Durante a sua conferência de programadores dedicada à realidade virtual, a HTC anunciou a disponibilização de uma plataforma que vai facilitar a criação de espaços com arcadas VR. O que a HTC promete é um formato simples de rentabilização que permite recuperar o investimento feito.

Atualmente investir num equipamento como os HTC Vive é algo que não está acessível a todos os consumidores. Além dos 899 euros pedidos pelos óculos de realidade virtual, é preciso garantir um computador compatível com essas experiências – e o preço do PC nunca é muito inferior ao valor dos óculos.




Uma das alternativas passa por criar espaços de arcada onde as pessoas podem ter acesso às experiências de realidade virtual em jeito de ‘aluguer’.

Com o programa Viveport Arcade a HTC compromete-se a ajudar a escolher e a licenciar os jogos que os criadores das arcadas querem. Depois mediante o período de tempo em que o utilizador está com uma determinada experiência, é feito um pagamento.

O presidente da iniciativa Viveport, Rikard Steiber, confirmou que a prioridade da HTC neste momento é o mercado asiático, mas confirmou a abertura de espaço de arcada também nos EUA e na Europa antes do final do ano, escreve o The Verge.

Estes espaços tanto podem ser salões de jogos dedicados, como podem ser cafés, cinemas ou outros espaços de lazer público.

Por exemplo, na abertura da mais recente loja do grupo FNAC em Lisboa, um dos destaques do espaço era justamente uma dupla arcada de realidade virtual – num dos lados havia uns Oculus Rift, do outro uns HTC Vive.

Com este anúncio o que a HTC pretende fazer é popularizar o conceito de arcada VR e dar aos interessados uma forma mais simples de explorar financeiramente o conceito.

Sem mais artigos