Sem dúvida que o Microsoft Surface foi uma peça importante não só para a gigante de Redmond, como para todo o mercado de computadores pessoais. O impacto que o tablet teve foi de tal ordem que quase todos os principais fabricantes têm pelo menos uma resposta direta à proposta da Microsoft.

A boa recetividade do Surface fez com que a Microsoft começasse a diversificar a sua linha de hardware: primeiro através de um portátil híbrido, depois através de um all-in-one e depois através de um portátil mais tradicional. Enquanto os dois primeiros continuam sem chegar a Portugal – mas já estão prometidos -, o último, o Surface Laptop, chega já no dia 15 de junho.




Sabendo que o tablet Surface Pro já é tão bom como um computador portátil, por que motivo a Microsoft criou o Surface Laptop? Não acaba por ser um dispositivo redundante?

O diretor da unidade de consumo da Microsoft Portugal, André Cardoso, deu uma resposta a esta questão. “Há vários estudos de mercado que nos indicam que a maior parte dos estudantes e uma fatia significativa da população, nos EUA e na Europa, ainda prefere o laptop. Daí termos trazido este laptop para o mercado”, começou por dizer.

Leia também | Microsoft já vendeu mais de 100 mil Surface em Portugal

“O Surface Pro criou este novo mercado, dos 2-em-1, da portabilidade que não existia, mas há muito consumidor que ainda prefere um laptop. É a resposta que estamos a dar aqui. É o laptop dos meus sonhos, perfeitamente equilibrado, perfeitamente desenhado, não há um parafuso à mostra. Tudo o que não é necessário num portátil não se vê e não está nesta máquina”.

Sim, neste aspeto André Cardoso tem razão. Como peça de engenharia e de hardware, o Surface Laptop é um equipamento muito bem conseguido. Mas é quando estamos com o Surface Pro e o Surface Laptop lado a lado que a mais difícil das questões surge: se tivesse de escolher um, qual seria?

A resposta não é de todo simples pois os equipamentos são muito parecidos entre si: tanto nas especificações técnicas que ostentam, como no próprio design minimalista, no preço final para o consumidor e até na própria proposta de valor.

Ambos são computadores de elevado desempenho e respeitam ao máximo as boas regras da portabilidade. Ambos são computadores que são capazes de lidar com a maioria das necessidades da maioria dos utilizadores – ainda que os respetivos preços coloquem-nos fora de órbita para muitos portugueses.

Apesar de todas as parecenças que existem, há de facto diferenças importantes entre o Surface Pro e o Surface Laptop que podem ajudar um potencial consumidor a pender para um ou para o outro.

O impacto dos detalhes

Em primeiro lugar o Surface Pro tem um suporte traseiro que permite ao utilizador baixar o ecrã até a um ângulo de 165º. Este suporte foi inspirado no modo criativo do Surface Studio e está acima de tudo pensado para as pessoas que pretendem tirar partido do computador em modos mais criativos.

Esta grande amplitude que o Surface Pro garante é algo que não vai encontrar no Surface Laptop – no caso do portátil o ecrã reclina até aos 110º, sensivelmente, o que pode acabar por ser um ponto negativo para os utilizadores que procuram maior flexibilidade.

Microsoft Surface Pro

O sistema de reclinação do Surface Pro é impressionante. #Crédito: Future Behind

Se é flexibilidade que procura, então há outro pormenor que afasta os dois computadores. O Surface Pro tem um teclado destacável, enquanto o teclado do Surface Laptop faz parte do corpo metálico do equipamento. Isto significa que o Surface Pro pode servir apenas como tablet, se existir essa necessidade – com o laptop terá sempre isso mesmo, um portátil.

Leia também | O iPad ficou ainda mais parecido com um computador

Outro pormenor a considerar a este nível: ambos os teclados são forrados a Alcantara, uma tipologia de tecido italiano que a Microsoft tem aplicado a alguns dos seus gadgets. A ideia é que este tecido transmita ao utilizador maior conforto durante a utilização e transforme o computador numa máquina menos fria.

Pessoalmente não é uma solução que me agrada devido à probabilidade de sujidade. Sendo o computador um equipamento de utilização diária e que por vezes passa longas horas a ser utilizado, a probabilidade deste Alcantara ficar sujo com o passar dos meses é grande – pelo menos no meu caso, volto a frisar.

Dito isto, em caso de sujidade o utilizador de um Surface Pro pode trocar o teclado, enquanto o utilizador do Surface Book não. É mais um aspeto positivo a favor da flexibilidade do Surface.

Microsoft Surface Laptop

Mas nem tudo é bom num teclado destacável. Para quem escreve bastante, a base firme do Surface Laptop vai ser uma mais-valia. Apesar de se notar uma evolução na rigidez do teclado do Surface Pro, o facto de o Laptop ter o teclado preso ao restante corpo do computador acaba por conferir-lhe uma melhor capacidade de resposta.

E quando compra o Surface Laptop já sabe que traz o teclado de origem, algo que incompreensivelmente continua a não acontecer com o Surface Pro. Sim, mesmo os modelos que custam mais de dois mil euros obrigam sempre o utilizador a gastar 185 euros extra na aquisição de uma capa-teclado.

O tamanho importa?

É provável que nesta altura já possa estar mais inclinado para o Surface Pro ou Surface Laptop dependendo do seu perfil de utilizador. Mas existem mais elementos que pode ter em conta na hora de escolha entre um destes dois equipamentos.

Ainda que ambos sejam bastante finos e bastante fáceis de transportar, o Surface Pro leva vantagem no peso. O tablet-portátil pesa cerca de 800 gramas, o que ainda fica consideravelmente abaixo dos 1,2 quilogramas do Surface Laptop. Nenhum destes equipamentos é especialmente pesado, sobretudo se tivermos em conta as características técnicas que conseguem confinar no seu interior. Mas para quem vai andar todo o dia com um equipamento na mala ou na mochila, aquele meio quilograma pode acabar por fazer alguma diferença.

Se o Surface Pro ganha no peso, o Surface Laptop ganha no tamanho do ecrã – o peso extra vem também do maior tamanho do equipamento. Os painéis que equipam os dois computadores da Microsoft são de altíssima resolução, com o Laptop a apresentar-se com um ecrã de 13,5 polegadas e o Pro com um ecrã de 12,3 polegadas.

Em teoria esta polegada extra a mais poderá não fazer grande diferença, mas voltamos a frisar, são pormenores que certamente serão valorizados por quem passa muito tempo em frente ao computador. Em termos de brilho, de ângulos de visualização e de tons de cor eles são praticamente semelhantes, pelo que só precisará de escolher se quer um ecrã maior e um portátil um pouco mais pesado, ou se as 12,5 polegadas do Surface Pro são suficientes.

Microsoft Surface Laptop

Outro elemento que pode pesar na equação final é o Windows: o Surface Pro vem equipado com o Windows 10 Pro e o Surface Laptop vem equipado com o Windows 10 S. Já aqui falámos do Windows 10 S e de como pode ser limitado para alguns utilizadores. Para tentar atrair um maior espectro de consumidores, a Microsoft oferece a atualização do Windows 10 S para Windows 10 Pro no Surface Laptop até ao final do ano.

Isto para dizer que se comprar o Laptop até ao final do ano, então a questão do Windows acaba por ser agnóstica, pois na prática o utilizador pode escolher a versão do sistema operativo que pretende. Se fizer a compra já em 2018, então terá de considerar que evoluir para o Windows 10 Pro já vai exigir mais algum investimento.

Gémeos falsos

Só pelas primeiras impressões que tivemos com os equipamentos foi possível identificar de imediato um conjunto de diferenças entre o Surface Pro e o Surface Laptop. Apesar de muito parecidos, são igualmente distintos numa grande variedade de pormenores. Haverá depois outros elementos a considerar, mas que vão exigir um teste alargado aos computadores – o Surface Laptop promete uma autonomia superior ao Surface Pro, com o primeiro a poder chegar às 14,5 horas e o segundo às 13,5 horas. No papel é assim, falta saber como é em utilização quotidiana.

Não é difícil antecipar que quem tiver poder de compra para estes equipamentos, vai certamente ficar bem servido. Para os consumidores que já necessitam de ponderar mais o investimento nestas máquinas, existem de facto outras propostas de outros fabricantes que são também tecnologicamente apelativas e que conseguem ser mais competitivas no preço.

A partir da próxima semana já vai poder encontrar os novos Surface Pro e Surface Laptop em loja, pelo que também será mais fácil para si começar a perceber qual destes dois equipamentos pode ser o mais indicado para o seu perfil de utilizador.