Philips Momentum 558M1RY

Philips Momentum 558M1RY – O dia a dia com o monstro de 55″

A linha Philips Momentum sempre foi especial, pensada não só para os jogadores, mas também para aqueles que querem um bocado mais de cor, e aquele efeito wow, no seu setup. A cor sempre veio, e continua a vir, da tecnologia ambiglow presente nestes monitores da Philips. Por sua vez, o efeito wow vem do design dos monitores em questão, especialmente quando olhamos para o upadte feito à linha durante o ano de 2020. Mas como é que será viver com o Philips Momentum 558M1RY na sala?

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Há uns meses o monstro de 55” que dá pelo nome de Philips Momentum 558M1RY entrou na sala. Estava a ser transportado por um porta-paletes, tal é o tamanho do monitor criado para os jogadores de consola, mas mesmo com o susto inicial o gigante tem vindo a conquistar o dia a dia de alguém que perdeu a TV para ter um monitor de tamanho acima da média.

Porque os monitores não se medem aos palmos, aqui está um gato (na verdade é uma gata) para escala:

Philips Momentum 558M1RY

Os primeiros passos ao receber o Philips Momentum 558M1RY

Vamos saltar à frente da parte em que o monitor numa palete e teve que ser transportado num porta paletes. Vamos também saltar a parte de passar por 4 degraus com o monitor. Caixa aberta, TV da sala posta de lado, e estamos prontos para olhar de frente para o monstro que é o Philips Momentum 558M1RY. O design bastante simples ajuda a que a barra de som da Bowers & Wilkins seja o verdadeiro destaque, não importando muito de que lado é que estamos a olhar.

Já que a TV da sala foi colocada de lado para receber o Philips Momentum 558M1RY uma das primeiras coisas a fazer após ficarmos fascinados com as linhas do monitor foi mesmo arranjar uma solução para conseguir ver Netflix, Disney+, Amazon Prime… bem televisão no geral. A primeira solução foi adquirir um Amazon Fire Stick e instalar todas as aplicações necessárias, no entanto, depressa passamos para uma Apple TV 4K. A solução da marca da maçã mostrou-se mais rápida e intuitiva de usar, sem falar que foi e é capaz de nos entregar tudo o que geralmente temos numa Smart TV.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Com três entradas HDMI e uma Display Port o 558M1RY tinha o suficiente para três consolas e um PC, não que tenha um tamanho bom para tarefas normais de PC, mas para pegar em plataformas como o Google Stadia ou até mesmo dar uso à nossa biblioteca Steam é o ideal, acabando por dar a experiência de sofá mesmo enquanto jogamos no PC (caso o jogo permita largar o teclado e o rato, está claro).

Desde então tem sido essa a nossa “vida”. Sofá com o Philips Momentum 558M1RY para jogos possíveis de pegar de comando. E, claro, secretária, com o irmão mais pequeno (e de “geração” anterior) do monitor que agora falamos.

.0 podia ser .1

Com 3840 x 2160 de resolução e uma taxa de atualização de 120Hz quando ligado por Display Port ou por HDMI (com resolução QHD) o monitor da Philips bem que pedia que as portas HDMI fossem 2.1 ao invés das 2.0 utilizadas para assim melhor aproveitar aqueles 120Hz… principalmente quando se olha para a etiqueta do preço… ronda os 1400 euros.

Claro que o Philips Momentum 558M1RY vem equipado com outras opções de conectividade que fazem com que seja um monitor bem completo e com características de topo, principalmente quando olhamos para o seu tamanho:

  • HDR – DisplayHDR 1000
  • Tempo de resposta – 4ms (Cinzento a Cinzento)
  • Tecnologia AMD FreeSync™ – Premium Pro
  • USB – 1 USB-B (upstream), 4 USB 3.2 (downstream com 2 B.C. 1.2 de carregamento rápido)
  • MultiView – Modo PIP e PBP. Dois dispositivos
  • Ambiglow – Ideal para dar aquela cor ao vosso setup / sala enquanto jogam ou consomem multimédia.
  • SmartImage HDR – Varios tipos de imagem que se adaptam da melhor forma ao conteúdo que estão a consumir.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Para além disto tudo, é importante referir que um monitor deste tamanho vem equipado com um controlo remoto para poderem utilizar como se de uma televisão se tratasse, mas com as características de um monitor pensado exclusivamente para as consolas que têm aí por casa, mas sem nunca esquecer o computador.

A Bowers & Wilkins desenhou o som para nos transportar até ao jogo

A marca Inglesa, especialista em som, desenhou uma barra de som especifica para o Philips Momentum 558M1RY e para aquilo que o monitor da Philips foi pensado para: jogar e consumir multimédia. Existem 6 modos de som, desenvolvidos pelos engenheiros da Bowers & Wilkins, para que qualquer que seja a utilização que dão ao Momentum tenham a certeza que estão a receber o melhor som possível.

O que mais experimentamos por aqui foi mesmo o modo para visualização de filmes, o modo para jogar RPGs e jogos de aventura e ainda o modo de música. Este ultimo com a tecnologia True Sound da B&W que proporciona o desempenho sonoro pretendido pelo criador da música que estão a ouvir.

Por exemplo, o modo de música permite-nos de facto ouvir cada instrumento, cada grave e cada agudo, tornando a experiência Spotify muito mais agradável que no monitor normal. Mesmo ao utilizar serviços com o YouTube para ver uma atuação ao vivo este modo faz com que a experiência sonora seja um pouco melhor do que quando usamos, por exemplo, o modo para a visualização de filmes.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Este modo, o de visualização de filmes, pareceu-nos um mais aproximado da experiência oferecida pelo modo pensado para jogar títulos de aventura, onde cada jogador quer ser transportado para dentro da ação. Aqui o som é envolvente e aposta em graves fortes, dando um certo efeito dramático ao que estamos a ouvir, algo benéfico em grande parte dos jogos de aventura. Nota: Jogar Final Fantasy VII Remake neste ecrã foi uma experiência fantástica… claro que a qualidade do jogo ajuda, mas conseguirmos ouvir a banda-sonora com tanta clareza. Tão bom!

Importa ainda referir que a barra de som criada para o Philips Momentum 558M1RY está revestida num tecido próprio para altifalantes, criado pelo fabricante Kvadrat. O material é uma mistura de lãs, tornando-se acusticamente “transparente”, fazendo com que, diz a marca, as ondas de som sejam emitidas sem obstáculos. Algo que não tivemos conseguimos comprovar, mas acreditamos tal é a qualidade do som neste monitor.

Philips Momentum 558M1RY

PlayStation 5, Nintendo Switch, Xbox Series X | S e PC

Testando qualquer um dos jogos com despenho estável em qualquer uma das plataformas não foi possível perceber qualquer tipo de falta de performance por parte do ecrã, apresentando sempre taxas de atualização constantes, provavelmente por culpa da tecnologia AMD FreeSync.

Claro que não é monitor para ter na secretária (pensando numa secretária de tamanho normal), mas é certamente monitor para quem gosta de jogar no sofá… diríamos até que é ideal para uma noite de jogos em família, mesmo quando o jogo escolhido vem do PC ou de serviços com o Google Stadia ou o Xbox Game Pass que está, também ele, logo a chegar aos PCs com Windows 10.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Bem sabemos que existem muitos monitores com estas características ou até com este tamanho pelo que é fácil de perceber que o elemento que se destaca no Philips Momentum 558M1RY é mesmo a qualidade do som que nos transmite. A imersão sonora que recebemos em jogos como The Last of Us Parte II ou até mesmo em Ori and the Will of the Wisps é algo que nunca tínhamos presenciado quando apenas a usar o som que sai do monitor.

E sim, o preço é puxado. No entanto, após uma rápida pesquisa no website da B&O depressa percebemos que a barra de som mais “em conta” vale mais de 1000 dólares. E sim, caso exista essa disponibilidade, diríamos que vale a pena.

O Philips Momentum 558M1RY passou a ser o monitor de todos os dias

Algo nos diz que a televisão da sala não vai voltar ao seu local de origem, já foi enviada para outras paragens. Enquanto este Philips Momentum 558M1RY por cá continuar, passou a ser a “TV da sala” com o auxílio da Apple TV 4K não há muito mais que seja necessário.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

A única coisa que pouco usamos é mesmo a tecnologia Ambiglow, não o fazemos de forma a reduzir o consumo energético do Momentum já que a classe do monitor não é a mais eficiente (G). E, embora seja giro e crie um ambiente diferente em torno da imagem transmitida, acaba por não ser nada que dê aquele efeito “wow” como tivemos com a qualidade sonora do ecrã.

Para melhor ficarem a conhecer o aspeto do Philips Momentum 558M1RY podem visitar a galeria de imagens que criamos para o mesmo.

patreon