Já aqui dissemos que o time do market está a matar o factor surpresa nos gadgets. Mas há uma pessoa que ainda parece saber como conseguir manter um bom segredo: Jeff Bezos. O diretor executivo da Amazon tem conseguido fazer uma série de movimentos inovadores sem que isso venha ‘escarrapachado’ na imprensa especializada. A Alexa e a Amazon Echo foram uma boa surpresa. O trabalho com drones também. A loja inteligente idem. O projeto alternativo Blue Origin também chegou sem aviso. É por isso que ao mínimo movimento que a Amazon dê e ninguém sabe do que se trata, gera-se imediatamente uma grande expectativa.

Boa segunda-feira.

Amazon pede licença para testar tecnologia wireless nos EUA: O pedido está a suscitar curiosidade nos EUA pois apesar de a Amazon não dizer em concreto que tecnologias vai testar, diz que vai envolver protótipos para o desenvolvimento de uma nova forma de comunicação inovadora. Os pedidos foram feitos para as cidades de Seattle e Washington, nos EUA, onde a Amazon tem presença. O projeto poderá estar relacionado com os drones de entrega.
Fonte: Business Insider




Facebook começa a testar filtro para notícias falsas na Alemanha: Este ano os alemães vão a votos e há receio no país de que a proliferação de notícias falsas possa ter efeito no desfecho final das eleições. Para evitar as ‘fake news’ o Facebook vai ativar o seu filtro contra conteúdos falsos na Alemanha. Será a primeira vez que estes filtros são ativados fora dos EUA.
Fonte: Financial Times

Bateria sempre terá sido a causa dos Galaxy Note 7 defeituosos: Está prometido para o final deste mês a revelação dos estudos internos da Samsung sobre os problemas que afetaram o seu smartphone topo de gama lançado na segunda metade de 2016. Mas uma fonte próxima ao processo de investigação já adiantou que o problema foi causado pela bateria dos dispositivos.
Fonte: Reuters

China torna obrigatório o registo de lojas de aplicações móveis: Num país onde o Google Play não é uma loja de aplicações oficialmente disponível, existem dezenas de alternativas para os smartphones Android dos utilizadores. Agora o governo chinês quer que estas lojas tenham um registo oficial. Na perspetiva das autoridades, esta é uma forma de evitar a proliferação de lojas com conteúdos maliciosos. Na perspetiva de alguns críticos, esta é mais uma forma de controlo da vida digital.
Fonte: The New York Times

Sem mais artigos