Desde a apresentação do iPhone em 2007 que os teclados físicos entraram num período de declínio – cada vez menos equipamentos chegaram ao mercado com esta característica. A relutância em abrir mão daquele que era um dos seus maiores trunfos acabou por colocar a BlackBerry numa posição difícil – tão difícil que a tecnológica canadiana deixou de fabricar os seus próprios smartphones.

Mas a marca BlackBerry em dispositivos móveis não desapareceu – passou para a mão da TLC Communication, a mesma empresa que está responsável pelos smartphones da Alcatel. E os dispositivos móveis BlackBerry com teclado físico também não acabaram.




Depois de uma meia apresentação no Consumer Electronic Show, a TCL e a BlackBerry apresentaram hoje os detalhes finais do seu novo smartphone: o BlackBerry KEYone.

O dispositivo mistura um teclado físico QWERTY com um ecrã de 4,5 polegadas HD que é sensível ao toque. Esta combinação acaba por garantir ao smartphone um formato mais alongado do que aquele que é habitualmente visível noutros dispositivos.

A TCL diz que o facto do smartphone ter um teclado físico dedicado acaba por permitir um melhor aproveitamento do ecrã do que em alguns dispositivos com ecrãs de cinco ou mais polegadas – isto porque quando está a escrever um SMS, por exemplo, o teclado virtual acaba por ocupar uma boa parte do ecrã.

Tal como já aconteceu noutros equipamentos BlackBerry, como o Passport e o Priv, o teclado não é apenas um teclado. As teclas físicas funcionam em conjunto como um trackpad dedicado, permitindo ao utilizador fazer scroll em páginas web e deslizar o cursor ao longo de um texto.

BlackBerry KEYone

No caso do BlackBerry KEYone há uma característica interessante: o utilizador pode associar o atalho de uma aplicação a cada uma das teclas. Por exemplo: associar a tecla F ao Facebook, associar a tecla W ao WhatsApp e associar a tecla Y ao YouTube. Basta pressionar na tecla que a aplicação é lançada de forma automática. Ao todo é possível definir 52 atalhos, um nível de personalização elevado e que aproveita ao máximo o lado físico do teclado.

Em termos de design, além do formato mais alongado, o smartphone apresenta-se com uma construção em metal nas suas laterais e com um material texturizado na parte traseira, onde figura o típico símbolo prateado da amora.

O BlackBerry KEYone vem equipado com o sistema operativo Android na sua versão mais recente – Nougat 7.1 – e terá garantidas as atualizações mensais de segurança que são emitidas pela Google. A TCL trabalhou de perto com a BlackBerry para garantir a integração das suas soluções de mobilidade, como o BlackBerry Hub – centro que junta as principais mensagens do smartphones – e o BlackBerry DTek – uma camada extra de segurança e privacidade.

Durante a apresentação ficou confirmado que o dispositivo tem um processador Snapdragon 625 e uma bateria de 3.505 mAh – sobretudo do lado do processador, o equipamento não se posiciona como um dispositivo topo de gama. Posteriormente ficou confirmado que o BlackBerry KEYone vem equipado com um sensor fotográfico de 12 megapíxeis Sony IMX378 e uma câmara frontal de oito megapíxeis com uma grande angular. Há ainda a assinalar a existência de 3GB de memória RAM e 32GB de armazenamento interno

A BlackBerry diz que o KEYone estará disponível a nível global durante o mês de abril e vai custar 599 euros nos mercados europeus.

Mobile World Congress 2017