A tecnológica de Taiwan apresentou várias novidades durante a Computex, provavelmente aquele que ainda é o maior evento do mundo ligado ao computador como equipamento. Um rival para o Macbook, outro para o Surface Pro e um smartphone renovado são as apostas da Asus para este ano. Há ainda uma outra, mas sobre essa falaremos durante o dia no FUTURE BEHIND.

Bom início de semana.

Asus Zenfone 3 e Transformer 3 Pro: Começou oficialmente a Computex e como já é tradição a Asus faz as honras da casa ao apresentar os primeiros grandes anúncios do evento. O Zenfone 3 está disponível em três versões para também poder dar resposta a diferentes públicos. O Transformer 3 Pro vai ter especificações topo de gama como processador Intel Core i7. Já o Zenbook 3 é mais fino e mais leve que o Apple Macbook.
Fonte: Anandtech

Tesla Gigafactory ‘abre’ a 29 de julho: Em bom rigor a mega-fábrica de baterias que a Tesla criou já está a funcionar há alguns meses, mas só no final de julho é que a mesma será apresentada oficialmente. Por agora o evento parece estar reservado a personalidades e clientes, mas há sempre a hipótese de ser apresentado um novo projeto da empresa norte-americana.
Fonte: Fortune

ARM prepara-se para a realidade virtual: A arquitetura de processadores e unidades gráficas móveis vai dar um salto para puder suportar experiências de realidade virtual. O chip Cortex-A73 é 1,3 três vezes mais potente e 30% mais eficiente a nível energético. Já a gráfica Mali-G71 é 50% mais potente e até 20% mais eficiente. A novidade também foi apresentada na Computex.
Fonte: ArsTechnica

Papa dá ‘dicas’ a youtubers: O Papa Francisco teve um encontro com 11 criadores profissionais do YouTube onde discutiu questões como a tolerância, igualdade de género e direitos das pessoas. Os youtubers eram de diferentes países e ao longo das próximas semanas vão publicar em vídeo o que aprenderam durante o encontro.
Fonte: Blogue Youtube

Investigadores querem que robôs sintam dor: Um grupo de cientistas alemães está a trabalhar num sistema nervoso artificial que permitirá aos robôs sentirem dor. Os investigadores acreditam que será possível criar melhores sistemas de proteção para as máquinas se estas precisarem de evitar dor.
Fonte: IEEE Spectrum