O Facebook e a Microsoft estão a fazer uma forte aposta nos bots, ferramentas automáticas desenvolvidas através de sistemas de inteligência artificial. Agora falta saber se a Google vai querer juntar-se a este barco ou se vai ter uma abordagem diferente sobre o segmento.

O Facebook apresentou esta semana a sua perspetiva sobre o tema. Na prática a maior rede social do mundo está a colocar o Messenger como o local onde as pessoas vão poder falar com estes robôs, tal como se estivessem a falar com amigos.

Os bots poderão ser desenvolvidos por programadores independentes ou empresas e tanto podem ter um objetivo definido – encomendar uma pizza por exemplo -, como podem ser apenas experiências mais sociais.

Do lado da Microsoft a aposta nos robôs de inteligência artificial tinha sido revelada no final de março durante a BUILD 2016. A empresa responsável pelo Windows está a dar aos programadores ferramentas para que os seus bots tanto possam ser integrados em sites, como em aplicações móveis de conversação como o Skype e o Line.

Neste duelo o Facebook parece levar alguma vantagem teórica pois tem o serviço com o maior número de utilizadores ativos: só no Messenger são já 900 milhões. Caso no futuro o WhatsApp venha a ser compatível com estes bots, então serão mais mil milhões de utilizadores.

Mas a Microsoft também tem centenas de milhões de utilizadores na plataforma Windows e em serviços como o Skype. Melhor: a tecnológica liderada por Satya Nadella tem neste momento aquela que deve ser uma das melhores assistentes digitais, a Cortana. Isso e muitos mais anos de experiência a trabalhar junto dos programadores.

Interessante será ver como é que a Google vai responder – se é que vai responder – a este movimento por parte de dois dos seus rivais diretos. Olhando para o perfil da empresa, sobretudo sabendo que agrega muita informação e tem uma ferramenta de pesquisa dinâmica chamada de Google Now, é possível que a gigante dos motores de busca entre também na guerra dos bots.

Mais novidades sobre este tema devem chegar no dia 18 de maio, data em que começa a conferência mundial de programadores da Google, o evento I/O.

Sem que nada o fizesse prever este parece ser o ano em que a inteligência artificial começa a afirmar-se junto dos consumidores e logo nas formas mais massificadas possíveis. Isto acontece apenas pois tanto o Facebook como a Microsoft conseguiram criar pacotes de desenvolvimento acessíveis através dos quais é possível criar bots como se criam sites e aplicações para smartphones.

O FUTURE BEHIND já experimentou um de cada: Poncho, o gato do tempo do lado do Facebook Messenger; e o CaptionBot, o robô assustadoramente perspicaz que a Microsoft desenvolveu como experiência.



Sem mais artigos