Hoje a introdução ao tema do dia é diferente pois merece ser diferente. Por norma escrevemos um enquadramento sobre uma das notícias em destaque, mas hoje vamos falar da tentativa de golpe de estado na Turquia e da ironia do momento relacionada com as redes sociais. Quando se soube que os militares tinham saído à rua foram centenas os turcos que começaram a transmitir em direto no Facebook ou a comentar no Twitter a situação. Nas redes sociais espalharam-se também imagens de momentos de maior tensão. O presidente turco, Recep Tayyip Erdoğan, apelou por meio de uma entrevista em direto feita através do Face Time que o povo viesse para a rua. A ironia de tudo isto é que além de as redes sociais terem representado um papel importante na difusão desta mensagem, nem por isso as plataformas online deixaram de ser ‘estranguladas’ – como tantas vezes já aconteceu na Turquia. Facebook, Twitter e também o YouTube foram alegadamente limitados por forma a tornar a sua utilização e as partilhas muito mais lentas, reporta a Motherboard. As redes sociais não podem ser usadas como ferramentas de conveniência, mas parece ter sido isso que aconteceu.

Bom início de fim de semana.

Apple propõe novo modelo de royalties para streaming de música: A proposta que a marca da maçã apresentou prevê um pagamento de 9,1 cêntimos aos artistas por cada cem transmissões em serviços de música por streaming. O movimento é visto como uma pressão sobre serviços como o Spotify que têm uma boa parte dos seus utilizadores com base num modelo gratuito e que veriam aumentar o seu encargo com estes utilizadores.
Fonte: The New York Times



NASA mostra o novo rover marciano: Ainda não tem nome, mas já é conhecido o seu aspeto e também os instrumentos de investigação que vai levar a bordo. O novo rover da NASA vai partir em viagem no verão de 2020 e deverá chegar a Marte em fevereiro de 2021. Por exemplo, este novo robô conseguirá recolher e armazenar amostras, algo que os rovers atualmente no planeta, como o Curiosity, não fazem.
Fonte: The Verge

Netflix vai permitir a criação de playlists: Criar uma lista de séries ou filmes para ver não é algo tão fácil de consumir como uma playlist de músicas, mas o Netflix decidiu disponibilizar a funcionalidade Flixtape na mesma. O objetivo é que os utilizadores criem uma lista com os seus conteúdos preferidos e partilhem com outros utilizadores. É fácil de imaginar o amigo cinéfilo lá do grupo a aderir à moda e a fazer recomendações aos restantes elementos. Desta forma o Netflix garante uma maior interação entre os seus utilizadores, assim como uma vertente mais humana que complementa os seus algoritmos informáticos.
Fonte: Flixtape [Netflix]

Windows 10 abaixo das expectativas: O número de 350 milhões de dispositivos até podia ser motivo de celebração para a Microsoft pois conseguiu uma taxa de conversão de utilizadores muito significativa em apenas um ano. O problema é que este número coloca em causa as previsões da empresa que apontavam para mil milhões de dispositivos com Windows 10 até 2018. A tecnológica não se compromete com nova data, dizendo apenas que vai demorar mais tempo que o previsto a atingir o marco.
Fonte: ZDNet

Twitch agora permite segmentar transmissões por idioma: A plataforma reúne uma comunidade global de jogadores, mas faz sentido que alguns utilizadores tenham maior afinidade ou queiram conhecer os streamers que falam o seu idioma. Os filtros multi-idioma vão surgir no canto superior direito dentro dos canais de determinados jogos. O português é uma das linguas suportadas.
Fonte: Twitch [Blogue]

Sem mais artigos