Por sua causa uns riem, outros choram. Mas também provoca momentos de nervos e grande emoção nos dois lados da barricada. O Denuvo é sem sombra de dúvidas um ‘quebra-corações’, mas não daqueles latinos que costumam estar associados às telenovelas. Na prática o Denuvo é um sistema de defesa extra associado a ferramentas de gestão de direitos digitais (DRM) que tem dado que falar pela sua eficácia.

Aqueles que se riem são os estúdios de desenvolvimento e as produtoras de videojogos que há muito não tinham um parceiro tão forte na luta contra a pirataria. Os que choram são os jogadores que não compram os jogos e encostam-se à pirataria para ficarem a conhecer os últimos gritos no mundo do gaming.



Os momentos de tensão vão-se vivendo ao longo do ano, ao ritmo dos novos lançamentos. Sempre que surgem notícias sobre uma falha encontrada no Denuvo os corações palpitam, dos dois lados e por motivos claramente diferentes.

O mais recente destes momentos aconteceu na semana passada. Um grupo de especialistas informáticos russos alega ter conseguido quebrar o sistema Denuvo para o jogo Rise of the Tomb Raider, da Square Enix. Alega pois as provas são escassas. Apesar de existir um vídeo que mostra uma versão ‘pirata’ do jogo a ser executada, numa frequência muito baixa de frames, a verdade é que o crack – a componente de software que ‘desbloqueia’ um jogo – ainda não foi disponibilizado. E só quando chega ao grande público é que começa a fazer moça, portanto até lá continua a contar como uma vitória para os estúdios de desenvolvimento.

Os interessados podem ver o vídeo, de 20 minutos, aqui.



De acordo com a publicação Torrent Freak, os avanços feitos contra o sistema de proteção Denuvo são da responsabilidade de um hacker que dá pelo nome de Bronco e também do grupo RELOADED. A mesma notícia refere que um crack para o mais recente jogo de Tomb Raider, disponibilizado em janeiro deste ano para computadores Windows, pode surgir nas próximas semanas. A ver vamos.

Se esse crack surgir então é mesmo uma baixa de peso para o Denuvo, pois significa que há vulnerabilidades no sistema que podem ser exploradas. E se Rise of the Tomb Raider pode ser crackado, então outros jogos que recorrem ao sistema Denuvo também podem.

Há até uma discussão no Reddit que vai monitorizando os avanços e recuos no desbloqueio de jogos que estão protegidos com o Denuvo. O resultado não é animador para os piratas. A indústria dos videojogos rejubila.

Jogos Denuvo por crackar

Jogos Denuvo por crackar

Se o 3DM diz…

Este grupo-fórum online é conhecido por ser um dos mais ativos e também um dos mais bem sucedidos no desbloqueio de jogos e dos seus respetivos sistemas de proteção. Por isso mesmo é que em janeiro, quando o 3DM disse que ia desistir do desenvolvimento de cracks, o coração ‘parou’ para muitos jogadores-piratas.

E o motivo é esse mesmo no qual está a pensar: o Denuvo estava mesmo difícil de bater. Depois de analisar a ferramenta o grupo 3DM disse que nos próximos dois anos não existiriam jogos pirateados, tal será a eficácia do sistema de proteção.

“Ainda acredito que este jogo [Just Cause 3] pode ser exposto. Mas de acordo com as atuais tendências no desenvolvimento de tecnologias de cifras para jogos, temo que em dois anos não existam jogos gratuitos para serem jogados no mundo”, escreveu no fórum um utilizador que dá pelo nome de Bird Sister e que é o líder do grupo 3DM, citado pelo Torrent Freak. Isto em janeiro deste ano.

A frase teve um grande impacto. Pudera: a indústria dos videojogos tinha sido ‘pilhada’ sem grandes filtros nos anos anteriores. Foram inúmeros os casos de videojogos que surgiam em sites de torrents prontos a serem jogados, mesmo antes de o jogo ser disponibilizado de forma oficial.

Just Cause 3, o jogo que quase fez o grupo 3DM desistir. #Crédito: Avalanche Studios

Just Cause 3, o jogo que quase fez o grupo 3DM desistir. #Crédito: Avalanche Studios

Talvez para acalmar o impacto das próprias declarações o grupo 3DM anunciava um mês depois, em fevereiro, ter conseguido cracker o jogo Just Cause 3. Mas tal como acontece agora com os hackers russos, a verdade é que o crack não foi disponibilizado de forma massificada, estando por confirmar o sucesso ou não em desbloquear o Denuvo.

Por agora tudo aparenta estar na mesma, com vantagem para o Denuvo.

Entender um pouco melhor o Denuvo

A descrição oficial do Denuvo é ‘anti-tamper software’, ou seja, software anti-adulteração. Através de diferentes técnicas, que são conjugadas com sistemas DRM, tentam tornar um videojogo quase impenetrável – dizemos quase porque existem demasiadas alegações sobre a possibilidade de já ter sido de facto ultrapassado.

E tal como as boas empresas na área da segurança, ninguém sabe muito bem qual o segredo que está por trás da tecnologia da Denuvo. A empresa austríaca não fala sobre o seu processo anti-tampering e é preciso recorrer a explicações de grupos piratas, como o 3DM, para ter uma ideia do que se pode tratar.

Existem rumores que a Denuvo usa um sistema de cifras de 64-bits que estão associadas a hardware específico, ou seja, cada componente terá associada uma cifra diferente. O sistema Denuvo apenas permite que o hardware de um computador seja trocado quatro vezes no espaço de 24 horas, o que ajuda a limitar as tentativas de descoberta de padrão que possa existir na cifra.

Crédito: Freepik / Flaticon

Crédito: Freepik / Flaticon

De acordo com a consultora Newzoo, a indústria dos videojogos vai valer 99,6 mil milhões de dólares já este ano

Há também um artigo no Quora que na prática resume os principais motivos pelos quais o Denuvo é tão especial. Neste artigo podemos perceber também um pouco do porquê de o Denuvo não afetar o desempenho dos jogos, algo que se deve ao facto de o sistema de proteção alegadamente estar associado a partes não vitais do título.

O sistema Denuvo está a ser aplicado aos videojogos há vários meses. Começou por fazer furor em 2014 ao ter conseguido manter o jogo Dragon Age: Inquisition inviolável durante um mês, um período de tempo considerado como muito bom tendo em conta o então panorama da pirataria nos videojogos.

O sucesso da Denuvo tem sido de tal forma proeminente que o seu diretor de vendas e marketing, Thomas Goebl, já revelou ao Eurogamer que muitos estúdios estão a ponderar lançar alguns jogos de consola também no computador pois finalmente há um sistema que lhes garante, pelo menos, um período de rentabilidade.

Este seria um dos motivos que ajudaria a explicar a nova estratégia da Microsoft: caso contrário, porque estaria a tecnológica norte-americana a abrir mão dos seus exclusivos na consola Xbox One para aquele que é um dos mercados com maiores níveis de pirataria, o Windows?

E há um outro fator a ter em conta: a modéstia mora naquela casa.

“Não posicionamos a nossa solução anti-adulteração como inviolável, apenas é difícil de crackar”, disse o executivo em entrevista à publicação PC Games N.

A ironia do destino

Se há piratas informáticos que trabalham para distribuir os jogos de forma ilegal junto de milhares de jogadores, há outros que apenas querem ganhar dinheiro às custas de qualquer pobre alma que esteja a navegar na internet.

Apesar de os cracks não estarem disponíveis, os jogos protegidos pelo Denuvo podem ser descarregados dos sites de torrents. Quem quiser pode ir ‘sacar’ o Rise of the Tomb Raider, está disponível. Não vai é conseguir jogá-lo.

No entanto há jogadores tão sedentos de novas aventuras que não tomam as devidas precauções. Um artigo da Venture Beat dava conta do aumento de atividades criminosas em torno do segmento dos videojogos. Além de ser cada vez mais valioso – por causa dos eSports, por exemplo -, devido ao sistema Denuvo há certamente milhares de internautas à procura de cracks para jogos.

A internet tem resultados para essas pesquisas, mas são ficheiros maliciosos, sites com esquemas de phishing e por aí fora.

Não deixa de ser uma ironia que os piratas de videojogos estão eles próprios a colocarem-se numa posição de vítimas de pirataria e de roubo. E eis como uma tecnologia bem desenvolvida e implementada pode num curto espaço de tempo inverter por completo o tabuleiro de jogo.

Decore este nome – Denuvo. Ainda vai ouvir falar muito dele.

NR [11-08-2016, 11h00]: Um hacker búlgaro de 19 anos apelidado de Volski conseguiu superar a ferramenta de proteção Denuvo no jogo Rise of the Tomb Raider. Ainda não é certo se a técnica usada neste título será válida para desbloquear outros jogos com a proteção Denuvo.