A história é sobejamente conhecida: em 2010 o programador Laszlo Hanyecz comprou duas pizzas por 10.000 bitcoin. Muitos acreditam que esta terá sido a primeira transação no mundo real a envolver a criptomoeda que então ainda estava a dar os seus primeiros passos. Na época tantos bitcoin valiam algo como 30 dólares, sendo que cada bitcoin não chegava sequer a valer um cêntimo de dólar.

A compra de Laszlo Hanyecz tem sido repetida vezes sem conta pela sua importância histórica, mas também por ser uma das melhores representações da evolução que o Bitcoin teve nos últimos sete anos. À hora de publicação deste artigo cada Bitcoin tinha um valor de 5.820 dólares, o que coloca atualmente o valor pago pelas pizzas na ordem dos 58,2 milhões de dólares.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

O caso das pizzas faz lembrar em certa medida – e numa escala muito diferente – a história do terceiro cofundador da Apple, Ronald Wayne, que vendeu os seus 10% da empresa em 1976 por 800 dólares – atualmente esta participação valeria mais de 80 mil milhões de dólares.

Ronald Wayne já disse que não se arrepende minimamente da decisão, assim como Laszlo Hanyecz. Numa entrevista ao The New York Times em 2013, o programador disse que ninguém esperava que o Bitcoin se tornasse em algo tão grande. “É como se os bitcoins não tivessem qualquer valor na altura, por isso a ideia de trocá-los por uma pizza foi muito porreira”.

O Bitcoin continua a quebrar recordes de valor. E são os números que o Bitcoin tem vindo a apresentar que mostram que é insensato continuar a ignorar ou pelo menos a não perceber esta moeda digital.

Publicidade

O valor máximo que o Bitcoin já atingiu foi de 6.148 dólares no dia 21 de outubro. Este valor fulminou as perspetivas mais positivas sobre a criptomoeda que há apenas alguns meses diziam que poderia chegar aos 4.000 dólares. Quebrada por larga margem essa barreira, a questão que agora todos colocam é quando poderá o Bitcoin atingir os dez mil dólares por unidade.

Enquanto isso não acontece, vale a pena olhar para alguns dos valores que têm caracterizado o mercado do Bitcoin nos últimos dias e que dão uma ideia muito esclarecedora de quão grande se tornou a moeda digital.

Fruto da sua avaliação acima dos 6.000 dólares, o valor de mercado do Bitcoin já superou os 100 mil milhões de dólares, segundo o índice Coinmarketcap. Este número mostra que a criptomoeda está a ganhar novamente protagonismo e força relativamente a todo o mercado das criptomoedas, pois representa cerca de 60% do valor total deste mercado.

Depois é preciso ter em conta que há apenas cinco meses o valor de mercado do Bitcoin estava nos 29 mil milhões de dólares, mais um sinal do crescimento galopante que a divisa digital tem tido.

Uma valorização de cem mil milhões de dólares seria suficiente para colocar o Bitcoin na lista das cem empresas mais valiosas do mundo, mais concretamente numa posição entre o 70º e o 80º lugar. Esta é apenas um exemplo para dar uma ideia da escala do mercado, pois o Bitcoin nem sequer é uma empresa.

Leia também | As cinco criptomoedas mais valiosas a seguir ao Bitcoin

Claro que a projeção que a criptomoeda tem tido, tem ajudado a que muitos dos seus utilizadores, sobretudo aqueles que acreditaram no potencial da tecnologia desde os primeiros meses, estejam a enriquecer de forma muito significativa.

Um dos maiores mistérios continua a ser o do criador ou dos criadores do Bitcoin. A criação da divisa é atribuída a Satoshi Nakamoto, aquele que se acredita ser um pseudónimo dos verdadeiros criadores da moeda. Acredita-se também que Satoshi Nakamoto tenha perto de 980 mil bitcoin, fruto dos primeiros tempos de mineração e nos quais não havia ‘concorrência’ e a escala da computação não era tão exigente.

Este número de bitcoin a uma valorização de 6.000 dólares cada seria o suficiente para colocar Satoshi Nakamoto na lista das pessoas mais ricas do mundo. Segundo uma análise feita pela publicação Quartz, Satoshi Nakamoto figuraria na 247ª posição da lista da Forbes com uma fortuna total de 5,9 mil milhões de dólares.

Poderá Satoshi Nakamoto algum dia ser virtualmente o homem mais rico do mundo? Talvez, mas para isso o Bitcoin terá de ser alvo de valorizações ainda mais acentuadas – para ficar com uma fortuna de 86 mil milhões de dólares, igual à de Bill Gates, então cada unidade da critpomoeda teria de valer 87.755 dólares.

Estes números são meras curiosidades, mas que colocam em perspetiva o poder que a divisa digital tem vindo a ganhar nos últimos anos.

Leia também | Blockchain: Admirável mundo novo

É verdade que o potencial do Bitcoin e da sua tecnologia de blockchain despertou para o potencial de outras criptomoedas e de outras tecnologias de blockchain. De tal forma que a questão das criptomoedas deixou de ser um tema neutro para vários países, com várias nações a tomarem diferentes decisões relativamente a este tema.

Há quem tenha uma atitude mais defensiva, como a China, há quem tenha uma atitude de inclusão, como o Japão, e também há quem tenha uma atitude alternativa, caso da Estónia que está a planear criar uma criptomoeda nacional.

Independentemente do caminho que cada um escolhe, o Bitcoin tornou-se numa realidade tão grande que parece impossível continuar a ignorar esta criptomoeda.

Sem mais artigos