Durante a apresentação dos resultados do terceiro trimestre do ano os responsáveis da HTC foram confrontados com um valor que andou a circular na imprensa especializada. Vários sites davam conta da possibilidade de a HTC ter comercializado 140 mil unidades dos óculos de realidade virtual Vive.

Este número é verdadeiro ou não? O diretor da divisão de smartphones e dispositivo conectados da HTC, Chia-Lin Chang, disse claramente que estes valores não eram verdadeiros. Citado pela publicação Upload VR, o executivo disse inclusive que não faz ideia de como é que este número se espalhou.




Chia-Lin Chang não revelou o valor exato de vendas dos HTC Vive, mas deu pelo menos um indicador na tentativa de tranquilizar os investidores. Numa conversa que teve com a diretora executiva da HTC, Cher Wang, foi dito a Chia-Lin Chang que a empresa já vendeu “muito mais” do que 140 mil unidades.

A HTC considera que revelar o número concreto de vendas dos HTC Vive pode ser vantajoso para a concorrência mais direta, preferindo por isso deixar o valor no segredo ‘dos deuses’. Tomando como valor mais baixo as 140 mil unidades, então a HTC tem vendido em média 20 mil Vive por mês.

É um valor interessante sobretudo olhando para o preço do equipamento – 899 euros no mercado português – e para o preço dos computadores que são necessários para garantir a compatibilidade com estes óculos de realidade virtual.

O diretor da HTC acrescentou depois que a empresa esteve bastante satisfeita com o desempenho de vendas dos HTC Vive nos últimos seis meses e que antevê uma época natalícia também positiva para o dispositivo.

Durante a mesma conferência com os investidores foi ainda assegurado que os HTC Vive são vendidos com lucro, querendo isto dizer que por cada unidade vendida a tecnológica de Taiwan está a ganhar dinheiro diretamente com o equipamento.