Ao fim de três edições parecia que estava criada a tradição de mais um evento tecnológico anual em Portugal. A Maker Faire destacou-se por ser um espaço onde os fazedores portugueses podiam tirar das garagens os seus projetos e mostrá-los a milhares de pessoas que rumavam ao Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, justamente para conhecer estas engenhocas.

Durante o fim de semana a organização da Maker Faire Lisbon confirmou que este ano o evento não se vai realizar.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Um dos mentores do projeto, Celso Martinho, diz numa publicação no blogue oficial da Maker Faire Lisbon que os eventos anteriores “foram sempre bons”, tendo sido reunidas perto de dez mil pessoas por edição.

“No entanto passaram-se algumas coisas na Maker Faire do ano passado, coisas essas que nos trazem ao principal tema desta conversa. Em primeiro lugar as nossas vidas mudaram drasticamente e todas ao mesmo tempo. As principais pessoas responsáveis pela organização da Maker Faire Lisbon, na altura equipas da Ciência Viva e do SAPO, entraram em fases novas das suas carreiras profissionais, fases essas que diminuíram a proximidade e a disponibilidade destas”, começa por esclarecer.

Celso Martinho diz depois que na edição de 2016 o evento acabou por não conseguir atrair tanta diversidade de projetos quanto gostariam que tivesse acontecido. “Ou por outras palavras, começámos a notar uma certa repetição dos projetos, das ideias e do público. O fator novidade não foi tão forte”.

Apesar destes sentimentos, Celso Martinho considera que a missão do evento foi concretizada: trazer maior visibilidade para a comunidade maker em Portugal. “ A Maker Faire Lisbon, durante estes três anos, montou o palco e a rampa de lançamento para muitos projetos e makers em Portugal e gostamos de acreditar que contribuiu para que outras coisas também importantes pudessem acontecer”, sublinha.

Leia também | MILL: Um ponto de encontro para os makers e os seus projetos

A organização diz ter recebido vários pedidos para a realização do evento, assim como manifestações de ajuda para que a Maker Faire Lisbon 2017 fosse uma realidade.

“Não estamos a desistir, não nos interpretem mal. Continuamos muito ligados ao movimento, emocionalmente até, e temos ideias sobre o futuro que esta Maker Faire pode ter, como é que pode crescer, surpreender, ajudar mais e ser mais inclusiva, mas por agora faremos uma pequena pausa”, lê-se no blogue.

Esta passagem em específico parece indicar que a organização do evento optou por uma pausa no formato para poder repensá-lo para futuras edições.

Recorda-se que o FUTURE BEHIND foi parceiro da Maker Faire 2016: pode ver aqui algumas das melhores imagens dessa edição ou recordar vários projetos que passaram pelo Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa.

Sem mais artigos