Recorrer a livros de contos ou a séries televisivas animadas para adaptar a experiências com formato de videojogo não tem sido uma experiência rica de se ver. Os anos vão passando e a média classificativa dos trabalhos executados demonstram que a qualidade que nunca foi alta, têm vindo a descer a cada lançamento.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

A ideia que por vezes passa é que quem assume a liderança na maioria das adaptações (neste caso em particular de videojogos) não tem conseguido equilibrar a vontade inicial do desenvolvimento do projeto do início ao fim, e isso faz-se notar com bastante regularidade. O conceito é bom, a execução é fraca – um clássico cada vez mais comum.

Sword Art Online: Alicization Lycoris sofre precisamente do mal que a introdução desta análise aborda – a ideia é boa, a concretização nem por isso.

A nova aventura de Sword Art Online é baseada na terceira temporada de Alicization onde pela primeira vez é dado aos jogadores um enredo de anime em formato jogável, mas que, infelizmente, para se tirar total proveito do jogo, é necessário ter algum conhecimento da série para se consiga desfrutar totalmente de tudo o que é suposto com este novo jogo. O jogador assume o papel de Kirito – um jovem com graves problemas de memória que acorda num mundo misterioso digital, onde a inteligência artificial já se encontra de tal forma aperfeiçoada que simula vida humana de uma forma incrível. Ao longo do caminho, Kirito, encontra um jovem chamado Eugeo que busca a sua irmã mais nova, Alice, e a partir daí traça um acordo de amizade que o ajudará a derrotar Administrator.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Embora a narrativa seja totalmente inspirada no anime, a forma como a execução é feita não é capaz de introduzir novos jogadores na série, nem sequer acrescenta grande volume a quem esteja a jogar por valorizar a série. A história e o arco narrativo escolhido do anime, não são os melhores, referindo-se apenas a parte do que foi presenciado. Quem gostou da série animada, e queira reviver de uma forma diferente, principalmente de uma forma interativa, pois apesar de tudo, aqui assumirá o papel de jogador e terá um papel ativo nas principais batalhas, poderá sentir-se um pouco satisfeito, mas terá de ter várias coisas em conta.

Um entretenimento desafiante a todos os níveis

Sword Art Online: Alicization Lycoris apesar de ser jogável é um autêntico atentado à paciência dos jogadores mais experientes em RPGs onde a história não é suficientemente atrativa nem tampouco as batalhas, ou a exploração. No máximo poderão ser todas as componentes juntas, que não fazem sequer um ponto de vista medíocre. Sword Art Online: Alicization Lycoris é um jogo que não demora muito para meter as deficiências técnicas logo à vista e com bastante frequência. O desempenho no geral é mau. Não será de todo exagerado dizer que se houvesse alguma forma de premiar Sword Art Online: Alicization Lycoris seria devido aos seus ecrãs de carregamento, já que é, sem dúvida, um dos jogos com mais ecrãs de carregamento com menos espaços de intervalo, e geridos de forma irracional.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Para além dos ecrãs de carregamento, as quebras de fotogramas por segundo são também uma constante, quer em combates, quer em simples rotinas de exploração, ou até mesmo durante as simples animações de diálogos. Em termos visuais, Sword Art Online: Alicization Lycoris, poderá estar até mesmo equiparado a jogos da geração passada, só que nem por isso tem um desempenho médio perante as melhores obras daquela geração. O que é bastante pobre para a atualidade, onde a transição de gerações está praticamente ao virar da esquina, e ainda se presencie títulos com este orçamento a saírem neste estado.

Um produto para fãs, mas apenas para os mais acérrimos

Sword Art Online: Alicization Lycoris é um produto que busca os fãs da série e é com isso que se tenta safar entre os pingos da chuva, mas sem qualquer margem para se arriscar a conquistar novos adeptos. O sistema de combate de ação tal como foi pensado é bastante interessante, mas demora a abrir e embora seja difícil de dominar, nem sempre é justo e coerente, levando a que simples ataques não tenham uma projeção natural e a massificação de ataques especiais se façam notar.

A dificuldade do jogo é variável, não dá para se sentir uma curva de dificuldade como geralmente é frequente assistir em RPGs, a personagem deveria ficar forte aos poucos e o seu poder fazer-se-ia sentir consoante o seu progresso na jornada. Ainda assim, a variedade de inimigos é muito aceitável e alguns combates contra chefes oferecem picos de adrenalina desafiantes, o problema é que nem sempre a execução é bem feita, e as quebras de interação, com problemas de desempenho fazem diminuir a diversão.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

A forma de se gravar os dados do jogo também é feita de uma forma meio irracional, sendo que se trata de um RPG e as horas de jogo podem variar na forma como cada jogador joga, ou seja, uma jornada pode não se limitar a seguir na história principal, mas sim a acompanhar com demandas paralelas ou a simples explorações pelos cenários, contudo Sword Art Online: Alicization Lycoris não dá a opção ao jogador de gravar quando bem lhe apetece, dando-lhe essa possibilidade apenas de forma automática, o que poderá ser trágico depois de batalhas duras e de feitos difíceis, e existir um fim de jogo não esperado.

Para além disso, a forma como os menus estão ajustados também não é exímio de afinidade para quem está a jogar, os controlos não são práticos e levarão a que os jogadores se habituem a simples passos que já são mais que comuns de se presenciar em jogos do género.

Considerações Finais

Sword Art Online: Alicization Lycoris é um título com vários problemas técnicos com alguns propósitos interessantes só que com uma concretização muito aquém do que seria expectável. Carregar às costas o nome de uma série já com alguma admiração no campo do entretenimento, traz também alguma responsabilidade no momento em que se disponibiliza para o mercado e se busca primeiro agradar os principais consumidores da franquia. Há, também, uma inegável forma de não tentar aliciar novos jogadores, pois a forma como toda a narrativa se desenrola, não é de todo compatível com principiantes na série.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Sword Art Online: Alicization Lycoris mesmo com os problemas técnicos que podem ser resolvidos com futuras atualizações, é no geral um título pobre em todas as outras componentes. As animações são fracas, graficamente não se destaca, a história não é bem desenvolvida, a exploração e os ambientes parecem da geração passada, contudo, no meio disto tudo, salta à vista as batalhas, que podem enfim trazer alguma diversão, pois a ideia base é boa, mas demora imenso a desenvolver-se com a condicionante de nem sempre ser regular.

É um jogo a pensar nos fãs da série, e como tal, mesmo quem gosta dela, terá de ir com cuidado para não sair completamente desiludido.

nota 1

Clica na imagem para mais informação sobre as nossas classificações

+ Uma proposta que pode agradar os fãs da série

+ Sistema de combate interessante, mas…

– Voltando ao sistema de combate… a forma como é feita não está totalmente ajustada

– Tecnicamente depressivo

N.R.: A análise a Sword Art Online: Alicization Lycoris foi realizada numa Playstation 4 com acesso a uma cópia do jogo, gentilmente disponibilizada pela Bandai Namco Entertainment Europe

Sem mais artigos