A Netflix vai estrear no dia 14 de outubro uma nova série intitulada de Haters Back Off, uma comédia que vai mostrar como uma rapariga norte-americana atingiu a fama e o sucesso no YouTube. Esta podia ser razão suficiente de interesse pela série – assim como o seu sentido de atualidade -, mas existem mais elementos a ter em consideração.

A série da Netflix vai contar a evolução do canal Miranda Sings, criado por Colleen Ballinger. E um dos aspetos curiosos é que tanto o canal como a sua fundadora existem de facto e são um verdadeiro sucesso no YouTube.




Na prática Miranda Sings é um canal de comédia e sátira que começou por existir como uma crítica às pessoas que se filmavam a cantar com o objetivo de atingirem a fama. Desde o início que Miranda foi projetada como uma personagem fictícia. Agora com a série da Netflix é como se fosse acrescentada uma segunda camada de ficção a esta interpretação.

O que acontece com Haters Back Off acaba por ser um cruzamento de formatos e a exploração das potencialidades daqueles que são os novos grandes influenciadores do mundo digital – leia-se, os youtubers.

Foi assim que o canal Miranda Sings começou ‘na vida real’:

E agora será assim que vai ser contada a sua história no Netflix:

A gigante norte-americana está a posicionar a série Haters Back Off como uma comédia para jovens, contando as tristezas, as alegrias e os desafios de criar um canal que atualmente gera perto de um milhão de visualizações por vídeo e tem mais de sete milhões de subscritores.

Por exemplo, quando interpretou a música Shake it off da cantora Taylor Swift o vídeo de Miranda Sings alcançou mais de 54 milhões de visualizações.

O acordo entre a youtuber e a Netflix foi alcançado em janeiro deste ano e foi a própria Colleen Ballinger quem, juntamente com o irmão, escreveu o guião da série, explica a Variety. Afinal, ninguém sabe melhor contar a sua história e da sua personagem do que ela.

Os oito episódios de Haters Back Off estreiam em simultâneo no final da próxima semana.

Mais do que uma série

O facto de Miranda Sings servir uma crítica a uma tipologia de utilizadores de plataformas como o YouTube – entretanto as sátiras evoluíram para outros formatos, brincando com vídeos do estilo ‘Como ganhar seguidores no Twitter‘ – acaba por ter o seu interesse pois quase em contragolpe, acabou por colocar a personagem e a sua criadora no estrelato. Será que sempre foi esse o objetivo?

Agora Colleen Ballinger faz digressões na América do Norte e também já lançou um livro que foi um sucesso de vendas.

Mas pelo que foi possível ver no trailer, ainda que mascarado num formato jocoso, a série talvez possa ensinar algumas perspetivas muito pessoais sobre como é lidar com uma audiência de milhões de pessoas de todo o mundo.

No vídeo de apresentação da série vemos Miranda a comentar com a sua mãe e com o seu tio que já tinha 54 visualizações. E foi nesse momento que chegou o primeiro comentário de ‘ódio’.




Esta é sem dúvida uma das facetas mais comuns da grande exposição online, ainda que possa parecer que as grandes estrelas apenas têm ‘bons’ fãs. Basta recordar o caso de Felix Kjellberg, mais conhecido como PewDiePie, que foi alvo de duras críticas quando se soube que faturava perto de sete milhões de dólares por ano.

Sim, há fama por um lado, mas sim, também tem de existir uma grande capacidade de gestão emocional pois a internet não está sempre toda do lado ‘positivo’.

A série pode também ser uma boa oportunidade para todos perceberem melhor como se constrói afinal uma estrela do YouTube de escala global.