Notícia atualizada: Eram quatro da manhã, hora de Lisboa, quando num evento a partir do Japão a Nintendo revelou os pormenores finais relativos à sua nova consola. Ou quase todos. A Nintendo Switch vai ficar disponível no dia 3 de março, com a Nintendo Portugal a já ter confirmado que também chegará ao mercado português nesta data.

Durante a apresentação o presidente da Nintendo, Tatsumi Kimishima, disse que nesse dia a consola chegará ao Japão, EUA, Canadá, aos “principais países europeus” e a outros mercados.




Tatsumi Kimishima revelou também que o preço da consola será de 299 dólares nos EUA. Para a Europa não foi revelado um preço, com a Nintendo a dizer que o mesmo deverá ser consultado junto dos retalhistas – algo que já é prática comum na empresa, devido a algumas regras de comércio que existem na União Europeia.

Os preços da Nintendo Switch em alguns retalhistas europeus varia entre os 330 euros pedidos na Amazon Itália e os 350 euros na Amazon França. Em Portugal a FNAC coloca a Nintendo Switch também nos 330 euros.

“A Nintendo Switch é um novo tipo de sistema de jogo”, começou por dizer o presidente da gigante japonesa no evento de apresentação. O evento foi totalmente dedicado ao hardware e a alguns videojogos que chegarão à consola, não tendo a empresa mostrado, por exemplo, o interface do sistema operativo que vai marcar presença na consola.

A Nintendo Switch é um conceito híbrido de consola doméstica e consola portátil. A Switch é constituída por um sistema de ancoragem ligado ao televisor, a Switch Dock, e também pela consola que se assemelha a um tablet, a Switch. Quando ligada à doca, é possível jogar a Switch no televisor. Quando retira a Switch da doca, poderá jogar a consola em modo portátil ou em modo de repouso – puxando um suporte na parte traseira da Switch.

A Switch tem um ecrã multitoque de 6,2 polegadas, o mesmo tamanho do comando da Nintendo Wii U. A resolução é no entanto superior: 1280×720 píxeis na Switch, quando na Wii U era de 854×480 píxeis.

A Nintendo Switch vai ter 32 GB de armazenamento interno. A memória será expansível via microSDHC ou microSDXC.

Os comandos de jogo da Switch são conhecidos como Joy-Con e de origem vêm dois: Joy-Con esquerdo e Joy-Con direito. Estes pequenos controladores têm sensores de movimento e podem ser usados sem fios, tal como acontecia com a Nintendo Wii. Os Joy-Con podem ainda ser integrados no tablet, nas suas laterais, ou então podem ser integrados no Joy-Con Grip, fazendo assim um controlador de jogo mais tradicional.


Sobre a autonomia, um dos elementos que mais questões levantou ao longo das últimas semanas, a Nintendo confirmou que a Switch poderá chegar às seis horas de jogo, mas tudo dependerá do jogo em questão. No pior dos cenários a autonomia da consola poderá durar apenas duas horas e meia, confirmou o presidente da empresa nipónica.

Tatsumi Kimishima deixou ainda os primeiros detalhes sobre o sistema de jogo online da Switch. A consola terá um serviço dedicado e pelo que o presidente da Nintendo revelou, deverá assemelhar-se aos sistemas implementados nas consolas rivais, como o Xbox Live e o PlayStation Plus. Tatsumi Kimishima confirmou que nos primeiros meses após o lançamento o serviço online da Nintendo será gratuito, mas que no final do ano, durante o outono, o serviço passará a ser pago. O preço serviço não foi adiantado.

Além da possibilidade de jogar online, a Nintendo Switch vai suportar um sistema multijogador local, que permitirá emparelhar um máximo de oito consolas.

Há também boas notícias relativamente ao bloqueio por região. Aquela que tem sido uma prática comum nas consolas da Nintendo deverá desaparecer na sua maioria, confirmou hoje, 13 de janeiro, o presidente no evento de apresentação. Quer isto dizer que independentemente do país onde um jogo for lançado, esse título vai ficar disponível para os jogadores em todo o mundo.

Joy-Con

Além do conceito de consola híbrida, os controladores Joy-Con são um dos elementos em destaque na Nintendo Switch. Sobretudo pela sua flexibilidade, já que tanto podem estar integrados no tablet, podem estar integrados no Joy-Con Grip para formar um comando mais tradicional ou podem simplesmente ser segurados de forma independente.

A Nintendo dedicou parte da sua apresentação a explicar com mais detalhe como vão funcionar os Joy-Con e como poderão ser usados. Por exemplo, tanto é possível o utilizador usar os dois Joy-Con, como pode apenas precisar de um para ter acesso a uma experiência multijogador local, sendo o segundo Joy-Con segurado pelo ‘rival’.

Nintendo Switch

A Nintedo confirmou ainda que terá duas versões da Switch à venda: uma que vai trazer os Joy-Con vistos na imagem em cima, na cor cinzento, e outra versão vai trazer Joy-Con coloridos, como os que pode ver nas imagens abaixo:

Os Joy-Con vão trazer de origem um pequeno acessório que adiciona uma pequena correia para que possa prender os comandos ao braço, para uma maior segurança durante a jogabilidade ‘wireless0. Este acessório também torna mais proeminentes os dois botões traseiros que cada um dos Joy-Con tem.

O executivo responsável pela supervisão do hardware da Switch, Yoshiaki Koizumi, também participou no evento para revelar outros pormenores. Por exemplo, é nos Joy-Con que está o suporte para tecnologia NFC, o que permitirá usar as figuras Amiibo da Nintendo.

Cada Joy-Con pesa cerca de 50 gramas

Yoshiaki Koizumi também confirmou que traz uma nova tecnologia de vibração que é apelidada de HD Rumble. Na prática a Nintendo tenta passar ao utilizador algumas sensações através dos padrões de vibração do comando. A tecnológica japonesa deu um exemplo onde o utilizador será capaz de distinguir se o comando está a imitar um copo com apenas um cubo de gelo ou três.

Os Joy-Con têm ainda sensores infravermelhos que permitem ao sistema de jogo ter uma melhor perceção do movimento e do posicionamento do jogador. O Joy-Con direito tem ainda o botão de Home, que permitirá regressar ao menu principal da consola, enquanto o Joy-Con esquerdo tem um botão dedicado para a captura de screenshots – a Nintendo confirmou que no futuro servirá também para fazer a captação de vídeo.

Nintendo Switch Joy-Con

A Nintendo confirmou que vai vender comandos Joy-Con em separado, custando cada um 50 dólares. Um pacote com dois Joy-Con vai custar 80 dólares. Já cada Nintendo Switch Dock extra – para poder ligar a consola em vários televisores pela casa – vai custar 90 dólares. O comando Pro para a Nintendo Switch vai ter um preço de 70 dólares.

Jogos

Uma boa parte do evento foi dedicada à apresentação e confirmação de jogos para a Nintendo Switch. Sobre os jogos que estão confirmados para a nova consola da Nintendo poderá ler mais AQUI, mas vale a pena destacar que a empresa preparou dois grandes lançamentos para o dia de lançamento: The Legend of Zelda: Breath of the Wild e 1, 2 Switch.

O jogo 1, 2 Switch foi pensado para tirar partido da possibilidade multijogador dos Joy-Con, disponibilizando vários mini-jogos que na prática vão ensinar a usar os controladores.

Também já foi confirmado que os principais jogos da Nintendo Switch, como The Legend of Zelda: Breath of the Wild, vão custar 60 dólares. Esta será a configuração visual das versões físicas dos jogos.

A Nintendo revelou que há 50 estúdios a desenvolver jogos para a Switch e que no total estão 80 jogos em desenvolvimento.

N.R. [08:04 de 13/01/2017]: Notícia atualizada com a informação da Nintendo Portugal sobre a chegada da consola ao mercado português no dia 3 de março;
[08:27 de 13/01/2017]: Notícia atualizada com informação sobre o preço da Switch em alguns retalhistas europeus;
[14:25 de 13/01/2017]: Notícia atualizada com informação do preço da consola em Portugal na FNAC;