Aparentemente nem tudo é perfeito na Apple. Uma reportagem partilhada esta semana pela publicação Mic dá conta de um ambiente que por vezes pode ser bastante duro e difícil para as mulheres. A marca da maçã orgulha-se de ter uma forte política de diversidade e inclusão. Por exemplo, 37% das novas contratações são mulheres e o sexo feminino já representa 32% do total de funcionários que existem na Apple. A Apple paga exatamente o mesmo, independentemente do sexo ou da origem da pessoa, a todos os funcionários que estiverem a representar a mesma função. São números ‘bonitos’, mas que por vezes escondem a realidade do que se passa realmente dentro dos escritórios. Como admite a executiva Denise Young Smith, torna-se difícil saber tudo o que acontece no universo Apple, mas há aspetos a melhorar para que histórias de sexismo como estas deixem de existir.

Bom fim de semana.

Apple admite problemas de sexismo no ambiente de trabalho: A diretora de recursos humanos da Apple, Denise Young Smith, disse que a tecnológica investigou as queixas de sexismo apresentadas por algumas funcionárias e diz que foram tomadas “ações” tendo em conta os relatos. A executiva lamenta o sucedido e disse que a Apple está empenhada em criar um clima de confiança onde os seus trabalhadores se sintam à vontade em partilhar as suas experiências de trabalho, sejam boas ou más. Ou seja, a Apple não quer de forma alguma que este caso impeça outras pessoas de apresentarem queixas se as tiverem.
Fonte: Recode



Comité da Casa dos Representantes quer extradição de Snowden para enfrentar a justiça: Edward Snowden quer regressar ao seu país de origem, os EUA, como um homem livre e sem qualquer acusação. Para isso está a pedir o perdão ao presidente norte-americano Barack Obama. Mas um relatório divulgado recentemente pelo Comité da Casa dos Representantes acusa Snowden de ser um mentiroso e de ter roubado documentos com informações que vão muito além dos programas de vigilância denunciados.
Fonte: Engadget

Presidente dos Sony Studios diz compreender críticas feitas a No Man’s Sky: Foi um dos grandes lançamentos do ano e de acordo com Shuhei Yoshida tem tido boas vendas. Mas o lançamento de No Man’s Sky foi acompanhado de algumas críticas com jogadores a dizerem que o título simplesmente não entregava aquilo que tinha sido prometido pelas campanhas publicitárias. Shuhei Yoshida admitiu que a campanha de marketing de No Man’s Sky não foi a melhor.
Fonte: Eurogamer

Beam vai chegar ao Windows 10 e Xbox One S ainda este ano: Em agosto a Microsoft anunciou a aquisição da Beam, um serviço de transmissão de vídeos de jogabilidade, mas que diferencia-se do Twitch pela interatividade que permite com os espectadores. É possível a quem está em casa ter influência na forma como decorre a transmissão do jogo. Agora foi assumido o compromisso de que o serviço Beam estreia nas plataformas da Microsoft no inverno.
Fonte: Winbeta

FBI processado por meios de comunicação por não revelar método de desbloqueio do iPhone: Lembra-se do caso do iPhone do alegado terrorista de San Bernardino? Agora a Associated Press, a Vice Media e o grupo Gannett juntaram-se para processar a Agência Federal de Investigação. Os grupos mediáticos consideram que o FBI não tem o direito de manter secreta a informação de como conseguiram o desbloqueio, assim como a informação do contrato que fizeram para conseguir o dito método. A única informação que é conhecida é que o FBI terá pagado um milhão de dólares pela técnica de desbloqueio do iPhone.
Fonte: USA Today

Sem mais artigos