“Pediste e damos-te uma nova forma de nos veres”. A mensagem foi publicada pela conta oficial da Netflix Portugal no Twitter e assinala a chegada oficial da funcionalidade que permite aos utilizadores descarregarem vídeos da plataforma.

A possibilidade de fazer download de séries, filmes e documentários está por agora restringida a smartphones e tablets. Para ter acesso a esta ferramenta terá de ter instalada a versão mais recente da aplicação móvel do Netflix e garantir que tem pelo menos as versões iOS 8.0 nos dispositivos Apple e Android 4.4.2 nos dispositivos com o sistema operativo móvel da Google.

Deve ainda ter em atenção outro elemento: nem todos os filmes, documentários e séries estarão disponíveis para download. As séries proprietárias e exclusivas do Netflix, como Orange is the New Black, Narcos, House of Cards e Stranger Things estão acessíveis para download.




Há também conteúdos que não foram produzidos pela Netflix e aos quais os utilizadores terão acesso em modo offline, mas por agora ainda não há uma listagem oficial de nomes para o mercado português.

O utilizador deve procurar o símbolo de download junto do nome de cada episódio, no caso de ser uma série, ou então junto do nome do filme ou do documentário.

Os conteúdos descarregados ficam acessíveis numa nova área da aplicação móvel que dá pelo nome de Downloads. Será aqui e só através da aplicação oficial do Netflix é que será possível aceder aos conteúdos.

Destaque final para o facto de ser possível descarregar os vídeos em duas qualidades distintas: uma standard, de menor qualidade, mas que ocupa menos espaço no armazenamento dos dispositivos; e uma alta, a de maior qualidade, e que ocupa mais espaço nos dispositivos.

Dar o braço a torcer

Longe vão os tempos em que os principais executivos da Netflix negavam a possibilidade de algum dia o serviço vir a ter um modo de visualização sem acesso à internet. O Netflix foi concebido como um serviço de streaming e portanto seria sempre necessário garantir uma ligação à internet para aceder aos conteúdos.

Mas a partir do momento em que a gigante norte-americana começou a planear a sua expansão global, estando agora em mais de 190 países, o discurso começou a mudar. O próprio CEO do Netflix, Reed Hastings, tinha admitido no início do ano a possibilidade de a empresa considerar um modo offline pois seria algo positivo para mercados específicos.

“Devemos manter uma mente aberta sobre estes assuntos [modo offline]. À medida que expandimos à volta do mundo, onde vemos um conjunto de redes desiguais, é algo sobre o qual devemos manter a mente aberta”, defendeu em abril.

Por exemplo, em países onde as infraestruturas de internet não estão muito desenvolvidas, pode tornar-se mais difícil visualizar os conteúdos com streams em tempo real.

A verdade é que o modo offline do Netflix acaba por fazer sentido para um grupo muito maior de utilizadores, que vão além dos países onde a internet não é de boa qualidade. Motivo pelo qual a funcionalidade de download está a ser disponibilizada a nível global.

Viagens de avião, viagens de comboio e até viagens de metro. São atividades que ocupam um número considerável de horas na vida de muitas pessoas e que podem ser ocupadas com a visualização de conteúdos em modo offline, o que não tem um impacto direto no plano de dados de cada utilizador.

Pelo que foi possível apurar até ao momento a Netflix não está a colocar restrições de download de conteúdos como existe, por exemplo, no serviço Amazon Prime Video.