O Android até pode ser o sistema operativo móvel mais usado em todo o mundo, marcando presença em mais de 1,4 mil milhões de dispositivos. Mas no que diz respeito à capacidade para gerar dinheiro, a App Store da Apple sempre foi líder por larga margem.

Novos dados mostram que o Google Play está a tornar-se mais apetecível para os programadores e continua a registar um crescimento gigante, mas ainda assim não chega para aproximar-se da App Store do iOS.




Os dados foram publicados pela empresa de análise e Sensor Tower.

Conclusão? O Google Play está a crescer mais, mas continua muito distante dos valores gerados pela ‘rival’ App Store. Ainda assim ambas as lojas de aplicações móveis estão a viver um momento de forte crescimento, o que mostra que o segmento das aplicações móveis como negócio está ainda longe de ter atingido o pico do seu potencial.

O estudo não refere no entanto qual a percentagem destas receitas que são geradas, por exemplo, pelas dez aplicações mais populares em cada sistema operativo. Este seria um dado interessante pois permitira perceber se esta riqueza é gerada por um grande número de aplicações ou se estamos perante um ‘oligopólio’.

O que a Sensor Tower revelou foi o ranking das aplicações mais descarregadas do ano e aqueles que geraram mais dinheiro – em termos gerais e também por plataforma.

Aplicações Google Play App Store 2016 Aplicações Google Play App Store 2016

Spotify, Netflix, Line, Pandora e Tinder são os claros destaques nesta compilação. Apesar de haver três serviços de streaming entre os primeiros cinco lugares, o que mostra uma alteração no paradigma de como se faz dinheiro atualmente no mundo digital, a verdade é que estão representados diferentes segmentos de mercado.

Spotify e Pandora na área da música. Netflix na área dos filmes e séries. Line na área do messaging. E o Tinder na área das redes sociais.

Há também uma clara diferença entre os rankings das aplicações mais descarregadas e aquelas que geraram mais receitas. Serviços como o Facebook, Facebook Messenger, WhatsApp e Instagram são redes sociais que para os utilizadores são totalmente gratuitas – não há opção de compra de itens dentro destes serviços. Mas o mesmo não significa que as empresas não faturem com os serviços, apenas não é uma faturação relacionada diretamente com a aplicação em si.

A Sensor Tower promete ainda revelar um ranking à parte com os resultados conseguidos pelos videojogos. Será também uma análise de dados interessante pois os videojogos continuam a representar a maior parte das receitas geradas nas lojas de aplicações e há um fenómeno em particular – o Pokémon GO – que pode gerar resultados inesperados.