É já esta semana que o Solar Impulse 2 vai terminar a sua volta ao mundo. Demorou muito mais tempo do que o esperado devido a graves problemas técnicos que afetaram o avião movido exclusivamente a energia solar. Um dos aspetos interessantes é que depois da pausa forçada surgiram novos patrocinadores para a missão, ou seja, muitos reconheceram o valor do projeto e que aqueles contratempos são normais para a escala da missão. Um avião movido a energia solar está prestes a dar a volta ao mundo e isso ninguém pode apagar.

Boa segunda-feira.

Prisma já está disponível para Android: Depois do sucesso no iOS e de uma versão beta muito breve para Android, aquela que é uma das aplicações do momento chegou de forma definitiva à loja de aplicações do sistema operativo da Google. A Prisma é uma aplicação de edição de imagens que recorre a um sistema de inteligência artificial para aplicar filtros às fotografias que são inspirados nos estilos de artistas como Pablo Picasso ou Wassily Kadinsky.
Fonte: Android Authority / Google Play



Solar Impulse 2 já arrancou para a sua última etapa: O avião que se desloca apenas e só através da energia solar já partiu do Cairo, no Egipto, para a sua última etapa. A chegada a Abu Dhabi está prevista para daqui a dois dias – talvez um pouco mais – e marcará o fim de uma saga pelos ares que durou mais de ano e meio. Mas no fim fica a lição: já é possível dar a volta ao mundo apenas com energias renováveis.
Fonte: Reuters

Novos pokémons acabarão por chegar até Pokémon GO: A possibilidade foi deixada em aberto pelo diretor executivo da Niantic, John Hanke, durante um painel na Comic Con San Diego, nos EUA. O CEO falou também na ideia de transformar algumas pokéstops em localizações personalizáveis como centros de recuperação pokémon. Melhorar a criação de pokémons, as funcionalidades de treino e acrescentar a possibilidade de troca são outras áreas que estão a ser discutidas.
Fonte: The Verge

Transístores podem deixar de encolher daqui a cinco anos: A Associação para a Indústria dos Semicondutores – e que engloba empresas como a IBM e a Intel – publicou um estudo onde explora qual o futuro dos chips. E de acordo com as expectativas as empresas deixarão de querer reduzir os transístores sensivelmente a partir de 2021. Isso explica-se com o facto de haver poucas empresas de grande dimensão no mercado e que não vão conseguir suportar totalmente os custos de investigação que uma constante redução no tamanho dos chips está a exigir. A Intel, por exemplo, já abandonou o seu modelo tic-toc.
Fonte: Engadget

Ações da Nintendo com maior queda desde 1990: A tecnológica japonesa tem vivido semanas positivas na bolsa de valores graças ao sucesso de Pokémon GO. Mas hoje sofreu uma quebra de 18%. Porquê? A Nintendo emitiu um comunicado para os investidores onde diz que o impacto do jogo Pokémon GO nas suas contas trimestrais será reduzido. Isto porque a Nintendo tem uma baixa ‘participação’ no jogo, cabendo as fatias maiores à Niantic e à The Pokémon Company.
Fonte: Bloomberg

Sem mais artigos