O diretor executivo da Razer, Min-Liang Tan, adiantou à publicação TechCrunch que a sua empresa está a criar um fundo de investimento para novas tecnologias conhecido como zVentures. O fundo é suportado por 30 milhões de dólares de capital e vai procurar investir em jovens empresas de diferentes perfis tecnológicos.

Entre esses perfis está a realidade virtual, com a Razer a reafirmar o interesse nesta área emergente. A tecnológica tem também apoiado o desenvolvimento de uma plataforma aberta, a OSVR, tendo disponibilizado há semanas a segunda versão dos óculos ainda em formato de kit para programadores.



Além da realidade virtual a Razer diz que também vai querer investir em startups de realidade aumentada e com projetos na área da Internet das Coisas (IoT na sigla em inglês).

Com os investimentos feitos a Razer pretende alargar a sua presença no mundo tecnológico – tem um cordão umbilical muito forte com o segmento do gaming – e tentar extrair maior valor da sua base de 20 milhões de utilizadores em todo o mundo.

Uma das áreas onde Min-Liang Tan acredita que a Razer pode trazer valor às suas startups é no segmento do hardware, uma área que acaba por ter desafios muito diferentes das empresas de serviços e aplicações.