O estúdio Francês DontNod Entertainment é bastante conhecido, principalmente depois de lançar títulos como Vampyr e Life is Strange, e agora está de volta com uma nova aventura gráfica – Tell Me Why. Na nova aventura seguimos a vida dos irmãos Ronan, Tyler e Alyson usam a sua ligação especial para conseguir voltar a memórias de uma infância nem sempre feliz, enquanto procuram respostas para o evento que mudou, para sempre as suas vidas.

Tell Me Why é um thriller que se mostra lento, mas emotivo e sempre capaz de nos transportar para a pequena cidade de Delos Crossing no Alaska. Intimista na sua raiz, o jogo trazido pela DontNod é também o primeiro a apresentar uma personagem Transgénero como protagonista, e sobre isto o estúdio diz que “o facto do Tyler ser um homem transgénero faz parte da história, mas não é o centro da história. A relação entre  Tyler e Alyson, bem como a sua jornada para descobrir o passado, é o foco de Tell Me Why.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Antes de passarmos à análise deste primeiro capitulo importa referir que, consciente que Tell Me Why, apresenta temas fortes para a sociedade, o estúdio Francês decidiu juntar-se as organizações como a GLAAD e a membros da comunidade para assim “representar todos os temas do jogo de forma refletida e respeitosa”. Existe ainda uma FAQ que pode ser consultada.

Uma década depois Tyler e Alyson estão de volta à cidade onde nasceram e onde aprenderam que tinham uma ligação muito especial, uma ligação única entre estes dois gémeos que acaba por ser uma das principais mecânicas de Tell Me Why, já que é com este “bond” que vão conseguir viajar através das suas memórias.

Uma história, duas memórias

Entramos no mundo de Tell Me Why ao explorar os quartos das duas personagens principais, é aqui que vamos perceber como interagir com o ambiente à nossa volta. Nos diferentes cenários que vamos encontrando ao longo deste primeiro episódio são muitos os objetos com que podemos interagir para assim ficar a perceber mais da história dos gémeos e temos ainda alguns colecionáveis que podemos encontrar se estivermos com atenção, já que não existe qualquer tipo de indicação da proximidade dos mesmos, acabando esta situação por fazer todo o sentido já que estamos dentro de um jogo bastante focado na narrativa e este tipo de indicadores poderia estragar a imersão que a mesma nos proporciona.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Ao começar a explorar os cenários, bem como a relação entre os irmãos, depressa percebemos que a sua ligação é especial, diríamos até que é sobrenatural. Tyler e Alyson conseguem partilhar memórias, reflexos do passado que aparecem no presente para nos ajudar a seguir em frente enquanto continuamos a aproximar os dois irmãos que há tanto tempo não se viam. Estas memórias em forma de reflexo podem ser vistas tanto por Alyson como por Tyler, no entanto, os dois irmãos podem ter construido a memória de forma diferente e por isso lembrar-se-são do mesmo evento de forma bastante distinta… É aqui que entramos nós, já que cabe ao jogador ver as duas memórias e acabar por decidir qual é que faz mais sentido, qual é que parece mais apropriada para então continuar a narrativa.

Tell Me Why é muito isto, cada conversa, cada memória, cada decisão vai alterar a forma como a narrativa se desenvolve e como os dois irmãos se conectam. Depois do primeiro episódio ficamos com a ideia que também os NPCs podem ter reações e ligações diferentes, tendo em conta as escolhas que vamos fazendo, mas isto será algo que desenvolveremos durante os próximos dois episódios.

O primeiro episódio, embora lento ao início, acaba por ganhar algum ritmo (nunca muito) na fase final e acaba por terminar de forma quase perfeita para um jogo que foi pensado para ser vivido em três episódios lançados com pouco espaçamento entre os mesmos. A forma como acaba é capaz de nos deixar a pensar, durante a semana em que esperamos pelo próximo episódio, sobre tudo o que vivemos e tudo o que pensávamos que sabíamos sobre estas primeiras três horas de Tell Me Why.

This slideshow requires JavaScript.

Conversas que importam

Tell Me Why leva-nos para uma história em que acabamos por perceber as dificuldades que uma pessoa, vista pela sociedade como diferente, enfrenta nessa mesma sociedade. Desde frases “inocentes” a olhares diferentes, Tell Me Why mostra tudo isso de forma muito crua, muito simples e bastante direta. A forma como o jogo está construido leva-nos a ficar bastante envolvidos na e com a história pelo que todas estas situações são fáceis de identificar.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Todos os cenários apresentam texturas de bom nível, sendo bem notório o trabalho da DontNod Entertainment neste novo trabalho. Mesmo nunca sendo desafiador, pelo que pode ser jogador por jogadores de todos os níveis, o thriller agora disponível para Xbox One e Windows PC, apresenta alguns puzzles que levam os jogadores a explorar cada um dos cenários e isto acaba por ser uma boa adição a esta aventura focada na narrativa.

Os únicos momentos que podem estragar os momentos de imersão deste primeiro capitulo de Tell Me Why são quando conversas com NPCs estão mal sincronizadas o que faz com que ao interagir com uma personagem o segundo irmão, continue a falar se já o estivesse a fazer e isto pode tornar as coisas um pouco confusas. Para além disto deixar apenas a referência para o facto de qualquer interação com NPCs criar a possibilidade de um loop infinito, já que as opções de conversa são sempre as mesmas e nunca desaparecem depois de as termos usado. Ou seja, podemos ter uma conversa, dar uma volta pela sala, e voltar ao mesmo NPC e ter exatamente a mesma conversa…

Fim do Capítulo 1

Tell me Why mostra bem para aquilo que vem, um thriller com uma vertente narrativa muito forte e que faz quase tudo muito bem. A arte, não sendo ultrarrealista, apresenta-se de forma natural e sem grandes falhas e a representação das personagens apresenta um bom nível. Tudo isto faz com que seja impossível não ficar vidrado na história durante as cerca de três horas que se demora a concluir este primeiro capítulo.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Como já referimos, Tell Me Why é um título possível de ser jogado por toda a gente, independentemente do seu nível com o comando ou do quão fechada é a sua mente. Correndo o risco de parecer-mos rudes, aconselhamos até esta nova aventura da DontNod Entertainment a pessoas com a mente mais fechada… pode ser que ajude. Cá estaremos, no dia 3 de setembro, para falar sobre o segundo capítulo, até lá aproveitem e joguem o primeiro, está disponível no Xbox Game Pass para Xbox One e Windows PC

+ Narrativa forte e bem construida

+ Possibilidade de seguir vários caminhos tendo em conta as nossas escolhas

+ Nível de imersão ideal para o tipo de jogo

– Algumas falas podem ficar sobrepostas quando interagimos muito rápido com duas personagens diferentes

– Opções de conversa por vezes podem ser um pouco limitadas

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

N.R.1: A análise ao primeiro capítulo de Tell Me Why foi realizada numa Xbox One X com acesso a uma cópia do jogo, gentilmente disponibilizada pela Xbox Portugal

N.R.2.: A análise a Tell Me Why será realizada, tal como o jogo, em três capítulos estando o próximo disponível no dia 3 de setembro. A nota final será data no final do terceiro capítulo.

Sem mais artigos