A Didi Chuxing comprou a operação chinesa da Uber no ano passado, terminando aquele que foi um longo braço de ferro. Mas ninguém disse que a competição entre as empresas ficaria por aí, certo? A tecnológica asiática vai estabelecer em Mountain View uma unidade de investigação dedicada aos sistemas de condução autónoma. Porquê os EUA? Provavelmente para ter maior facilidade em contratar engenheiros que já estão em território americano e que podem não querer ir morar para a China, onde as regras podem ser bastante restritas. Depois porque consegue estar mais perto dos seus futuros rivais, como a Google e a Uber. E porque… pode haver outra carta na manga. Visto assim, o interesse que a Apple mostrou na Didi Chuxing começa a fazer mais algum sentido. Não é de esperar que a Didi Chuxing lance o seu serviço em território norte-americano, mas parceiros para ali fazer negócio não lhe faltarão.

Boa quinta-feira.

Nintendo confirma que Switch vai receber aplicações de vídeo: O diretor de operações da Nintendo nos EUA, Regie Fils-Aimé, confirmou em entrevista que a nova consola da Nintendo vai receber as aplicações de vídeo da Netflix, Amazon e Hulu. No entanto o executivo também deixou claro que os serviços de streaming não são totalmente uma prioridade, pois não são elementos que diferenciem a Switch enquanto consola. Recorda-se que a Nintendo Switch teve o melhor fim de semana de arranque de sempre de uma consola da Nintendo nos EUA, na Europa e também em Portugal.
Fonte: The Washington Post




Didi Chuxing abre unidade de investigação nos EUA: A empresa que é conhecida como a ‘Uber da China’ anunciou um passo importante para o desenvolvimento das suas ambições futuras. A Didi Chuxing vai ter uma unidade de investigação nos EUA que estará diretamente ligada ao segmento da inteligência artificial e dos veículos autónomos. A tecnológica chinesa já começou a fazer contratações, tendo inclusive conseguido desviar um perito em segurança informática da Uber. A Didi comprou a operação chinesa da Uber no ano passado e recebeu um investimento de mil milhões de dólares da Apple em 2016.
Fonte: The Verge

Google comprou a empresa Kaggle: A Kaggle foi fundada em 2010 e é conhecida por ser uma plataforma de modelos preditivos e por reunir uma das maiores comunidades ligada à computação de dados. A Kaggle tem mais de 800 mil especialistas e entusiastas registados na plataforma. Já foi confirmado que a Kaggle vai continuar a operar como uma marca independente e não vai ser totalmente ‘engolida’ pela divisão Google Cloud. Os valores do acordo não foram revelados.
Fonte: 9to5Google

Pinterest avançou para a aquisição da plataforma Jelly: Em bom rigor a Jelly só é uma plataforma conhecida pois um dos seus fundadores, Biz Stone, foi um dos cofundadores do Twitter. A Jelly tentou ‘humanizar’ a resolução de questões: um utilizador perguntava algo na plataforma para receber respostas de outras pessoas – o objetivo é que houvesse uma curadoria que o Google não consegue garantir. Na prática a Jelly era uma mistura de Google e Quora. A aplicação nunca ganhou tração, mas a sua tecnologia parece ter despertado o interesse do Pinterest. Não foram revelados valores para o negócio e o Pinterest ainda não se pronunciou sobre o futuro da Jelly.
Fonte: Recode

Android Wear vai ter cinco novos relógios de luxo no final do ano: Empresas tecnológicas como a Lenovo podem ter abandonado temporariamente o segmento dos relógios inteligentes, mas o mercado mostrou haver alguma abertura para equipamentos de gama alta – basta olhar para as vendas do Apple Watch. Neste sentido o grupo Movado anunciou o lançamento de cinco smartwatches no final do ano e que vão estar equipados com Android Wear 2.0. Entre estes equipamentos estão já confirmados relógios das marcas Movado, Tommy Hilfiger e Hugo Boss. O preço dos relógios começará perto dos 500 euros.
Fonte: Droid-Life

Sem mais artigos