Este fim-de-semana pudemos experimentar o grande e antecipado novo título da Bioware, estúdio que já nos trouxe grandes jogos no passado, como por exemplo a saga Mass Effect ou Dragon Age. Como seria de esperar o entusiasmo estava em alta para experimentar o que esta nova saga nos reserva. Falamos pois claro de Anthem!

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Até agora, o que sabemos sobre Anthem é muito pouco, mas o cenário que a Bioware nos apresenta é um mundo inacabado, perdido, abandonado pelos seus criadores. Sabemos no entanto que The Anthem é a fonte da criação do mundo e quando os criadores o abandonaram, o poder do Anthem começou a libertar cataclismos sobre esse mesmo mundo, corrompendo todos que tentavam obter o seu poder.

Para sobreviver, os nossos antepassados, criaram os Javelins, poderosos fatos que dão poderes e força super-humana a quem os usa. O futuro da humanidade depende de um grupo de pilotos de Javelins chamados os Freelancers.

“Suit up!”

Realmente fomos uns sortudos por ter conseguido jogar, pois houve muitas pessoas que tinham o acesso e não conseguiram, o fim de semana marcou negativamente esta demo devido aos problemas com servidores que acabam por afetar em grande parte a Europa, e todas as plataformas.

No primeiro dia de Demo, Sexta-feira, quando os problemas começaram a Bioware emitiu um comunicado com a informação que mais servidores estariam a ser colocados online para tentar arranjar espaço para todos que queriam experimentar Anthem, mas no Domingo ainda havia pessoas com problemas.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

A versão testada, cedida pela EA Portugal, foi a demo para Windows PC, o que claramente deu para perceber que esta versão foi “criada” em cima da data, pois todos os menus, navegação e interações da mesma estavam feitas para consola. Como a internet não perdoa, rapidamente vários jogadores inundaram Reddit e Twitter com publicacoes sobre o problema.

Isto leva-nos para o maior problema que afetou em grande parte os jogadores que escolheram testar o jogo em Windows PC… o loading infinito. De forma aleatória, e por causa ainda desconhecida, na versão Windows PC sempre que tivemos um loading tínhamos também a probabilidade de entrar em Loading infinito. Felizmente, com alguma experiência de jogo, a Squad do Future Behind já sabia detectar um loading infinito de um “bom load”.

“Se aparecem os triângulos, estamos okay!”

Assim que finalmente conseguimos entrar na demo de Anthem, começamos imediatamente uma missão, onde conseguimos ver três partes até chegar ao “fim do demo”. Tanto quanto conseguimos perceber, esta missão trata-se de uma missão que será secundária na versão final do jogo. Depois de terminar esta missão, podemos então experimentar uma dungeon ou fazer free roam  em duas zonas do planeta onde nos encontramos. A demo coloca o jogador a nível 10 assim que começa a jogar sendo que a evolução estava limitada a nível 15.

Apesar dos problemas de servidores, da versão Windows PC não ter sido pensada melhor para esta demo e também os problemas mais críticos como os aleatórios loadings infinitos que obrigavam os jogadores a ter de sair do jogo e voltar a entrar, apesar de tudo isso… a Squad do Future Behind não pode esperar para voltar ao Anthem.

O mundo de Anthem é das coisas mais incríveis que vimos em videojogos recentemente, a qualidade gráfica deste jogo é abismal… ficamos de boca aberta enquanto voávamos dentros dos nossos javelins a explorar o mundo que nos rodeia. De vez em quando, e inconscientemente, um membro da Squad lá dizia…

“Este mundo é mesmo bonito…”

Inevitavelmente este passeio zen pelo mundo acabava abruptamente quando uma horde de inimigos começa a atacar. E aqui é onde o jogo continua a surpreender cada vez mais.

Existem 4 javelins, que podemos escolher. Sendo eles o Ranger, um javelin bastante versátil e capaz de se adaptar a diversas situações. Este foi javelin inicial escolhido para todos os participantes da VIP demo weekend. Da nossa experiência, este será talvez o melhor javelin a selecionar como primeiro javelin quando o jogo sair. Para além de ser bastante versátil, é o único que consegue provocar combos de skills sozinho, o que será uma excelente ajuda no progresso de leveling.

Assim que chegamos a nível 12 (neste demo), desbloqueamos a possibilidade de desbloquear um segundo javelin. A informação que temos é que na versão final do jogo iremos ter um javelin tutorial até nível 2, onde desbloqueamos o nosso primeiro javelin. Depois os próximos serão a nível 8, 16 e 24. Quando chegamos a estes níveis é dado ao jogador um crédito, que pode ser trocado por um javelin, desta forma podemos desbloquear todos os 4 javelins pela ordem que for do nosso interesse.

Para além do Ranger, temos o Colossus, o maior de todos os javelins! É incrível o tamanho desta maquinaria pesada ao lado dos outros javelins. O papel do Colossus é  ser um tank, é para quem gosta de ir po meio da batalha e fazer maior dano às suas vítimas. Sendo um Colossus e fazendo jus ao seu nome, é o javelin bastante lento, e isso nota-se mesmo nos seus poderes, que em comparação com os outros javelins demoram sempre mais uns segundos para serem ativados.

O Interceptor é um javelin muito ágil e capaz de entrar e sair do seio da batalha muito rapidamente. Consegue fazer um grande volume de dano, e realmente brilha quando tem um companheiro Colossus ao seu lado, pois este consegue estar a “entreter” e chamar os inimigos, enquanto o Interceptor chega e faz o inimigo arrepender-se de não ter prestado atenção.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Finalmente temos o Storm, este é um javelin um pouco diferente dos outros. Este é um javelin dos elementos, no fundo assemelha-se a um feiticeiro que vemos em outros RPGs. Este javelin tem a particularidade de conseguir estar mais tempo a sobrevoar o campo de batalha que os os seus companheiros. Isto permite que este consiga fazer enormes quantidades de dano sem estar em qualquer perigo.  

Cada javelin tem 4 poderes que pode usar, e personalizar com as recompensas que vai recebendo ao longo do jogo. Para além destes poderes podemos equipar armas de fogo, existindo várias á nossa disposição. Durante o combate, cada jogador terá de usar os seus poderes enquanto dispara sobre os inimigos… é aqui que a diversão começa.

“Uma sinfonia de poderes especiais e explosões espetaculares!”

Os efeitos visuais destes poderes estão incríveis, transmitem ao jogador uma sensação de satisfação como não há igual. Como se isso não chegasse os poderes podem fazer combos com os poderes de outros javelins… existem situações onde uma horda de inimigos aparece e logo a seguir a Squad pulveriza estes inimigos com um combo de poderes.

Todos estes poderes e combos tornam-se extremamente importantes quando as Squads se juntam para completar uma dungeon. Felizmente a Bioware disponibilizou uma dungeon durante esta demo para dar um pequeno cheirinho do que está preparado para todos nós em Anthem.  Este contudo foi das melhores experiências que tivemos em comparação com cenários idênticos de outros títulos. A dungeon que tivemos o prazer de experimentar, leva o jogador por diferentes cenários, tendo zonas exteriores com paisagens que contrastam com o caos do campo de batalha, entramos em grutas medonhas cheias de casulos e criaturas que explodem ácido em todas as direções,  e até secções que se passam debaixo de água! A diversidade e beleza de todo o ambiente em torno do jogador é algo que nos faz querer voltar.

Finalmente chegamos a batalha final, o grande boss  final da dungeon disponível no demo. Entramos numa sala, enorme, redonda e sem saída… Os elementos da Squad olham uns para os outros, todos sabem o que está prestes a acontecer… Nisto só se ouve o enorme rugido… vem de uma criatura com 10 vezes o nosso tamanho que por sua vez está a sair de um burado no teto. Assim começa esta batalha incrível e separada em várias fases… aqui a Squad tem de realmente estar em sintonia para conseguir o seu objetivo, pois não se trata de uma vitória garantida.

Considerações finais

Esta VIP demo weekend, teve um começo difícil, teve problemas, e vários bugs. Mas o que está por baixo é uma pedra preciosa à espera de ser polida. Esperemos que a Bioware consiga ter o jogo numa versão mais estável e resolver alguns dos problemas já reportados pela entusiástica comunidade antes da data de lançamento.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Anthem deixou-nos com muita sede por mais… o potencial deste título é incrível. Mal podemos esperar por as nossas mãos na versão final do jogo, disponível a 22 de Fevereiro para PlayStation 4, Xbox One e Windows PC.

Para os que não tem a certeza se Anthem será o jogo para eles, podemos recomendar o Origin Access Premier. Este serviço custa €14.99 por mês e dá-nos acesso a todos, ou quase todos, os títulos publicados pela EA. E sim, isto inclui os novos títulos e até são dadas benesses como acesso antecipado. Usando este serviço podemos jogar um novo título durante 1 mês, pelo valor indicado, e experimentar o título sem ter de desembolsar o custo total dele.  Adicionalmente existe o serviço anual por €99,99/ano, e se acham que é um valor elevado, basta pensarem que se comprarem 2 jogos da EA nesse ano, já estão a poupar dinheiro.

N.R.: O artigo de preview de Anthem foi realizado num Lenovo Legion Y720 com acesso a uma chave para o VIP Weekend gentilmente cedida pela EA Portugal

Sem mais artigos