A OOZ Labs volta à Maker Faire Lisboa e para este ano trouxe um conceito de ninho inteligente: são pequenas casas para pássaros que têm alguns sensores integrados. O objetivo é poder fazer uma monitorização remota de elementos como a humidade e a temperatura. Imaginando que os sensores de temperatura registam picos muito altos, existe uma forte probabilidade de estar a haver um incêndio, sendo mais fácil para as equipas florestais detetarem a localização exata do incidente.

O SparroWatch como projeto também funciona como uma rede de comunicação já que todos os ninhos podem comunicar entre si para que haja uma melhor perceção das condições de determinada área. Estas casas de pássaros têm independência energética graças à integração de painéis solares e todos os componentes de eletrónica rondam um investimento de dez euros.

No Pavilhão do Conhecimento em Lisboa existem três unidades que estão a transmitir dados, sendo que uma delas está mesmo situada numa das árvores do Parque das Nações, próxima do Pavilhão do Conhecimento.

Para o projeto deste ano da OOZ Labs contribuíram Luís Correia, Nuno Correia, João Neves, Bruno Amaral e Basílio Vieira.