The Outer Worlds foi lançado em outubro de 2019, agora, quase um ano depois surge o seu primeiro DLC – The Outer Worlds: Peril on Gorgon DLC.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

O primeiro conteúdo adicional para The Outer Worlds – Peril on Gorgon – promete dar-nos mais uma aventura no universo criado pela Obsidian, adicionando uma nova localização, novas missões, diálogos, novas personagens e mais de The Outer Worlds, o que é sempre bom.

Para o espaço! Outra vez!

Como já devem ter reparado, Gorgon é a nova localização, um planetoide em que a Halcyon Corporation colocou em tempos umas instalações de pesquisa, agora abandonada, onde até os locais se questionam o que raio ali se investigava. Não é um mapa enorme, porque podemos atravessá-lo em poucos minutos, mas aliando o local ao contexto da história, conseguimos ter algumas horas de exploração para fazer até terminarmos este DLC. Existem inimigos novos, principalmente criaturas não humanoides e, enquanto não encontramos o cientista perdido em Gorgon (sem spoilar nada), podemos rumar ao bar mais próximo para falar com os locais ou mesmo explorar cavernas luminescentes cheias de perigos que nos dão novos desafios.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Se jogarem Peril on Gorgon sozinhos descobrem rapidamente que o limite de nível aumentou com esta expansão e isso é uma coisa sempre boa, porque podem continuar a exploração habitual e já não estar restringidos. É bom também porque alguns inimigos podem ser desafiantes e podemos fazer grind antes de ir para Gorgon passear. Gostávamos que houvesse mais variedade de inimigos e perigos, mas definitivamente cola bem ao resto do universo já criado. As novas personagens são interessantes e as opções de diálogo ainda mais, e enquanto a história nos quer deixar pregados a ela até ao fim, adivinhamos desde cedo quem é o misterioso antagonista.

Mas…

Ainda há coisas que não faz bem. Graficamente não é o jogo mais bonito (também não tem de ser, mas um jogo de fim de vida de geração tem de dar mais), tem algumas falhas técnicas como quebra de frame rate e ocasionalmente sentimos desfasamento na voz dos diálogos.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Mas o pior será a condição que o jogo nos põe para iniciar o dlc. Um título deste género, rico em narrativa em que para começar a jogar ao dlc, não podemos ter acabado o jogo. Confusos? Quem gosta deste género joga até ao fim, no entanto existe uma “janela” para entrar no dlc, que se encontra entre uma certa missão e antes de entrarmos na parte final. Quem terminou, ou tem muitos pontos de save espalhados pela história principal e consegue entrar logo, ou tem de começar de novo… sendo este último o nosso caso. Um pouco inexplicável quando se lança conteúdo adicional quase um ano depois de o jogo base ter chegado ao mercado.

Considerações finais

Não podemos adiantar muito mais sem spoilar, mas se não gostaram de The Outer Worlds, obviamente não é este conteúdo adicional que vos vai converter, não faz nada de realmente novo. Contudo, tem seções de investigação interessantes pelas opções de diálogo que abre em certos NPC’s, que é uma das melhores coisas que a Obsidian consegue trazer para os seus jogos.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Peril on Gorgon, é sem dúvidas das melhores partes do jogo e contém missões secundárias que nos levam a explorar todo o seu mapa. Como dissemos, não faz nada de novo, mas faz algo que todos queremos, que é mais The Outer Worlds. Esperemos que a próxima expansão traga mais e melhor.

nota 3

Clica na imagem para mais informação sobre as nossas classificações

+ Personagens e diálogos

+ Expansão sólida

+ Mais The Outer Worlds

– História previsível

– As condições para se conseguir jogar ao dlc

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

N.R.: A análise a The Outer Worlds: Peril on Gorgon DLC foi realizada numa Xbox One com acesso a uma cópia do jogo, gentilmente disponibilizada pela Best Vistion PR

Sem mais artigos