O Steam é uma das principais lojas de videojogos da atualidade e o local mais popular para quem procura jogos para computador. Por este motivo o Steam tornou-se também na plataforma preferencial para os dispositivos de realidade virtual – ainda que haja uma parceria com a HTC para os Vive, o Steam também tem jogos compatíveis para os Oculus Rift.

Devido a este relacionamento percebe-se que os HTC Vive sejam um equipamento mais popular do que os Oculus Rift na loja de videojogos. Mas essa não é a conclusão a tirar dos dados disponibilizados pela plataforma detida pela Valve.



A principal conclusão é que os dispositivos de realidade virtual ainda têm pouca expressão: os HTC Vive representam apenas 0,18% dos utilizadores do Steam, enquanto os Oculus Rift nas suas diferentes versões representam 0,12%. Os dados são relativos ao mês de agosto.

São números baixos e que ajudam a perceber que a adoção dos dispositivos de realidade virtual topo de gama está longe de ser uma tendência massificada. O preço dos equipamentos – 899 euros para os HTC Vive, 699 euros para os Oculus Rift – estará certamente a impedir a entrada de novos utilizadores.

Por outro lado é preciso ainda considerar que ambos os óculos de realidade virtual necessitam de computadores topo de gama – na casa dos mil euros – para executarem os jogos com a qualidade mínima recomendada, o que em alguns casos pode aumentar consideravelmente a fasquia de investimento.