Crossfire X é a continuação do original de 2008, numa altura em que Counter Strike era rei e senhor dos FPS baseados em equipas. Notando-se bem o porquê da “cópia” de um modelo vencedor.

A Smilegate aliou-se à Remedy (que irá criar uma campanha singleplayer) para nos trazer um jogo mais composto, mas o centro de Crossfire X será sempre o multijogador e foi isso que testámos na beta fechada até 24 de junho.

Crossfire X, exclusivo temporário da Xbox One, suporta até 16 jogadores e oferece-nos para testar dois modos, clássico e moderno.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

O modo clássico, que bebe diretamente da fonte de inspiração que é Counter Strike [CS], apresenta-se como o modo para quem gosta de CS, e preparem-se, porque se estão neste grupo, vai ser ultra viciante, já que até os mapas são semelhantes na abordagem que tem que ser tomada pelo jogador. Mas para quem é novo neste estilo de FPS, vai ser complicado jogar num estilo tão “antigo”, já que não podemos correr, ou seja, ter duas velocidades na progressão no mapa nem apontar a arma na sua mira como quase todos os shooters fazem hoje em dia. Estas mecânicas existem sim no modo moderno de Crossfire. Os objetivos em mão são como os de CS – Colocar uma bomba num dos pontos a demolir enquanto atacamos, proteger esses mesmos pontos a defender. De resto, é  vossa colocação tática no mapa que mais vai contar… Isso e ao ver um inimigo, disparar primeiro.

O modo Crossfire X, aquele a que chamamos de modo moderno. já se faz sentir como todos os jogos desta geração, já podemos correr, mirar a nossa arma e até fazer respawn quando morremos. Aqui lutamos por controlo territorial, o que faz com que este modo nos dê um jogo mais rápido e um pouco mais apelativo, também por ser mais atual, principalmente para quem está habituado aos Call of Duty desta vida.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Existem partes interessantes: ao alcançarmos pontos suficientes conseguimos equipar o nosso soldado com habilidades para, por exemplo, progredir mais rápido pelo mapa ou equipar diferentes loadouts como um escudo e uma pistola automática, o que nos dá diferentes maneiras de atacar os 3 mapas que nos foram oferecidos nos dois modos nesta antevisão. Ao encontramos uma arma à qual nos adaptamos rapidamente, seja ao seu recoil ou cadência de tiro, não queremos mais nada, sentimos que finalmente temos ali a nossa companheira de batalha que nos vai salvar a vida.

De salientar, por fim, que Crossfire X tem data de lançamento ainda para 2020 e que poderá ser uma opção viável no mundo dos shooters até porque oferece diversidade para o jogador. Quem é mais old school joga o modo clássico e quem quer uma versão deste universo mais virada para a atualidade, em termos de jogabilidade, também tem aqui um jogo que tem bons controlos (depois de perdermos um pouco de tempo a afinar estas opções). Tudo isto, tendo sempre em mente o facto de termos a Remedy a preparar um modo campanha. Pode sair daqui um produto bem interessante.

N.R.: A antevisão a Crossfire X foi realizada numa Xbox One com acesso a uma chave para a fase beta privada. Chave gentilmente cedida pela Xbox Portugal

Sem mais artigos