Numa altura em que o popular sistema operativo da Apple chega à sua décima grande versão, a marca da maçã decidiu no evento de apresentação do software escolher aquelas que são as dez novas funcionalidades mais significativas para os consumidores. Havia muitas mais, tal como salientou o vice-presidente para o segmento de software, Craig Federighi, mas estas são aquelas que vai querer saber.

Há um pormenor a salientar: nem tudo o que hoje foi apresentado poderá estar disponível em Portugal quando o iOS 10 for lançado no outono. Mas com a disponibilização da preview já hoje para os programadores e com a chegada de uma beta pública em julho, não tardará até que todas as dúvidas fiquem clarificadas.

O iOS 10 fica marcado por um redesenho de quase todos os principais serviços nativos da Apple. A tecnológica está a alinhar o sistema operativo para que todos fiquem com a sensação de que o smartphone tem um ar renovado.

Se tem um iPhone ou um iPad, isto é o que precisa de saber sobre o novo iOS 10.

1. Ecrã de bloqueio mais prático. Uma boa parte da experiência de utilização em torno do ecrã de desbloqueio do iPhone foi alterada. Em primeiro lugar o utilizador agora só precisa de pegar no smartphone para que o ecrã ligue e mostre quais as notificações que estão em espera.

E não são notificações quaisquer: estão muito mais ricas em termos de funcionalidades. Pode manter uma conversa através do iMessage sem desbloquear o smartphone ou pode saber, em direto, onde está o uber que requisitou.

ecra-bloqueio-ios

Algumas das novas funcionalidades do ecrã de bloqueio: ao pressionar na notificação da mensagem vai surgir-lhe a conversa e a opção de responder ali mesmo

As notificações do ecrã de bloqueio vão ganhar suporte para a tecnologia 3D Touch. Agora ao pressionar com mais força nas notificações vão surgir várias opções relacionadas com esse alerta para que possa, ali mesmo, marcar como lido, eliminar ou arquivar para mais tarde.

A Apple incluiu ainda novos gestos no ecrã de bloqueio. De deslizar da esquerda para a direita vai ter um atalho de acesso à aplicação da câmara fotográfica. Se for da esquerda para a direita vai ter acesso aos widgets inteligentes do sistema operativo.

2. Siri para os programadores. A tecnolóigica de Cupertino diz que todas as semanas a Siri responde a dois mil milhões de pedidos dos utilizadores. A Apple quer dar mais força à assistente digital e para isso vai disponibilizar uma API para possa ser integrada em serviços externos.siri-programadores-ios

Poderá usar a Siri para utilizar serviços de messaging como o WeChat, WhatsApp, Slack, serviços de transporte como a Uber, serviços de imagens como o ShutterFly ou Pinterest, serviços de fitness como o Runkeeper ou Map My Run, aplicações de pagamento como a Square ou de videoconferência como o Skype.

A integração da Siri com estes serviços também vai estar disponível no CarPlay e é aqui que pode fazer uma tremenda diferença: enviar mensagens pelo WhatsApp sem tirar as mãos do volante e os olhos da estrada. Vantajoso certo?

3. Teclado mais inteligente. Com a Siri a ganhar inteligência a cada dia que passa, a Apple decidiu pegar neste sistema e integrá-lo no teclado do iPhone. É como se a Siri estivesse adormecida, mas conseguisse fazer as suas recomendações sempre que o utilizador precisa delas.

Se alguém lhe enviar uma mensagem a perguntar ‘Onde estás?’, o teclado do iPhone vai sugerir como resposta a partilha da sua localização. Este foi apenas um dos exemplos dados durante a WWDC16.

4. Aplicação de fotos também mais inteligente. A Apple está a pegar nas suas tecnologias de inteligência artificial e está a integrá-las em aplicações do sistema operativo para elevá-las. Um desses casos é a tecnologia de reconhecimento visual que vai ajudar a fazer uma melhor gestão das fotos. Também haverá reconhecimento de objetos e cenários para uma catalogação automática mais eficaz.

album-fotos-apple

O novo sistema de criação automática de álbuns [à esquerda] e o renovado sistema de pesquisa suportado por uma catalogação mais eficaz [à direita]

Ao perceber melhor as imagens a aplicação de fotografias vai ser capaz de relacioná-las e usar estas ligações para criar ‘memórias’. No final da app do álbum de imagens vai haver um separador chamado ‘memórias’ que vai levar o utilizar para uma curadoria de fotos, vídeos e momentos já passados. Na prática vai fazer um pouco aquilo que o Google Photos também já fez em termos de organização e criação automática de combinações de fotografias, mas o sistema da Apple parece estar um patamar acima na relação de proximidade que pretende estabelecer. Quase que podemos dizer que é mais ‘emocional’.

A aplicação de fotos vai agora também criar filmes de forma independente e há uma funcionalidade interessante: o utilizador pode definir o ‘humor’ do momento e isso vai alterar por completo, em segundos, a composição do vídeo.

5. Nova aplicação de mapas. Quando receber o iOS 10 no smartphone ou tablet a aplicação de mapas vai estar completamente diferente. O serviço será mais pró-ativo e vai ter sempre recomendações para o utilizador com base no contexto do acesso. Se estiver na hora de ir para o trabalho, por exemplo, vai sugerir os melhores trajetos.

Outra novidade é a possibilidade de pesquisarmos por restaurantes na proximidade e podermos reduzir os resultados tendo por base o estilo de comida que queremos consumir.

Durante a navegação a aplicação vai fazer ajustamentos automáticos à visualização do mapa para sabermos como está o trânsito mais à frente da nossa posição. E através da integração com outras aplicações será possível encontrar restaurante, fazer reserva, chamar um transporte e pagar sem sair da aplicação de Mapas.

6. Apple Music também de cara lavada. Atualmente são 15 milhões os subscritores do serviço de música por streaming da marca da maçã. O novo design traz uma maior claridade e simplicidade ao interface e também à experiência de utilização.novo-apple-music-ios

Agora quando entramos na aplicação vamos diretamente para a nossa biblioteca de músicas. Há no geral um maior detalhe relativamente à parte visual da reprodução de álbuns e a Apple vai incluir também as letras das músicas para que possa cantar enquanto ouve.

Os separadores seguintes da aplicação têm agora um maior componente de curadoria, isto é, focam-se muito na recomendação de novas músicas e grupos tendo por base não só o gosto dos utilizadores, como dos especialistas que a Apple tem a trabalhar no Music.

7. Apple News com nova alma. São já duas mil as publicações mundiais que fazem parte do serviço de notícias da tecnológica de Cupertino e ao todo são 60 milhões os utilizadores ativos. Há um novo aspeto visual, muito em linha com o que a Apple criou para o Apple Music. Haverá também curadoria de notícias, suporte para publicações em modelo de subscrição e notificações para as notícias que são consideradas como de última hora.

8. Apple Home e como controlar a casa inteligente. A gigante norte-americana diz que quase todos os produtores de equipamentos inteligentes para a casa suportam o Homekit. Esta força de mercado levou a Apple a desenvolver a aplicação Home, uma que permitirá controlar, a partir de um único local, as várias appliances que tem na casa. Quando abre a aplicação vai conseguir ver todos os seus equipamentos conectados e poderá controlá-los de forma fácil, basta ativar um botão, por exemplo, para gerir um segmento específico de acessórios como a iluminação.

Há perfis inteligentes chamados Scenes: se disser ‘bom dia’ à Siri ela vai perceber que deve iniciar um conjunto de ações – como levantar as persianas – para ajudar o utilizador na sua rotina. Outro exemplo: se alguém tocar à campainha podemos ver quem é e abrir a porta a partir do iPhone. Também o Apple Watch vai suportar a nova aplicação Home.

9. Novas funcionalidades até nas chamadas. Agora na aplicação de chamadas os utilizadores vão ter acesso a um sistema de transcrição das mensagens de voicemail, isto é, não precisará de as ouvir, o iPhone vai traduzi-las em texto para si. Um dos aspetos mais interessantes é a integração de um serviço anti-spam de chamadas que permitirá saber, mesmo antes de antender, se a chama é feita por um serviço de spam ou se é apenas um número desconhecido a tentar falar consigo.

A Apple está também a tentar dar um apelo visual mais forte ao segmento das chamadas, colocando uma fotografia de ‘tela cheia’ da pessoa que tentou falar consigo, mas que por algum motivo não conseguiu atender.

10. Aplicação iMessage com um ar mais fresco. É a aplicação mais usada no iOS. O sistema de mensagens vai ter suporte para rich links – conseguirá criar uma pré-visualização de conteúdos -, emojis três vezes maiores e também predição de emojis.

apple-imessage

Novas funcionalidades do iMessage: rich links [esquerda], efeitos de ecrã inteiro [centro] e stickers externos [direita]

Mas indo um pouco mais além, a Apple desenvolveu o sistema Emojify que faz uma análise da mensagem e diz-lhe quais são as palavras que pode trocar por um emoji.

Será ainda possível dar efeitos às mensagens enviadas, como criar um ‘manto’ por cima do texto que causa alguma surpresa relativamente ao que está lá escrito. Só passando o dedo sobre a mensagem é que o texto é revelado. O iMessage também vai estar agora ao alcance dos programadores que vão poder desenvolver elementos extra como serviços de pagamentos ou simples autocolantes para usar nas mensagens.