mecânicas que frustravam os jogadores originalmente, como o facto de agora ser possível caminhar por cima das plantações quando estas já estão no estado de ser colhido.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

No entanto, apesar de mecanicamente o jogo ter várias melhorias face à antiga versão de 2003, os aspectos que não foram melhorados fazem com que este jogo fique bastante aquém daquilo que poderia ter sido, estragando a experiência para alguns jogadores. O principal problema diz respeito ao ritmo ao qual o tempo passa. Sendo um jogo que pretende criar um ambiente calmo para o jogador desfrutar, o tempo disponível para executar as tarefas do dia é incrivelmente reduzido. No momento que o jogador tenha meia dúzia de animais e poucas plantações para regar, o típico conjunto de tarefas mais repetitivas, não é incomum já ter passado mais de metade do dia, estando o jogador sem tempo para ir à cidade e sem energia que, à semelhança do tempo, reduz a um ritmo muito acelerado para a quantidade de acções que é possível fazer.

Este facto faz com que o jogador não tenha tempo para conseguir criar laços com as personagens pois muitas delas, principalmente as responsáveis por lojas, estarão inacessíveis. A agravar esta situação, não existe forma de saber onde é que certa personagem se encontra, sendo necessário o jogador decorar a sua rotina para ser eficiente. Caso contrário, é necessário percorrer o mapa à procura dessa personagem, perdendo o pouco do tempo que ainda se tinha disponível para o resto do dia.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Outro ponto que irá frustrar ainda mais os jogadores deve-se ao funcionamento das termas. Conforme a energia do personagem vai reduzindo, a forma mais fácil de a recuperar é através de uma relaxante estadia nas termas. No entanto, em vez de ser um processo automático onde o personagem entra e rapidamente sai já recuperado, é necessário estar parado enquanto a energia vai, muito lentamente, recuperando. Caso esta esteja quase no fim, isto implica que o jogador tenha de estar estático a olhar para o seu boneco durante quase dois minutos para a ter totalmente recuperada. Aliando ao anterior ponto do tempo passar de forma muito acelerada, é mais uma actividade que está a reduzir o pouco tempo disponível do dia.

Todos estes factores fazem com que um dia de trabalho na quinta seja exactamente isso, trabalho, tendo o jogador muito pouco tempo para explorar a cidade e criar relações sociais. Caso o jogador pretenda ter o seu dia maximizado, terá de determinar todas as acções com precisão, assim como conhecer as diferentes rotinas dos personagens a fim de executar uma “corrida” completando tudo no seu tempo devido. Certamente que isso poderá ser algo que cative alguns jogadores, mas sendo este um jogo que deveria servir para relaxar, este padrão causa o efeito contrário.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A nível musical o jogo fica também longe do seu verdadeiro potencial. A música é agradável e alegre, trazendo à memória dos jogadores mais antigos os bons tempos de Harvest Moon. No entanto, estas só estão presentes durante o dia e caso esteja bom tempo. Durante a noite ou dias de chuva o jogo não tem qualquer música, limitando-se a executar o som da chuva ou vento, deixando a sensação que falta algo e tornando esses períodos do dia muito menos memoráveis.

Considerações Finais

O género farming simulator é um estilo de jogo bastante peculiar. A ideia não é ter missões para salvar o mundo, nem vencer o rival em batalha. É algo feito para relaxar e saborear, quase como um processo de meditação. Harvest Moon foi o nome que durante muitos anos esteve associado a esses elementos pretendendo continuar essa associação com Story of Seasons. No entanto, Friends of Mineral Town fica um pouco aquém do seu verdadeiro potencial. Tendo o jogo original mais de 15 anos, poderiam ter sido feitas outras escolhas e melhorias que tornassem a experiência muito mais cativante e agradável.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Story of Seasons: Friends of Mineral Town não é um mau jogo. Tem os diversos elementos que se pretende deste tipo de jogos juntamente com um aspecto gráfico adorável e adequado. Mas o ritmo ao qual o dia passa está longe de ser a experiência calma que se pretende deste tipo de jogos. A agravar a situação, o jogador não tem qualquer tipo de incentivo para passar os dias acelerados do jogo, tornando-se ao fim de algum tempo um verdadeiro trabalho e muito menos uma experiência agradável.

nota 3

Clica na imagem para mais informação sobre as nossas classificações

 

+ Aspecto adorável

+ Música agradável

+ Muito para explorar

– Péssimo ritmo de tempo

– Personagens vazias

– Sistema de energia demasiado limitativo

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

N.R.: A análise a Story of Seasons: Friends of Mineral Town foi realizada numa Nintendo Switch com acesso a uma cópia do jogo, gentilmente cedida pela Decibel-PR.

Sem mais artigos