Artigo por Armando Sousa, André Santos e Diogo Ferreira
Revisão: Abel Maio

Hoje, 18 de março, foi o dia escolhido pela Sony Interactive Entertainment [SIE] para mostrar à comunidade de developers aquilo que vai ser a próxima consola da família PlayStation, a PlayStation 5. Numa apresentação unicamente dedicada à arquitetura de todo o sistema PlayStation 5 nada ficamos a saber sobre o aspeto da consola ou sobre o preço a que vai chegar ao mercado, mas temos algumas novidades.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

A apresentação, bastante técnica, na qual a SIE optou por não entrar em detalhes sobre design (nem aquilo que se espera ser o DualShock 5 foi mostrado), deu-nos a perceber que a consola apresenta algumas características técnicas bastante interessantes e que poderemos ter mais uma maquina a chegar ao mercado.

Principais características:

CPU –  x86-64-AMD Ryzen™ “Zen 2” // 8 Cores / 16 Threads // Variable frequency, up to 3.5 GHz

GPU – AMD Radeon™ RDNA 2 // Ray Tracing Acceleration // Variable frequency, up to 2.23 GHz (10.3 TFLOPS)

Memória – GDDR6 16GB // 448GB/s Bandwidth

SSD – 825GB // 5.5GB/s Read Bandwidth (Raw)

PS5 Game Disc – Ultra HD Blu-ray™, up to 100GB/disc

Vídeo Out –Support of 4K 120Hz TVs, 8K TVs, VRR (specified by HDMI ver.2.1)

Áudio – “Tempest” 3D AudioTech

Embora, para o consumidor considerado normal, a apresentação de hoje não seja a mais interessante que se poderia estar a imaginar, existem alguns fatores que serão interessantes de analisar: 

  • A SIE deu a entender, durante a apresentação, que a PlayStation 5 virá equipada com um sistema de retrocompatibilidade que fará com que consigamos jogar grande parte dos jogos PlayStation 4 na nova consola desde o seu lançamento. O exemplo dado, durante a apresentação, foi que a PlayStation 5 estará preparada (na data de lançamento) para correr, pelo menos, maior parte dos 100 jogos mais jogados da PlayStation 4.

 

  • Outro dos principais pontos foi o grande foco na acessibilidade para que todos os utilizadores possam ter uma experiência de som imersivo, uma experiência premium. A SIE explicou também, em grande detalhe, as inovações de hardware e não só, que irão permitir que a nova consola dê uma experiência surround de som 3D até nas simples colunas das televisões.

 

  • Foi mostrado como a PlayStation 5 irá conseguir elevar-se a um patamar onde pretende que os jogos não tenham loadings e consigam sempre a melhor frame rate. Foi ainda detalhado, ao pormenor, uma nova arquitetura de chips desenhada pela Sony que irá permitir ultrapassar barreiras que hardware convencional não consegue. Tudo para que a leitura de informação do armazenamento até à memória seja o mais fluída e rápida possível.

 

  • Ao mencionarem a unidade de processamento gráfico (GPU) anunciaram também que deste projeto surgiu uma parceira entre a Sony e a AMD para desenharem em conjunto o que irá ser (ou já é) o chip que irá dar à PlayStation 5 toda a sua potência gráfica. Resultado desta parceria, surge um GPU feito à medida para PlayStation 5, pensando em todos os seu pormenores.

 

  • Por fim importa mencionar que foi endereçado o problema do ruído e temperatura que a PlayStation 4 tinha (tem). Depois de uma explicação muito técnica e profunda de frequências e consumo de energia, o que realmente interessa é que surge a promessa que vamos ter uma consola sempre silenciosa, e fresca.

 

 

 

 

Sem mais artigos