Nioh Collection

Análise Nioh Collection – PlayStation 5

Com a Playstation 5 a chegar a casa de mais e mais portugueses, a Sony decidiu remasterizar uma coleção para os fãs da gigante japonesa. Nioh Collection traz-nos Nioh e Nioh 2 com opções de jogabilidade que nos permitem atingir os 4K ou os 120fps, com áudio melhorado, com as novas funcionalidades para o Dualsense, e loading screens que nem a 2 segundos chegam.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

.

O primeiro modo que experimentamos foi o modo 4K. Notámos logo que não estávamos a lidar com upscaling nenhum como na PS4 Pro, mas sim 4K nativos, com uma qualidade de imagem incrível, e texturas e materiais mais detalhadas que os originais. Mantém 60 fotogramas por segundo estáveis, permitindo uma experiência fluída, facilitando o combate tornando os nossos comandos mais precisos.

Em Nioh Collection temos 3 modos por onde escolher:

Modo Standard PlayStation 5 – Resolução dinâmica, sombras e objetos à distância melhorados, 60 fps estáveis)

Modo 4K – 4K nativo, 60 FPS estáveis, sombras e distância reduzidas

Modo 120fps – Distância e sombra drasticamente reduzidas a favor dos FPS que, nesta oportunidade não conseguimos testar por não termos um monitor compatível.

Mesmo nas áreas mais exigentes de ambos os jogos, a PlayStation 5 consegue manter-se sempre nos 60fps, com raras quedas que sinceramente nem dão para reparar se não estivermos à procura das mesmas. Esta fluidez acontece tanto no modo Standard PlayStation 5 como no modo onde a resolução é puxada para os 4K.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Visualmente Nioh 2 está muito mais rico, talvez por ser um título mais recente e naturalmente ter mais efeitos e melhor iluminação, e com a remasterização eleva ainda mais essas melhorias.

A verdadeira nova geração

A Team Ninja ao fazer um remaster para PlayStation 5 não se podia esquecer de utilizar duas das características que tornam a PlayStation 5 tão única, falamos é claro do comando (DualSense) e do 3D Audio da nova consola da Sony. A tensão do arco e o gatilho das armas são sentidos nos botões traseiros do comando com precisão, dando assim enorme satisfação ao utilizar, isto sem nunca se tornar cansativo. Apesar disso, gostaríamos ter sentido texturas mais detalhadas como em Astro’s Playroom… talvez um façam num futuro título. Fica a ideia.

Quanto ao áudio, sentimo-nos mesmo no meio dos ambientes que o jogo nos proporciona. Tanto com um sistema de som ou ao utilizar o 3D Audio implementado, vão ter uma experiência envolvente fazendo com que consigam ouvir ao detalhe de onde cada som vem. Esperamos ver mais estúdios a apostar nestas funcionalidades aos poucos, pois tornam a experiência de jogos mais realista e imersiva.

patreon

Considerações Finais

Mesmo não podendo comparar um remaster a um remake, não conseguimos deixar de pôr esta coleção ao lado do remake de Demon’s Souls. Gostaríamos de ter visto melhorias gráficas mais óbvias para além de resolução e framerate. Como texturas mais elevadas no mundo à nossa volta, e iluminação mais digna desta geração, pelo menos no Modo Standard PlayStation 5.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

+ 4K nativos ou 120 FPS

+ Loading Screens de 1 segundo

+ Faz bom uso do Dualsense

– Falta de um melhoramento gráfico mais drástico

N.R.: A análise a Nioh Collection foi realizada numa PlayStation 5 com acesso a uma cópia do jogo gentilmente disponibilizada pela PlayStation Portugal.