Já passaram mais de 15 anos desde que o Nokia 3310 foi apresentado ao mundo, deixando a sua marca como um dos equipamentos mais populares de sempre. Estima-se que tenham sido vendidas 126 milhões de unidades apenas deste modelo de telemóvel. Agora que a HMD Global está a ressuscitar a marca Nokia, a tecnológica decidiu que trazer de volta o icónico telemóvel também devia fazer parte da sua estratégia. É caso para dizer: o campeão voltou.

A revelação do Nokia 3310 foi o momento ‘só mais uma coisa’ da HMD Global no Mobile World Congress. O diretor executivo da empresa, Arto Nummela, já estava de saída do palco quando disse que tinha algo mais para apresentar.




No grande ecrã surgiram imagens daquele que é o novo Nokia 3310: o equipamento está diferente, mas ao mesmo tempo mantém muito da imagem que o tornam inconfundível. O design sofreu uma modernização, com o Nokia 3310 a apresentar-se mais fino e mais estreito do que o seu antecessor. As teclas mantêm o formato oval que todos lhe reconhecessem.

Durante a apresentação foi confirmado que a bateria consegue aguentar 22 horas em comunicação constante ou então um mês em modo stand-by. “Tem o jogo Snake e o tem o ringtone da Nokia”, acrescentou depois o CEO da HMD Global, naquele que é um claro apelo aos saudosistas.

As características técnicas não serão certamente o elemento que vai atrair os consumidores, mas aqui ficam em caso de curiosidade: ecrã de 2,4 polegadas com 320×240 píxeis de resolução, câmara fotográfica de dois megapíxeis, suporte para cartões microSD e vem equipado com o software Nokia Serie 30+. Não existe suporte para Wi-Fi e só há suporte para dados móveis na tecnologia 2.5G.

O novo Nokia 3310 vai estar disponível em quatro cores – vermelho, amarelo, azul e cinzento – e vai custar 49 euros quando chegar ao mercado no segundo trimestre do ano.

N.R. [16:53 de 26/02/2017]: Artigo atualizado com mais informações sobre o Nokia 3310

Mobile World Congress 2017

Sem mais artigos