Quando abandonámos o espaço da Oppo no Mobile World Congress, fizemo-lo com sentimentos mistos. Por um lado viemos com a curiosidade saciada sobre aquela que é uma das marcas de smartphones do momento. Por outro lado viemos chocados com o Oppo R9S, uma imitação de grande nível do iPhone 7s da Apple. Viemos ainda muito impressionados com a inovação que a empresa apresentou na área da fotografia. É sobre este último ponto que vamos falar com maior detalhe.

A Oppo já tinha dito que não iria apresentar um dispositivo novo no MWC, apresentaria antes uma nova tecnologia que a empresa pretende vir a integrar nos seus equipamentos. Por agora o sistema é apenas conhecido como 5X Dual Camera Zoom.




Este sistema é tecnologicamente engenhoso: na prática a Oppo desenvolveu um mecanismo para captação de imagens que é inspirado nos periscópios. Enquanto um dos sensores de imagem está posicionado de forma tradicional, sempre virado para o motivo da fotografia, o segundo sensor está posicionado num ângulo de 90º.

A Oppo usa depois um conjunto de lentes óticas e um prisma para fazer o redirecionamento da luz para o sensor que está na posição lateral. Isto permite que os smartphones tenham boas capacidades de zoom ótico sem que isso tenha um impacto significativo no design do equipamento – os chamados camera bumps, isto é, as gandes saliências que nos últimos anos invadiram as partes traseiras dos smartphones a favor de uma melhor qualidade fotográfica.

Este sistema pode ser incorporado em smartphones que tenham até 5,7 milímetros de espessura – a média dos smartphones topo de gama ronda os sete milímetros de espessura.

Se no papel a nova tecnologia da Oppo parece complicada de executar e de transformar num conceito comercial, do ponto de vista do utilizador este novo sistema é simplesmente genial. No Mobile World Congress a Oppo tinha um espaço apenas com dispositivos de demonstração que já equipavam o 5X Dual Camera Zoom. O resultado foi impressionante.

Em primeiro lugar é muito simples ativar as capacidades de zoom do smartphone. A colocação de um botão virtual dedicado permite que em apenas dois toques o utilizador já esteja com um zoom de 5x ativo. Uma forma muito mais user friendly do que usar dois dedos no ecrã para aumentar o detalhe da imagem.

O duplo sensor permite fazer um zoom até 10x, mas o zoom ótico ‘puro’ só funciona até 3x. Quer isto dizer que se quiser preservar o máximo de qualidade deve optar por um zoom de 3x, mas se quiser mesmo explorar todos os detalhes de uma determinada composição então pode puxar também pela parte de software para conseguir esse resultado – ainda que exista depois uma perda de qualidade.

Então porque motivo a tecnologia chama-se 5x Zoom? Isto acontece pois entre o 3x e o 5x a Oppo utiliza informação do sensor de imagem ‘tradicional’ para evitar uma perda de qualidade na imagem. No entanto, o zoom ótico mecânico, por assim dizer, só funciona até 3x.

Pelo que experimentámos o sistema desenvolvido pela Oppo funciona muito bem. Sobretudo na parte da estabilização de imagem, um dos maiores problemas que afeta a captação de imagens com um zoom intenso. A Oppo colocou estabilizadores óticos nos dois sensores, o que ajuda a diminuir as ‘tremidelas’ das fotografias captadas em zoom.

Isso resulta em disparos que não sendo perfeitos, apresentam-se com grande qualidade e são muito superiores aos resultados que podemos obter com os smartphones que estão atualmente no mercado.

Oppo Zoom

Foi grande o interesse pela nova tecnologia que a Oppo apresentou em Barcelona. #Crédito: Future Behind

Gostamos também do facto do disparo ser rápido, algo que podia não acontecer devido à maior ‘viagem’ que a luz tem de fazer pelo prisma e pelas lentes até ao segundo sensor.

A tecnológica chinesa apresenta assim mais uma proposta diferenciadora no que diz respeito à tendência dos duplos sensores fotográficos: a Huawei, por exemplo, aposta num sensor RGB e noutro monocromático, enquanto a LG usa o duplo sensor para conseguir imagens de grande angular.

A Oppo ainda não revelou quando pretende introduzir esta tecnologia num equipamento comercialmente disponível, nem se vai mantê-la apenas nos seus smartphones ou se tenciona licenciá-la.

A tecnologia em si nem sequer foi desenvolvida pela Oppo. A empresa chinesa licenciou a principal patente à startup israelita Corephotonics – mas agora que tem o exclusivo sobre o sistema, a Oppo já submeteu outras 50 patentes, revela o Engadget. Este parece ser um sinal claro de que a Oppo vai querer capitalizar com esta tecnologia de captação de imagens.

Mobile World Congress 2017