upWbmhSWcgo

Em 2013 a Microsoft apresentou um conceito inovador. Chamava-se Illumiroom e utilizava a tecnologia do Kinect para expandir a experiência de jogo que o utilizador estava a ter na consola e no televisor. Enquanto o Kinect fazia o reconhecimento do espaço, um projetor ajudava a trazer o jogo para fora do grande ecrã. O objetivo era ajudar a criar uma experiência mais imersiva de jogabilidade.

A verdade é que apesar da boa receção que o sistema teve, o projeto Illumiroom nunca passou de um conceito de desenvolvimento – e cuja tecnologia de certa forma está agora integrada nos Microsoft HoloLens.

A referência ao Microsoft Illumiroom é importante pois a Razer ‘desenterrou’ o conceito e está ela própria a desenvolver um projetor inteligente que permite justamente expandir o jogo para fora dos ecrãs do computador.

Apelidado de Project Ariana, é apenas um conceito em desenvolvimento. O que distingue este projetor de outros equipamentos semelhantes é a inclusão de um sensor de imagem que analisa os espaços de forma tridimensional.

Desta forma o projetor consegue saber exatamente onde está o ecrã do computador, onde está o jogador e onde estão outros elementos físicos no espaço de jogo. Mediante esta informação faz uma projeção alargada do título que está a ser jogado.

O projetor utiliza uma lente de 155º para fazer a projeção e consegue transmitir conteúdos em resoluções que vão até ao Ultra HD. O equipamento estará em demonstração no CES, mas não é ainda certo se algum dia chegará ao mercado.

O Project Ariana foi apresentado pela Razer durante o Consumer Electronic Show e faz parte de um esforço maior por parte da tecnológica para ampliar o seu sistema de iluminação interativo Razer Chroma.

De acordo com o diretor executivo da empresa, Min-Liang Tan, atualmente existem mais de cinco milhões de dispositivos Chroma em todo o mundo – entre teclados e ratos de gaming desenvolvidos pela empresa. Esse número vai no entanto aumentar de forma exponencial nos próximos meses.

Não graças ao Project Ariana – ainda -, mas graças a uma parceria que a Razer estabeleceu com várias empresas. Na prática a tecnológica está a licenciar o seu sistema Razer Chroma e está a torná-lo mais acessível. A Lenovo é um dos parceiros e vai integrar o Chroma em alguns dos seus portáteis; já a Philips vai permitir que a API do seu sistema de iluminação HUE também possam tirar partido dos periféricos Chroma.

CES 2017 FUTURE BEHIND BANNER

Sem mais artigos