Uma compra obrigatória para os retrogamers e ainda uma forma de combater a pirataria de jogos já com algumas décadas. A Nintendo anunciou o lançamento da Nintendo Classic Mini: Nintendo Entertainment System. Na prática é uma versão muito mais pequena e mais moderna da clássica NES.

A consola chega a Portugal a 11 de novembro, deverá custar 59,99 euros [preço ainda por confirmar] e trará de origem 30 jogos para que os utilizadores possam desde o início ter acesso a uma verdadeira experiência de retrogaming. A mini-NES vem equipada com uma entrada multimédia HDMI para que possa ser ligada aos televisores mais modernos.



Outro dos aspetos modernos desta nova versão da Nintendo Entertainment System é o facto de os jogos incluírem os chamados pontos de suspensão, que na prática são momentos do jogo que o jogador atinge e ajudam a salvar o progresso, não tendo de regressar ao início sempre que começa o jogo novamente.

A consola vai trazer também um controlador próprio e dedicado aos jogos integrados na consola. Este comando pode ainda ser ligado ao comando da Nintendo Wii para funcionar com as consolas mais recentes da gigante tecnológica, como a Wii U, no modo Virtual Console. Cada Nintendo Classic Mini: Nintendo Entertainment System vai suportar dois comandos, sendo que o segundo terá de ser comprado em separado.

Nintendo Entertainment System

A consola vem ainda com uma entrada USB através da qual vai receber a alimentação energética, mas a Nintendo já informou que de origem não vai incluir qualquer carregador.

A mini-NES faz sentido para a Nintendo

A Nintendo é uma das empresas de videojogos com mais tradição e historial no mercado. É também um dos estúdios de produção que mais franquias icónicas criou ao longo dos últimos 30 anos como Super Mario, Zelda, Donkey Kong, Star Fox, Metroid ou Pokémon – ainda que este último mais nas consolas portáteis.

Há muito que a Nintendo tem explorado e rentabilizado o seu vasto portfólio de jogos. A tecnológica japonesa tenta garantir sempre uma componente de retrocompatibilidade nos seus sistemas de jogo para que os utilizadores possam migrar ou ter acesso a jogos que já tiveram em consolas anteriores.

Uma viagem pela história das consolas da Nintendo

O caso mais conhecido é a Consola Virtual que disponibilizou na Nintendo Wii e mais recentemente na Wii U alguns dos jogos que fizeram furor na NES e também na SNES. Sabendo que a Nintendo pede 4,99 euros pelo The Legend of Zelda original na sua consola doméstica mais recente, o provável preço de 60 euros por uma mini-consola mais 30 jogos, poderá de facto ser um bom negócio.

Este é um dos pontos pelo qual faz sentido para a Nintendo apostar numa ‘reinvenção’ da NES – continua a dar vida aos seus jogos antigos, apela ao saudosismo dos jogadores e responde à tendência do retrogaming.

Por outro lado a Nintendo coloca nas mãos dos jogadores o hardware e o software a um preço acessível para que não se sintam tentados a enveredar pela pirataria de conteúdos. Não é pelo facto do The Legend of Zelda original ser de 1986 que já torna legal o seu download para jogar no computador.

Os jogos mais clássicos da Nintendo, como Super Mario Bros., são muitas vezes alvo de projetos independentes que os tornam acessíveis em mais plataformas e por vezes de forma totalmente gratuita. Se pesquisar por um emulador da NES para PC certamente que vai encontrar vários resultados que lhe garantem uma forma de jogar os clássicos sem pagar um tostão – mas isso torna o ato ilegal, se essa disponibilização não vier da Nintendo.

Recentemente ficamos a conhecer um destes exemplos: o projeto Smart Boy da Hyperskin transforma qualquer smartphone Android num GameBoy dos tempos modernos. Ainda que seja necessário ter os cartuchos originais, já está a dispensar o hardware da Nintendo para os jogar. Mas nem tudo pode ser visto como negativo: estes projetos são, em parte, um reconhecimento do trabalho que a tecnológica japonesa tem feito ao serviço dos videojogos.

A Nintendo tem um vasto historial de não permitir a transposição das suas propriedades intelectuais muito além das consolas próprias, naquela que é uma luta contra a proteção das suas franquias. Esta mini-NES parece-nos uma boa resposta para parte do problema.

Quais os jogos disponibilizados?

Esta é a lista dos 30 jogos que virão pré-instalados na Nintendo Classic Mini: Nintendo Entertainment System. Destacamos a negrito aqueles que são considerados como alguns dos grandes clássicos da consola.

· Balloon Fight

· BUBBLE BOBBLE

· Castlevania™

· Castlevania II: Simon’s Quest™

· Donkey Kong

· Donkey Kong Jr.

· DOUBLE DRAGON II: THE REVENGE

· Dr. Mario

· Excitebike

· FINAL FANTASY®

· Galaga™

· GHOSTS‘N GOBLINS™

· GRADIUS™

· Ice Climber

· Kid Icarus

· Kirby’s Adventure

· Mario Bros.

· MEGA MAN™ 2

· Metroid

· NINJA GAIDEN®

· PAC-MAN™

· Punch-Out!! Featuring Mr. Dream

· StarTropics

· SUPER C™

· Super Mario Bros.

· Super Mario Bros. 2

· Super Mario Bros. 3

· Tecmo Bowl™

· The Legend of Zelda

· Zelda II: The Adventure of Link