As experiências imersivas que os dispositivos de realidade virtual proporcionam acabam por ser um pouco isoladoras: só a pessoa que está com os óculos é que consegue ver e viver a experiência na primeira pessoa. Mas a realidade virtual não precisa de ser sinónimo de solidão e a Oculus está a lutar para provar esta ideia.

O Facebook já mostrou como serão as experiências sociais de realidade virtual que está a preparar para os Oculus Rift, mas acabou por ser no ambiente mobile a primeira aposta da empresa. A partir de hoje os Samsung Gear VR vão receber duas novas funcionalidades que têm o convívio como elemento comum.




Uma das novas funcionalidades chama-se Parties e permite que os utilizadores partilhem experiências de realidade virtual através de chamadas pela internet. Um exemplo: três amigos decidem ver o mais recente vídeo imersivo do The New York Times e podem estar a comentar em direto com os outros o que estão a ver.

Nesta funcionalidade é possível ter até quatro pessoas ‘em linha’, podendo o utilizador ser convidado para juntar-se a outras festas ou fazer a sua própria Party. O modo Parties estará acessível a partir do menu de aplicações Oculus Home dos Gear VR.

Mas se na sua opinião uma simples conferência telefónica com os amigos ou familiares não é suficiente para chamar as experiências VR de sociais, nesse caso a Oculus preparou algo diferente e mais imersivo.

A funcionalidade Rooms permite juntar quatro pessoas na mesma sala virtual. Os utilizadores veem de facto as outras pessoas – não as suas caras, mas avatares representativos de cada um, conta a Fast Company. Nestas salas os utilizadores vão poder desenvolver atividades em conjunto, como ver os vídeos mais populares do Facebook ou interagirem através de mini-jogos que existem na sala.

Oculus Parties Rooms

Imagem de como vão funcionar as Rooms nos Gear VR. #Crédito: Oculus

A partir desta sala as pessoas também terão acesso a todas as aplicações que suportam componente multiplayer. Imaginando que é um first person shooter, basta as diferentes pessoas escolherem a mesma app para iniciarem o jogo juntas. Para o caso de algum utilizador querer jogar e não ter a aplicação instalada, então todos os outros terão de esperar até que o processo esteja concluído.

A aplicação Rooms aproxima-se daquilo que o Facebook mostrou durante a Oculus Connect 2016 e começa assim a concretizar-se a visão social que a tecnológica norte-americana tem para o segmento da realidade virtual.

A mesma tipologia de experiências só deverá ficar acessível nos Oculus Rift no decorrer de 2017.