Quando se fala de óculos e tecnologia é quase impossível não lembrar os Google Glass, um wearable que apesar de promissor acabou por ter vida curta devido à falta de maturidade do projeto e também devido ao impacto visual que tinha no utilizador e nas pessoas à sua volta. A empresa VSP Global chegou a trabalhar com a Google para ‘normalizar’ o aspeto dos Glass, mas nem isso chegou para salvar o gadget.

Agora a VSP Global está a tomar a sua própria iniciativa tecnológica e apresentou os Level, óculos que parecem iguais a tantos outros, com a exceção de estarem carregados de sensores tecnológicos.




As componentes de eletrónica estão integradas nas hastes dos óculos, o que não tem qualquer impacto no seu aspeto visual. Ao contrário dos Google Glass não têm um componente de realidade aumentada, apenas vão funcionar como um wearable que vai registar a atividade física do utilizador.

Os Level estarão disponíveis em três designs diferentes inspirados em três criadores: Nikola Tesla, Marvin Minsky e Hedy Lamarr

Os óculos Level têm acelerómetro, giroscópio e magnetómetro, assim como um módulo Bluetooth. A bateria tem autonomia para três dias e os utilizadores apenas precisarão de 30 minutos para uma carga completa, salienta o Engadget.

Por agora a VSP Global vai começar um período de testes num grupo reduzido de utilizadores para perceber como se comportam os óculos no ‘mundo real’. Os utilizadores vão ter uma aplicação companheira para smartphone que vai registando dados como calorias queimadas, passos percorridos e tempo total em atividade.

Esta aplicação também traz uma funcionalidade que para os utilizadores de óculos pode ser interessante: Find My Glasses. Na prática é uma ferramenta que permite ao utilizador saber onde estão os seus óculos recorrendo ao smartphone.

Um dos aspetos em destaque neste novo projeto é o facto de a empresa ter criado uma parceria que traz uma componente de desafio e solidariedade aos óculos Level. Os utilizadores vão ter determinadas missões de atividade física que terão de cumprir. Quando concretizadas a pessoa ganha pontos e esses pontos servem depois para que a iniciativa Eyes of Hope pague exames de oftalmologia a pessoas carenciadas. Ou seja, quanto mais andar mais pessoas estará a ajudar.

O período de testes vai durar quatro meses e vai ser feito em parceria com a Universidade da Califórnia do Sul, nos EUA. Isto porque a VSP Global considera que o seu projeto está mais ligado à área da saúde do que ao mercado da eletrónica de consumo.

Os dados recolhidos ajudarão a dar mais significado a alguns diagnósticos como glaucoma, cataratas e degeneração macular, explica a VSP em comunicado.

Olhando para o que os Level pretendem atingir e olhando para o que aconteceu aos Google Glass, parece que a VSP Global está a adotar uma estratégia totalmente oposta: não está a focar-se tanto na tecnologia, está simplesmente a adaptar o conceito de óculos em vez de os tentar revolucionar por completo e está a explorar a familiaridade que os utilizadores já têm com o conceito de óculos para lhes darem vantagens proporcionadas pela tecnologia.

Sem mais artigos