Já aqui explicámos por que razão o automóvel é considerado como o próximo grande gadget. Mas além da opinião dos especialistas, basta olhar para o movimento das grandes tecnológicas para percebermos que a mobilidade é de facto uma parte importante do futuro. Google, Uber, Intel, Apple, Baidu, Nvidia, Microsoft e BlackBerry estão a investir fortemente no segmento da mobilidade, em específico nas tecnologias de condução autónoma. O mais recente investimento da Intel é apenas mais uma pedra neste charco e ao longo dos próximos dias, fruto das apresentações feitas no Consumer Electronic Show, vamos ver definitivamente que nos anos que se seguem os carros vão sofrer transformações profundas que vão alterar por completo a sua relação com o condutor.

Boa quarta-feira.

Kingston revela pen USB com 2 terabytes de armazenamento: Não é muito grande, tendo apenas 7,2 centímetros de comprimento, mas tem espaço suficiente para ‘envergonhar’ os discos rígidos e externos da maior parte dos consumidores. Com dois terabytes de armazenamento, a Kingston DataTraveler Ultimate GT é a pen USB com mais armazenamento disponível até à data. Ainda não tem um preço definido, mas também deverá ser das mais caras.
Fonte: Slashgear




Mark Zuckerberg já definiu o seu desafio pessoal para 2017: Depois de ter criado um assistente digital para a sua casa que pode ser controlado através do smartphone, o diretor executivo do Facebook escolheu um desafio não-tecnológico para este ano. O objetivo de Mark Zuckerberg é visitar e ter conhecido pessoas dos 50 estados que compõe os EUA. A ideia é ficar a conhecer de forma mais próxima aquilo que as pessoas pensam e esperam do futuro.
Fonte: TechCrunch

NASA vai retomar os testes aos telescópio James Webb: Vai ser o sucessor do telescópio espacial Hubble e vai ser o maior e melhor equipamento do género alguma vez concebido. Depois da conclusão do projeto em 2016, a NASA está agora concentrada na fase de testes. Nos próximos dias o telescópio James Webb vai ser testado contra vibrações, para garantir que nenhum dos seus elementos de precisão é afetado quando o equipamento for enviado para o espaço.
Fonte: Engadget

Tesla falha objetivo de entregas para o último trimestre do ano: A empresa norte-americana tinha definido que entre outubro e dezembro era objetivo entregar 80 mil veículos, mas este valor não foi concretizado. A Tesla entregou 76.230 carros aos seus consumidores, invocando alguns atrasos na produção e também na logística das entregas. Durante o ano de 2016 a Tesla produziu um total de 83.922 veículos elétricos.
Fonte: The Verge

Intel compra 15% da HERE, antiga divisão de mapas da Nokia: Atualmente a plataforma HERE é detida por um consórcio de fabricantes alemães de automóveis, mas a Intel quis fazer parte deste grupo ao adquirir 15% de participação na empresa. O valor do investimento não foi revelado, mas sabe-se que a Intel tem interesse em mapas precisos para o desenvolvimento de tecnologias de condução autónoma. O acordo deverá estar concluído no primeiro trimestre de 2017.
Fonte: The Wall Street Journal