Hoje o FUTURE BEHIND está de parabéns. O projeto está a celebrar o seu primeiro ano de vida e queremos aproveitar esta oportunidade para deixar um GRANDE OBRIGADO a todos os que nos têm acompanhado.

Esta é também uma boa oportunidade para partilhar aqui algumas ideias sobre o rumo que o FUTURE BEHIND tem levado. Há um ano escrevemos isto no artigo ‘Como nasceu o Future Behind’.

“Preferimos o ‘bom’ ao ‘muito’, mas tentaremos encontrar um equilíbrio entre os dois sempre que possível. Preferimos leitores interessados e envolvidos em vez da apresentação de números volumosos que têm por base a contagem das visualizações de página”.

Olhando para o trabalho que foi feito neste último ano, podemos afirmar com clareza que a nossa missão e a nossa estratégia foi cumprida à risca. Mas por este ser um posicionamento diferenciador, também sentimos dificuldades na rentabilização do projeto.

O FUTURE BEHIND não tem nesta altura uma audiência tão grande quanto aquela que gostaríamos de ter: a publicação teve uma média de 15 mil visitantes únicos mensais ao longo deste primeiro ano. Num mercado que ainda é regido pela lei dos grandes números – volume de visualizações -, o FUTURE BEHIND não é a publicação mais competitiva, admitimos.

Mas voltamos a reforçar a frase que usámos há um ano: “Preferimos leitores interessados e envolvidos em vez da apresentação de números volumosos”. E neste ponto de análise, era impossível estarmos mais satisfeitos e mais contentes com os resultados que têm sido alcançados.

O tempo médio de visualização dos artigos ronda os três minutos. Num universo onde é cada vez mais difícil agarrar a atenção das pessoas, acredite que este é um bem valiosíssimo e que nos deixa orgulhosos. Claro que nem todos os artigos apresentam estes valores, da mesma forma que há artigos que apresentam valores superiores. Por exemplo, o artigo no qual demos a conhecer o trabalho do caçador de bugs Miguel Regala, que entrou para o Hall of Fame da Google, é um dos mais lidos de 2017 e tem um tempo médio de visualização de 5:30 minutos. A análise ao Lenovo Yoga Book? Tempo médio de leitura de 6:20 minutos 🎉

Se quiser ficar a saber mais sobre os muitos trabalhos de qualidade que o FUTURE BEHIND desenvolveu, pode espreitar este link.

Quando começámos o FUTURE BEHIND foi justamente isto que procurámos – criar trabalhos nos quais as pessoas pudessem investir um pouco mais do seu tempo, pois nem tudo o que existe no mundo tecnológico merece ser reduzido a um par de parágrafos. Há histórias, há análises, há casos, há dúvidas e há inclusive curiosidades que merecem ser escritas e lidas com mais calma.

Em resumo, podemos dizer que a missão para este primeiro ano foi cumprida: a audiência já é considerável e o envolvimento dos utilizadores com os artigos é impagável.

Mas o facto de celebrarmos o primeiro aniversário também significa que está na hora de olhar para trás e perceber em que áreas podemos melhorar e de que forma podemos tornar o FUTURE BEHIND num projeto mais sólido. Já começámos a assentar algumas ideias e ao longo das próximas semanas vão existir novidades.

Duas delas podemos partilhar desde já: os resumos diários de Sábado e de Domingo vão deixar de existir devido à sua baixa procura, o que nos vai libertar tempo e recursos para investirmos noutros trabalhos. Os resumos diários de segunda a sexta-feira vão continuar e são um pilar importante da nossa estratégia de informação.

Em breve vamos também lançar um nova secção no site denominada de Toolbox. Tal como o nome indica, esta Toolbox vai ser uma secção onde os utilizadores vão poder encontrar truques, dicas, tutoriais e outras informações úteis para que possam tirar mais da sua relação com os gadgets e a tecnologia. Se por um lado sentimos que em termos de cobertura jornalística o FUTURE BEHIND fez um trabalho de grande qualidade, houve áreas que neste último ano ficaram ‘destapadas’ – sendo uma delas o jornalismo de serviço, que a nova categoria Toolbox vai tentar compensar.

Por agora é o que temos para partilhar 🙂

Esperamos poder continuar a contar com a sua companhia. E como sempre, todo o feedback é bem-vindo, pois só assim é que é possível continuar a crescer de forma saudável.

Sem mais artigos