Hoje é um dia de ‘cadeiras quentes’ em Silicon Valley. Depois do anúncio de que Hugo Barra será o novo líder da Oculus, sabe-se que o até agora líder de design da HTC, Claude Zellweger, vai trabalhar para a Google, mais propriamente no projeto Daydream.

A confirmação foi dada pelo próprio designer no Twitter, tendo a HTC confirmado posteriormente, ao The Verge, a saída do seu executivo.




A saída da HTC e a entrada num projeto de realidade virtual mobile poderá não representar uma grande mudança radical para Claude Zellweger, pois nos últimos tempos esteve acima de tudo alocado ao desenvolvimento dos HTC Vive.

O design dos óculos de realidade virtual e dos seus periféricos foram coordenados por este executivo. Atualmente os HTC Vive fazem parte dos equipamentos mais avançados de realidade virtual que existem no mercado, tendo vendido já mais de 140 mil unidades desde abril do ano passado.

Mas também é verdade que na conceção dos HTC Vive, liderada pelo designer, a tecnológica de Taiwan descartou por completo a hipótese de seguir o mesmo caminho que a Samsung estava a seguir, por exemplo, com os Gear VR.

“Pensámos [nos HTC Vive] desde o início como uma categoria de produto totalmente diferente que precisa das suas próprias soluções. Nunca considerámos algo que ficasse colado ao smartphone para o ecrã”, disse Claude Zellweger, numa reportagem publicada pelo Engadget.

Apesar de estar a caminho da divisão Google Daydream, talvez isso acabe por não significar que Zellweger vai trabalhar numa futura versão dos Daydream View. Por mais do que uma vez surgiram rumores de que a Google está a trabalhar num dispositivo de realidade virtual de gama alta e independente de qualquer outro dispositivo.

Talvez neste ponto de análise a contratação de Claude Zellweger acabe por fazer muito mais sentido. O Google I/O é já em maio e são esperadas novidades do ecossistema de realidade virtual da Google por essa altura.