O cenário volta a repetir-se. Depois de um período de quase falência em 2014, a empresa de videojogos Crytek está novamente no limbo. Para sobreviver a produtora decidiu encerrar vários dos seus estúdios, uma imagem clara de que algo não vai bem na empresa alemã. A questão que muitos colocarão é como é que a empresa chega outra vez a um ponto de rotura, apenas dois anos depois da sua última grande crise. Terá o problema sido realmente sanado ou foi simplesmente adiado dentro do possível? O mundo dos videojogos está a tornar-se cada vez mais competitivo e cada vez mais exigente com os resultados. Recentemente a Crytek mostrou um grande interesse pelo mundo da realidade virtual, será este o futuro de um estúdio que trouxe para o mercado jogos como Far Cry e Crysis?

Boa quarta-feira.

Cidades portuguesas vão ter postos de carregamento elétrico rápido já em janeiro: As empresas que venceram o concurso público para a instalação de postos de carregamento elétrico rápido – Prio, EDP e Mobilectric – têm até ao dia 8 de janeiro para assegurar que as suas instalações estão prontas para utilização. O preço para os carregamentos nestes postos vai variar entre 1,5 e os três euros.
Fonte: Público




Crytek vai fechar vários estúdios para sobreviver a período de crise: Na semana passada surgiram relatos de que os ordenados na Crytek não estavam a ser devidamente pagos e que a empresa estaria a atravessar um período difícil. Agora chegou a confirmação da própria empresa. Os estúdios de Budapeste, Istambul, Sofia e Shangai vão encerrar, mantendo-se abertos os estúdios de Frankfurt e Kiev.
Fonte: Eurogamer

Funcionário da Google processa a empresa por políticas de confidencialidade: As grandes tecnológicas vivem dos seus segredos bem guardados, mas até que ponto serão legais todas as regras impostas? Um funcionário da Google diz que as ações da empresa são de tal forma exigentes que colocam em causa algumas leis de trabalho na Califórnia e por isso decidiu avançar com um processo.
Fonte: The Information

Twitter perde mais dois executivos de topo: O diretor tecnológico, Adam Messinger, e o diretor de produto, Josh McFarland, estão de saída da rede social. Aumenta assim o número de executivos de topo que abandonaram o Twitter no ano de 2016, um indicador de que a fase difícil pela qual a empresa passa pode ainda não ter acabado. Recorda-se que o Twitter anunciou este ano o despedimento de quase 350 trabalhadores.
Fonte: TechCrunch

Depois do vídeo em direto, há áudio em direto no Facebook: Nos últimos anos o formato de podcast tem ganhado popularidade e a maior rede social do mundo também quer agradar aos utilizadores que privilegiam o som. O Facebook está a testar transmissões de áudio em direto com um grupo pequeno de parceiros, mas o objetivo é disponibilizar a funcionalidade a todos os utilizadores no futuro. O Facebook reforça assim o seu posicionamento como plataforma primordial para a distribuição de conteúdos, sejam notícias, vídeos e futuramente, áudio.
Fonte: Beta News