No ano passado o Surface Book foi a grande estrela do evento de outono da Microsoft, mas este ano foi o Surface Studio a dominar as atenções. Ainda assim a Microsoft decidiu trazer algumas novidades importantes até ao seu portátil.

Na prática a tecnológica norte-americana criou uma versão do Surface Book em tudo idêntica ao modelo apresentado no ano passado, sobretudo na componente de design. O que a Microsoft fez foi basicamente criar uma versão mais poderosa e que possa responder aos consumidores que têm maiores níveis de exigência.




Não que os equipamentos já disponíveis tivessem pouco desempenho. Simplesmente havia espaço para melhorar e a Microsoft decidiu fazê-lo, reforçando a sua etiqueta do Surface Book como o “portátil definitivo”.

O novo Surface Book, que está a ser definido como ‘Surface Book com base de performance’, tem um melhor processador, um melhor desempenho gráfico e também uma melhor autonomia.

O processador deste modelo é um Intel Core i7 de sexta-geração. A unidade gráfica fica a cargo de uma Nvidia GTX 965M com 2GB de memória dedicada. Relativamente à componente gráfica, a Microsoft diz que esta nova versão do Surface Book consegue entregar duas vezes mais desempenho do que as versões de 2015 e conseguem ser até três vezes mais potentes do que o Macbook Pro de 13 polegadas da Apple.

No total o Surfacebook Book atinge 1,9 teraflops de potência.

O The Next Web destaca o facto de a Microsoft não ter aproveitado as novas placas gráficas da Nvidia para portáteis por uma questão de falta do tempo, o que coloca o Surface Book, um computador de 2016 para 2017, com uma unidade gráfica que não é a mais recente.Microsoft Surface Book 2016Se a questão do desempenho gráfico foi um dos elementos que mais pedidos de melhoria recebeu, a questão da autonomia não ficou atrás.

A Microsoft diz ter modificado a engenharia interna do equipamento para conseguir colocar mais ‘bateria’ dentro do Surface Book. E apesar do incremento no processamento e no desempenho gráfico, a autonomia deverá sofrer um aumento de 30% em comparação com os computadores do ano passado.

Os novos Surface Book garantem uma autonomia de 16 horas, o suficiente para dois dias de horário laboral.

Claro que estas novidades têm um preço: a versão base do novo Surface Book custa 2.399 dólars, o equivalente a 2.195 euros, enquanto a versão mais potente custa 3.299 dólares, cerca de 3.020 euros.

Destaque ainda para o facto de a Microsoft não ter feito qualquer alteração ao Surface Pro 4, mantendo inalterado o dispositivo revelado no evento do ano passado.